Centro de Documentação e Memória (CDM)
Revista Problemas - Revista Problemas

Diretivas do XX Congresso do PCUS para o VI Plano Quinquenal de Desenvolvimento da Economia Nacional da URSS (1956-1960)

Publicado em 14.06.2012

O XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética constata que as tarefas do Quinto Plano Quinquenal de desenvolvimento da economia nacional da URSS, fixadas pelo XIX Congresso do Partido, foram realizadas com sucesso.

Durante o último quinquênio a produção da indústria da URSS, aumentou em 85%; em particular, a produção de meios de produção cresceu em 91% e o volume geral da produção de maquinaria e da elaboração de metais em 1955 aumentou em 2,2 vezes em relação a 1950. A produção industrial em 1955 foi de 3,2 vezes maior que em 1940. Foram superadas as tarefas do Plano Quinquenal no que concerne a importantíssimos setores da indústria pesada: aço, laminados, carvão", petróleo, energia elétrica, cimento, alumínio, tratores, automóveis e muitos outros.

Como resultado das grandes medidas adotadas pelo Partido e o Governo para elevar a produção cerealífera e pecuária, foram criadas condições para um ascenso vertical da agricultura socialista. Graças ao aproveitamento das terras virgens e incultas, a superfície dedicada aos cereais aumentou em 1955 em quase 24 milhões de hectares em relação a 1950. Aumentaram a colheita global das principais culturas agrícolas e a produção pecuária.

O êxito no desenvolvimento da indústria pesada e o incremento da produção agropecuária permitiram aumentar durante o quinquênio a produção de artigos de uso e consumo em 76%, o que significa um ascenso de mais do dobro em comparação com o nível de pré-guerra. Foram superadas as tarefas do Plano Quinquenal nos transportes. Na base do aperfeiçoamento ininterrupto da técnica, do melhoramento da organização da produção e do desenvolvimento da emulação socialista, aumentou a produtividade do trabalho na indústria, na agricultura e nos transportes.

Durante os anos do V Plano Quinquenal, a renda nacional da URSS aumentou em 68%, o salário real dos operários e empregados, em 39%, e as rendas reais dos colcosianos em 50%. Foram ultrapassadas as tarefas do Plano Quinquenal concernentes à circulação de mercadorias a varejo. A ciência e a cultura soviética desenvolveram-se com êxito.

Ao mesmo tempo, o XX Congresso do PCUS assinala a existência de defeitos substanciais em diversos ramos da atividade econômica. O desenvolvimento de alguns ramos da indústria marcha aquém das crescentes necessidades da economia nacional. Não foi cumprida integralmente a tarefa fixada no Plano Quinquenal no que toca à produção agropecuária, o que freou o desenvolvimento dos ramos da indústria leve e de alimentação e a fabricação de artigos de consumo popular.

Em uma série de ramos da produção registra-se um atraso na introdução e aproveitamento dos últimos progressos da ciência e da técnica modernas; é ainda insuficiente o nível de mecanização e automatização na indústria, na agricultura, nos transportes e na construção.

A tarefa fixada para o aumento da produtividade do trabalho na indústria e na construção não foi cumprida integralmente. Ainda é grande o gasto de trabalho por unidade de produção.

Como resultado da realização do V Plano Quinquenal cresceu a potência econômica do país, consolidou-se ainda mais o sistema socialista da economia, elevou-se o nível de vida material e cultural do povo soviético, foram ampliadas as relações econômicas da URSS com os países de democracia popular, foi reforçada a situação internacional da União Soviética e de todo o campo socialista.

A União Soviética dispõe agora de uma produção socialista poderosa e desenvolvida em todos os domínios, de recursos materiais maiores que nunca e quadros qualificados.

O nível alcançado no desenvolvimento da produção social permite ao Estado soviético impulsionar com ritmo rápido não somente a produção de meios de produção, que era e continua sendo a base indestrutível de toda a economia nacional, como também a produção de bens de consumo popular, multiplicar consideravelmente a riqueza social e, desse modo, continuar avançando pelo caminho da construção da sociedade comunista em nosso país.

O XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética considera que o País soviético dispõe atualmente de todas as condições necessárias para resolver pelo caminho da pacífica competição econômica, no mais curto prazo histórico, a tarefa econômica fundamental da URSS: alcançar e ultrapassar na produção per capita os países capitalistas mais desenvolvidos.

As tarefas principais do VI Plano Quinquenal de desenvolvimento da economia nacional da URSS consistem em assegurar, na base do desenvolvimento preferencial da indústria pesada, do ininterrupto progresso técnico e do aumento da produtividade do trabalho, o contínuo e poderoso crescimento de todos os ramos da economia nacional, obter um vertical ascenso da produção agropecuária e conseguir, apoiando-se nisso, uma notável elevação do bem-estar material e do nível cultural do povo soviético.

O sexto quinquênio deve ser um quinquênio de constante e poderoso desenvolvimento das forças produtivas do País soviético e de passagem da economia nacional a um nível técnico de produção mais alto; de considerável elevação de todos os índices qualitativos e de melhoramento da direção da economia.

Tendo em conta as principais tarefas colocadas ante o Partido, e o povo soviético, o XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética estabelece as seguintes diretivas para o VI Plano Quinquenal de desenvolvimento da economia nacional da URSS (1956-1960):

I. Na indústria

1. Fixar em 65% aproximadamente o aumento da produção industrial durante o quinquênio.

Considerar tarefas primordiais do Plano Quinquenal na esfera da indústria o constante desenvolvimento da siderurgia e da metalurgia não ferrosa, das indústrias petrolífera, carbonífera e química, a garantia de um ritmo mais acelerado na construção de centrais elétricas, o rápido crescimento da fabricação de maquinaria, especialmente no que toca à produção de tornos, máquinas de forja e prensa, meios de automatização e aparelhos tecnicamente perfeitos. Aumentar durante o quinquênio em 70% aproximadamente a produção de meios de produção (grupo «A»).

Assegurar um considerável desenvolvimento da indústria produtora de artigos para a população. Estabelecer em 60% aproximadamente o crescimento da produção de bens de consumo (grupo «B») durante o quinquênio.

2. Fixar o volume da produção dos tipos mais importantes de artigos industriais para 1960, último ano do VI Plano Quinquenal, aproximadamente nas proporções seguintes:
 

3. Levar à prática em grande escala medidas para elevar o nível técnico da produção em todos os ramos da indústria, na base do desenvolvimento da eletrificação, da mecanização e da automatização múltiplas, do emprego de modernas instalações de alto rendimento e da tecnologia de vanguarda, e da ampla substituição e modernização das instalações antiquadas.

4. Ampliar de maneira considerável durante o sexto quinquênio a aplicação da energia atômica para fins pacíficos.

Construir no curso dos anos 1956-1960 várias centrais eletro atômicas com uma potência total de 2-2,5 milhões de kW. Construir as centrais eletroatômicas em primeiro lugar nas zonas que não dispõem de sua própria base de combustíveis. Desenvolver os trabalhos de criação de instalações átomo-dinâmicas para fins de transporte. Construir um quebra-gelos dotado de motor atômico. Desenvolver ao máximo os trabalhos para continuar fomentando o emprego das emanações radioativas na indústria, na agricultura e na medicina, em particular para controlar a qualidade dos materiais, dirigir os processos de produção e regulá-los automaticamente, assim como para diagnóstico e tratamento de diversas enfermidades. Ampliar a utilização de átomos pesados nos trabalhos de investigação científica. Aumentar consideravelmente a produção de aparelhos de dosagem e de detecção da radioatividade, assim como dos aparelhos de controle e de comando.

5. Assegurar um considerável aumento da produção nas empresas existentes, mediante aumento da produtividade do trabalho, uma melhor utilização dos potenciais de produção, a modernização e substituição da maquinaria antiquada, a eliminação dos «pontos débeis», assim como organizando de maneira mais rítmica o trabalho das empresas, regularizando a produção e melhorando o abastecimento material e técnico e a planificação.

Obter através de uma melhor organização da produção e da utilização dos potenciais da produção não menos de 47% do aumento previsto na produção de aço, de 35% na de ferro fundido, de 40% na de laminados ferrosos, de 42% na de cobre refinado, de 47% na de zinco, de 34% na de chumbo, de 20% na de alumínio, de 60% na de níquel, de 35% na de carvão, de 25% na de derivados leves de petróleo, de 34% na de amoníaco, de 53% na de soda cáustica, de 30% na de soda calcinada, de 24% na de pneus de automóveis, de 54% na de turbinas hidráulicas, de 64% na de transformadores, de 65% na de máquinas de cortar metais, de 55% na de automóveis, de 69% na de tratores, de 48% na de escavadoras, de 35% na de equipamentos para indústria química, de 40% na de locomotivas elétricas, de 89% na de vagões de passageiros, de 29% na de máquinas de forja e de prensa, de 32% na de cimento, de 55% na de ardósia, de 27% na de coberturas leves, de 86% na de vidro plano, de 12% na de papelão, de 56% na de papel, de 39% na de tecidos de lã, de 56% na de tecidos de linho, de 36% na de calçado de couro, de 63% na de açúcar cristalizado, de 63% na de carne, de 51 % na de conservas e de 64% na de azeite.

6. Assegurar a utilização mais racional de matérias-primas, combustível, energia elétrica, metais e outros recursos materiais, a utilização total das matérias-primas no curso de sua elaboração, a redução das normas de gasto de matérias-primas e materiais e a introdução de sucedâneos para as matérias-primas, materiais e metais não ferrosos deficitários ou de custo elevado. Ampliar na indústria o emprego de matérias-primas secundárias, assim como de novos tipos de materiais econômicos. Reduzir verticalmente as perdas de materiais no processo de trabalho, sobretudo as perdas por produção defeituosa.

7. Na base da constante elevação da produtividade do trabalho e da redução do gasto de matérias-primas, materiais, combustível e energia elétrica por unidade produzida e um considerável descenso dos gastos de administração e direção, assim como de outros gastos adicionais, reduzir durante o quinquênio o custo da produção industrial em não menos de 17%.

8. Realizar de 1956 a 1960 trabalhos de prospecção geológica em proporções que assegurem a necessária ampliação das bases de minérios e matérias-primas das empresas que já funcionam ou se acham em construção, assim como a criação de reservas exploradas de matérias-primas para o constante desenvolvimento da indústria, sobretudo nas zonas orientais do país.

Assegurar um aumento de 30-35% das reservas exploradas de minerais ricos em ferro e de níquel em relação ao nível existente no começo do quinquênio, de 40-45% para o cobre, bauxitas, titânio, fosforitas e boro, de 50-55% para nióbio, de 55-60% para o chumbo e o estanho, de 65-70% para o molibdênio de 75-80% para o mercúrio, de 65-70% para o petróleo, assim como um aumento de 35-40% (em capacidade de produção) para as minas de carvões energéticos e de não menos de 40% para os de carvões coquificáveis.

Impulsionar ao máximo nas zonas orientais do país a pesquisa de novas jazidas de petróleo, gás, metais raros e não ferrosos, de titânio, de minérios de manganês para a produção de ferro manganês. Intensificar os trabalhos de prospecção geológica para a preparação de novas minas de carvões coquificáveis nas bacias do Donetz, do Pechora, de Kuznetsk e de Yakutsk do Sul, de carvões de pouco resíduo e coquificáveis no Kazaquistão e de carvões energéticos na parte européia da URSS, nos Urais e na Ásia Central.

9. Na siderurgia: assegurar um elevado ritmo no aumento da produção de"metais ferrosos, e em particular de aços especiais, de lâmina de aço de secção reduzida, de longarinas e de aço estirado a frio, de aço para ferramentas e aço eletrotécnico, de chapas bimetálicas e de tubos perfilados; organizar a produção de perfis curvos de folha, chapa e cinta. Multiplicar durante o quinquênio a produção de aços especiais de baixa ligação em umas 17 vezes; a de aço para dínamos em 97% a de aço para transformadores em 2,1 vezes; a de folha laminada em 85%, incluída a de folha fina em 2,2 vezes e a de folha estirada a frio em 4 vezes; a de lâmina de secção reduzida em 93%; a de longarinas em 2,1 vezes; a de tubos soldados de grande diâmetro em 2,7 vezes; a de fio de aço em 3 vezes; a de fio ordinário em 2,4 vezes; a de parafusos e outras peças de junção fabricadas no Ministério da Siderurgia da URSS em 4,4 vezes; a de chapas de curvas estiradas a frio em 76%, e a de cabo de aço em 80%.

Elevar em 1960, em relação a 1955, a fundição de aço elétrico em 79%; a produção de coque em 48% e a extração de minério de ferro em 59%. Alcançar, em 1960 uma produção de 73 milhões de toneladas de compostos fundentes de alcalinidade elevada.

Assegurar em 1960, nas empresas dependentes do Ministério da Siderurgia da URSS, a fundição em atmosfera rica em oxigênio de todas as ligações de ferro produzidas em altos fornos e com a aplicação de oxigênio, cerca de 40% da produção total de aço, incluída a produção de aço de conversor. Organizar a produção de aço elétrico pelo processo duplex em conversores e fornos elétricos. Ampliar ao máximo a fundição e escoamento de aço ao vácuo. Ampliar consideravelmente a fundição centrífuga e semicontínua de tubos e do estanhamento eletrolítico de folha de flandres. Introduzir em larga escala o método altamente produtivo do fluxo contínuo de aço, que permite melhorar a qualidade da produção e aumentá-la. Terminar o revestimento de todos os fornos de fundição de aço com material altamente refratário.

Pôr em funcionamento durante o sexto quinquênio, mediante construções básicas, novo potencial com a seguinte capacidade de produção: ferro fundido, 16,8 milhões de toneladas, aproximadamente; aço, 15,8 milhões de toneladas; laminados, 16,3 milhões de toneladas, e minério de ferro, 84 milhões de toneladas. Aumentar durante o quinquênio em 3,2 vezes a capacidade de produção de aço inoxidável e de ligas termos-resistentes (estas últimas em mais de 6 vezes). Construir e pôr em funcionamento duas grandes fábricas de artigos metálicos; criar oficinas especializadas na produção de perfis diversos com uma capacidade mínima de 800.000 toneladas. Ampliar a capacidade de produção das usinas de ligas de ferro. Instalar novo potencial para a extração de minério de manganês no Leste. Assegurar a exploração de novas jazidas de minério de ferro e de manganês.

10. Na metalurgia não ferrosa: prever para 1960, em comparação com 1955, um aumento aproximado da produção de cobre refinado em cerca de 60%; de alumínio, de 2,1 vezes; de chumbo, de 42%; de zinco, de 77%; de níquel, de 64%; de molibdênio, de 2 vezes; de concentrados de volfrâmio, de 57% de magnésio comercial, de 2,1 vezes. Ampliar consideravelmente a produção de titânio e de germânio, zircônio, nióbio, tântalo e outros metais raros. Aumentar a produção de metais não ferrosos e raros de alta pureza para assegurar o constante desenvolvimento da eletrônica, a radiotécnica e a produção de ligas termos-resistentes.

Introduzir amplamente novos processos tecnológicos de alto rendimento: beneficiamento polifásico dos minérios, métodos combinados de beneficiamento e tratamento hidrometalúrgico dos minérios, calcinação a temperaturas elevadas, processos eletrotérmicos e de autoclave, aplicação do oxigênio na metalurgia não ferrosa. Aumentar em 2,2 vezes durante o quinquênio a extração de minério não ferroso a céu aberto e aumentar consideravelmente a extração subterrânea de minério aplicando os sistemas de desmoronamento maciço. Elevar a extração de metais das matérias-primas e organizar o tratamento completo destas com aproveitamento do enxofre contido nos minérios e nos gases para a fabricação de ácido sulfúrico. Intensificar os trabalhos de investigação e. experimentação com o objetivo de buscar processos mais econômicos para a obtenção de metais não ferrosos, assim como para continuar aperfeiçoando a tecnologia da produção de metais raros e o amplo estudo de suas propriedades e aplicações.

Aumentar no sexto quinquênio a capacidade de produção de alumínio primário em cerca de 2,7 vezes; a de cobre refinado, de 50%; a de chumbo, de 54%; a de zinco, de 1,8 vezes; a de níquel, de 1,7 vezes, e a de ácido sulfúrico nas empresas da metalurgia não ferrosa, de 5,2 vezes.

11. Na indústria carbonífera: superar o atraso da extração de carvão em relação às crescentes necessidades de combustível na economia nacional e assegurar a acumulação das necessárias reservas estatais de combustível.

Impulsionar ao máximo a extração de carvão nas bacias do Donetz e de Kuznetsk, nas jazidas de Lvov Volinia e Ekibastuzk, e começar a pôr em exploração novas jazidas de carvão na região de Kustanai, assim como a de Itat, na região de Kemerov. Elevar até 1960 para 118 milhões de toneladas anuais, aproximadamente, o volume da extração de carvões coquificáveis.

Intensificar os trabalhos de pesquisa, planificação e aplicação de métodos novos e mais eficazes de abertura e exploração das jazidas carboníferas, assim como os trabalhos visando criar e aplicar nova maquinaria de minas e a melhorar a utilização das máquinas e mecanismos disponíveis.

Assegurar o ulterior desenvolvimento da extração de carvão a céu aberto, elevando-se aproximadamente em 1960 a 122 milhões de toneladas anuais, assim como a aplicação da extração subterrânea de carvão pelo método hidráulico.

Pôr em funcionamento durante o quinquênio dentro da jurisdição do Ministério da Indústria Carbonífera da URSS, minas de exploração a céu aberto, nas quais se obtenha cerca de 240 milhões de toneladas de carvão por ano. Dobrar aproximadamente a velocidade de perfuração dos poços e outras grandes escavações minerais. Acelerar a obtenção da potência planificada nas minas de carvão existentes e nas de recente exploração. Elevar a qualidade do carvão e, para uso, aumentar seu tratamento em fábricas beneficiadoras em 85%, aproximadamente, e duplicar a produção de carvão em tijolos.

Reduzir verticalmente as perdas de carvão nos resíduos do beneficiamento e melhorar a tecnologia deste, introduzindo novos e mais eficazes métodos.

Assegurar o aumento da obtenção de xistos betuminosos durante o quinquênio em não menos de 67% e o da turfa em 44% (compreendida a da turfa com frezadoras em 73%).

12. Na indústria do petróleo: assegurar um elevado ritmo no aumento da extração e refino do petróleo, aumentar em cerca de duas vezes a obtenção de derivados e em 1,8 vezes a de lubrificantes.

Elevar para 82% a proporção do petróleo extraído das jazidas mediante a utilização e métodos de pressão artificial. Aperfeiçoar e utilizar amplamente o método de desagregação hidráulica das camadas pouco permeáveis.

Elevar em não menos de 85% a velocidade média de perfuração dos poços produtores de petróleo e gás e em 95% a dos poços de prospecção. Reduzir em 30%, aproximadamente, o custo dos trabalhos de perfuração.

Assegurar a aplicação conjunta de novos e eficazes métodos de prospecção e aperfeiçoar o equipamento técnico desta.

Prever a intensificação da refinação do petróleo. Melhorar a qualidade dos combustíveis e lubrificantes para automóveis e tratores; elevar as qualidades antidetonantes das benzinas, reduzir a quantidade de enxofre e parafina no combustível para motores Diesel, melhorar a viscosidade e as propriedades de aproveitamento dos óleos e lubrificantes para motores Diesel. Introduzir nas refinarias de petróleo que se acham em processo de construção ou reconstrução processos tecnológicos em métodos de produção de derivados do petróleo, novos e mais aperfeiçoados.

Intensificar o ritmo de construção de novas refinarias de petróleo e de grandes oleodutos e reduzir o custo ao mínimo. Aumentar durante o quinquênio em não menos de 45 milhões de toneladas o potencial de refinação primária do petróleo, à base da construção de novas fábricas, e em não menos de 26 milhões de toneladas o cracking da matéria-prima.

13. Desenvolver ao máximo a indústria do gás: fomentar o emprego do gás na economia nacional como na matéria-prima química e como combustível, assim como também para usos domésticos. Elevar durante o quinquênio em 3,9 vezes, aproximadamente, a extração e produção do gás. Intensificar os trabalhos de prospecção geológica e exploração a fim de descobrir novas jazidas de gás e assegurar no quinquênio um aumento das reservas industriais de gás de cerca de 85% a 90%.

Assegurar o aproveitamento industrial das novas jazidas de gás de Stávropol, Shebelinka e Stepnov e preparar para seu aproveitamento a jazida de Beriózovo, na Sibéria.

Construir e pôr em funcionamento 9.000 quilômetros de grandes gasodutos, figurando entre os mais importantes os de Stávropol-Moscou, Daskava-Minsk-Leningrado, (com ramificações até Vilna e Riga) Stávropol-Nevinnomissk-Mineralnie-Vodi-Grosni, Shebelinka-Karkov-Kursk-Oriol-Briansk, Kazan-Gorki. Iniciar a construção dos gasodutos Beriózovo-Sverdlovsk e Grozni-Tbilissi.

14. No domínio da eletrificação: intensificar o ritmo e melhorar a qualidade da construção; assegurar a constante elevação do nível técnico das centrais termoelétricas e hidráulicas e das redes elétricas e térmicas. A par da introdução incessante da energia elétrica na indústria, efetuar a eletrificação mais ampla dos transportes e da agricultura e melhorar o abastecimento de energia elétrica das cidades.

Aumentar aproximadamente em 2,2 vezes a potência total das centrais elétricas acionadas por turbinas, em 2,7 vezes a das centrais hidrelétricas e em 2,2 vezes a extensão das redes elétricas do Ministério das Centrais Elétricas com tensão de 35 mil a 220 mil volts.

Terminar a construção das centrais hidrelétricas de Kúibishev e Stalingrado em toda a sua potência, desenvolver no Volga a construção da central hidrelétrica de Saratov, de uma potência de um milhão de kilowats; terminar no Kama a construção da central de Votkinsk, de 540.000 kilowats, iniciar as obras da central do Baixo Kama, de cerca de 900.000 kilowats, e a da central de Cheboksari, no Volga, de cerca de 800.000 kilowats.

Construir e pôr em funcionamento a central hidrelétrica de Krementchung, de 450.000 kilowats, e a de Dnieprodzerzhinsk, de 250.000 kilowats.

Desenvolver a construção de grandes centrais hidrelétricas nas zonas orientais da URSS Pôr em funcionamento, no Angará, a central de Irkutsk, de 660.000 kilowats, a primeira fase da de Bratsk, cuja potência total projetada será de 3.200.000 kilowats, e a de Novossibirsk, no Obi, de 400.000 kilowats. Empreender as obras da central da Krasnoiarsk, no Ienissei, de 3.200.000 kilowats, e a de Kamen, no Obi, de 500.000 kilowats.

Criar um sistema energético único na parte européia da URSS, mediante a união das centrais hidrelétricas de Kúibishev e Stalingrado aos sistemas energéticos do Centro, do Sul e dos Urais, construindo para esse fim, linhas de transmissão de energia de 400.000 volts. Desenvolver os trabalhos para criar um sistema energético único da Sibéria Central (desde Novossibirsk até Irkutsk). Unir os sistemas energéticos da Geórgia, Azerbaidjão e Armênia.

Aumentar a potência das centrais térmicas distritais nos grandes sistemas energéticos, como regra geral, mediante a construção de centrais de grande potência com instalações de cem mil, cento e cinquenta mil e duzentos mil kilowats e a disposição dessas centrais nas zonas de extração de combustíveis.

Assegurar o prosseguimento dos trabalhos para dotar de calefação central as empresas industriais e as grandes cidades e liquidar o atraso na construção de redes térmicas.

Prever a criação de reservas de aproveitamento do potencial elétrico de não menos de 10% no sistema energético único da parte européia da URSS, e em outros grandes sistemas energéticos.

Com o fim de continuar tornando mais econômico o funcionamento das centrais elétricas è de reduzir o custo das mesmas, utilizar amplamente nas grandes centrais térmicas instalações para uma pressão de vapor de 130 atmosferas e uma temperatura até 565º C, com aquecimento intermitente do vapor, e assegurar a introdução do sistema combinado caldeira-turbina. Introduzir no aproveitamento industrial turbinas combinadas de uma potência de 200.000 kW com uma pressão de vapor de 220 atmosferas e uma temperatura de 600VC. Pôr em funcionamento uma turbina combinada de 300.000 kilowats para uma pressão de 300 atmosferas e uma temperatura de 650º C, assim como uma série de centrais experimentais e industriais movidas por turbinas de gás. Efetuar a reconstrução técnica de diversas centrais térmicas de escasso rendimento econômico mediante utilização de vapor à alta pressão.

Realizar a transmissão de energia de corrente contínua de alta tensão e, para isso, pôr em funcionamento uma linha de condução de corrente contínua desde a central hidrelétrica de Stalingrado até a bacia do Donetz.

15. Prever um ritmo acelerado de desenvolvimento da indústria química e, em particular, da fabricação de produtos químicos necessários para assegurar o progresso técnico dos diversos ramos da economia nacional.

Aumentar em proporções consideráveis a fabricação de produtos químicos que garantam a elevação do rendimento das culturas; organizar a produção de novas espécies de adubos químicos concentrados, de novos e mais eficazes inseticidas para combater os parasitas e doenças das plantas. Elevar a um milhão de toneladas, aproximadamente, a produção anual de adubos fosfóricos concentrados.

Organizar em grande escala industrial a fabricação de produtos químicos para combater as ervas daninhas, a fim de assegurar uma redução considerável dos gastos de trabalho na manutenção das culturas.

Aumentar verticalmente a produção de matérias-primas para adubos químicos: concentrados de apatita, fosforitas, assim como ácido sulfúrico e enxofre, pela utilização das jazidas de enxofre natural e pela transformação dos minérios de sulfato de cobre e dos gases que contêm enxofre. Aumentar a produção de amoníaco em 87%, aproximadamente, e a de ácido sulfúrico em 91%.

Considerar como uma das tarefas mais importantes das indústrias química e petrolífera a elevação vertical do emprego do gás metano, gás natural e dos derivados do petróleo para a produção de borracha sintática, álcool, detergentes e outros produtos químicos, com o fim de suprimir totalmente a utilização de cereais, azeites vegetais e outras matérias-primas alimentícias na elaboração desses produtos; liquidar, no fundamental, até o fim do quinquênio, a utilização de álcool de consumo empregado com fins técnicos. Multiplicar por 10 aproximadamente a produção de álcool sintético e por 2,2 vezes a de borracha sintética. Aumentar a fabricação de produtos químicos mediante uma melhor utilização ao gás de coque e dos produtos de coqueificação da hulha.

Ampliar o sortimento e aumentar a produção de alcatrões sintéticos, gomas e corantes da alta qualidade, de matérias plásticas, de isolantes elétricos, de materiais sintéticos para a indústria de construções mecânicas, para a indústria radiotécnica e outros ramos da economia nacional. Aumentar em 5,9 vezes a produção de materiais sintéticos para a fabricação de fibra artificial. Duplicar aproximadamente a produção de cobertas para automóvel.

Introduzir largamente na indústria química novos e eficazes processos tecnológicos e equipamento de elevado rendimento.

Nas empresas do Ministério da Indústria Química, aumentar durante o quinquênio em 1,7 vezes, aproximadamente, a capacidade de produção de amoníaco e de soda cáustica, e em 2,3 vezes a de borracha sintética.

16. Considerar como uma tarefa de suma importância no domínio das construções mecânicas continuar fomentando e alcançar um vasto desenvolvimento da fabricação de novos tipos altamente produtivos de equipamentos e máquinas, tornos, prensas e aparelhos. Aumentar durante o quinquênio em aproximadamente 80% a produção da indústria de construções mecânicas e de transformação de metais.

Elevar verticalmente o nível técnico das empresas de construção mecânica. Renovar e modernizar em proporção considerável o parque de máquinas para a transformação de metais. Ampliar a utilização de novos métodos progressivos de produção de bilhetes nas empresas de construções mecânicas. Desenvolver amplamente os trabalhes de pesquisa científica de planificação e de experimentação a fim de criar, em um breve lapso de tempo, novos tipos de máquinas de alto rendimento.

Prever a criação de oficinas experimentais, com laboratórios que correspondam às exigências da técnica moderna, nas principais empresas de construções mecânicas.

Reduzir em uma média mínima de 22% o gasto específico de metal, mediante o melhoramento do desenho das máquinas, a diminuição de suas dimensões e de seu peso, um maior emprego de diversos aços especiais, de ligas leves, de plásticos, de perfis econômicos de laminados e a aplicação de métodos modernos para obter peças de fundição e de forja de dimensões exatas.

Na indústria de máquinas-ferramentas: aumentar 2,4 vezes a produção de tornos combinados especializados, especiais e de posição múltipla, e aproximadamente em 5 vezes a de linhas automáticas e semi-automáticas e a de equipamentos para as oficinas e fábricas automáticas. Elevar para fins do quinquênio em não menos de 50% o coeficiente dos grupos mais aperfeiçoados de máquinas para cortar metais, dentro da fabricação total de máquinas-ferramentas: aumentar a produção de equipamentos para a indústria de madeira, incluindo linhas automáticas e máquinas-ferramentas automáticas e semi-automáticas.

Assegurar um crescimento mais rápido da produção de equipamentos para a forja, a prensa e a fundição em relação à produção de máquinas para o corte de metais. Aumentar consideravelmente a fabricação de equipamentos para a forja e o prensado, em particular a de potentes prensas hidráulicas, prensas mecânicas de forjar e estampar e prensas de amolgar, máquinas para a forja horizontal e prensas automáticas para peças especiais, incluídas as que permitem o aquecimento elétrico do metal. Aumentar em não menos de 4 vezes a produção de máquinas pesadas de forja e prensa e em não menos de 8 vezes a de equipamentos de fundição.

Pôr em funcionamento o potencial indispensável à produção de equipamentos para corte de metais, de máquinas para a forja e prensa e de equipamentos de fundição e, em primeiro lugar, fábricas de linhas automáticas e de máquinas-ferramentas especiais e combinadas.

Na indústria de maquinaria pesada: assegurar a fabricação de trens de laminação de alto rendimento, inteiramente mecanizados e automatizados ao máximo, e, em primeiro lugar, a de trens para a laminação contínua de chapa, aços comerciais e tubos, a de trens para a produção de perfis curvos e para a laminação periódica, a de máquinas combinadas para a produção de tubos de solda elétrica de pequenos e grandes diâmetros e a de equipamentos para mecanizar os processos da laminação que exigem mão-de-obra numerosa. Aumentar durante o quinquênio em 82% a fabricação de equipamentos para laminação.

Organizar a produção de grandes elevadores de carga até 25 toneladas, a de extratoras combinadas de carvão para o trabalho em diversas condições geológicas, a de escavadoras draglines de 25 metros cúbicos e de aguilhão de 100 metros. Aumentar a fabricação de novos tipos de aparelhos para intensificar a refinação do petróleo. Modernizar os equipamentos de perfuração existentes e criar outros mais perfeitos, assim como também motocompressores a gás de grande rendimento.

Duplicar, no mínimo, durante o quinquênio, a fabricação de equipamento para mecanizar a indústria da turfa.

Na indústria de construções mecânicas energéticas e na indústria eletrotécnica: elevar a qualidade e os índices técnico-econômicos dos grupos geradores, caldeiras e turbinas e do equipamento elétrico. Assegurar a produção de novo equipamento energético a pressões de vapor mais elevadas e automatização múltipla do funcionamento das turbinas a vapor, caldeiras e outros equipamentos das centrais elétricas. Elaborar os projetos e executar a produção de turbinas a vapor de 200.000 e 300.000 kilowats de potência e de caldeiras para essas turbinas, de grandes geradores para turbinas a vapor de uma potência até 300.000 kilowats com refrigeração especial da bobinagem e de potentes geradores para as centrais hidrelétricas. Organizar a produção em série de turbinas de gás fixas e móveis, assim como a de grupos eletrogêneos movidos à base de turbinas à gás.

Organizar a base experimental para os trabalhos de pesquisa científica, com o objetivo de criar equipamento elétrico para corrente alternada de mais de 400 mil volts de tensão; assegurar a fabricação de equipamentos e aparelhos elétricos para as linhas de corrente contínua de alta tensão.

Organizar a produção de grandes fornos elétricos, de uma capacidade até 180 toneladas, para a fundição de aço com mistura eletromagnética do metal, e de fornos elétricos com a parte superior fechada para a fundição de ligas de ferro.

Organizar a produção de retificadores de corrente à base de semicondutores e de novos materiais isolantes sintéticos para o equipamento elétrico. Ampliar consideravelmente o emprego de isolantes de silício e de vidro.

Acelerar a ampliação da base de produção de novos tipos modernos de aparelhos de alta tensão, de potentes retificadores de alta tensão e retificadores para a eletrificação do transporte, para a siderurgia e a metalurgia não ferrosa e para outros ramos da economia nacional.

Desenvolver ao máximo a indústria radiotécnica e de construção de aparelhos, especialmente a produção de aparelhos para controlar e regular os processos tecnológicos. Aumentar durante o quinquênio aproximadamente em 3,5 vezes a fabricação de aparelhos e meios de automatização (em 4 vezes a de aparelhos para o controle e a regulação automática dos processos tecnológicos, em 4,5 vezes a de máquinas de calcular e calculadoras-analíticas, em 3,6 vezes a de aparelhos elétricos de medição, em 3 vezes a de aparelhos óticos-mecânicos). Aumentar a variedade e triplicar no mínimo a produção de aparelhos radio-técnicos de medição. Aumentar 2,6 vezes a produção de aparelhos elétricos de vácuo.

Desenvolver a base para os trabalhos de pesquisa científica e de laboratório na indústria de construção de aparelhos, na radiotécnica e na eletrônica e melhorar consideravelmente seu equipamento técnico. Intensificar os trabalhos de projeção e fabricação de máquinas calculadoras automáticas e de rápido funcionamento para resolver complicados problemas matemáticos, e de máquinas calculadoras matemáticas para automatizar a direção dos processos de produção. Elevar a exatidão e melhorar a qualidade dos aparelhos fabricados. Assegurar a elaboração de novos meios de automatização, baseados na utilização das últimas conquistas da física, da eletrônica e da radiotécnica. Desenvolver em larga escala os trabalhos de pesquisa científica em matéria de aparelhos construídos à base de semicondutores e ampliar sua aplicação prática.

Aumentar em fins do quinquênio para 10-15 vezes a produção de lâmpadas fluorescentes e elevar a 100 milhões de unidades a fabricação anual de lâmpadas de criptônio.

Ampliar a produção de aparelhos para as linhas de teletipo e para as linhas de cabo com grande número de canais; a de aparelhos para a automatização dos processos de comunicações, para as comunicações por rádio e telegráficas, assim como a de centrais telefônicas automáticas.

Com o fim de ampliar a base de produção de aparelhos de aplicação industrial geral, construir e pôr em funcionamento durante o sexto quinquênio 32 fábricas de aparelhos.

Na indústria de maquinaria de transporte: desenvolver a fabricação de locomotivas elétricas e de locomotivas Diesel e suspender a de locomotivas a vapor para as grandes linhas criar locomotivas de propulsão à turbina de gás. Organizar a produção em série de novos e potentes motores Diesel para locomotivas, navios e instalações fixas. Organizar a produção em série de locomotivas elétricas para as grandes linhas alimentadas pela rede de corrente alternada de frequência industrial. Projetar e executar a fabricação de vagões de mercadorias; de vagões-bandeja e de vagões basculantes universais com uma capacidade de carga de 90 a 100 toneladas, assim como de vagões para transportar cimento. Assegurar a produção em proporções consideráveis de novas locomotivas e vagões sobre rolamentos e de vagões de passageiros com instalações de ar condicionado.

Na indústria automobilística: elevar quantitativamente a produção de caminhões em cerca de 32% (pela capacidade total de carga em 45%, a de ônibus em 88% e a de automóveis de turismo em 86%; a de reboques de automóveis e de trator em 4,3 vezes, e a de peças sobressalentes para automóveis em 2,2 vezes. Substituir os modelos antiquados de automóveis, ônibus e motores por novos modelos com índice mais elevado de aproveitamento. Organizar a produção de caminhões basculantes com uma capacidade de carga de 40 a 50 toneladas. Aumentar a produção de automóveis para todos os terrenos, de caminhões especiais, de reboques e semi-reboques de automóvel, aperfeiçoados para diversas aplicações.

Na indústria de construção de tratores e máquinas agrícolas: aumentar a fabricação de tratores, destinados ao trabalho de monda aproximadamente 2,7 vezes, melhorar os índices técnico-econômicos dos tratores, projetar e organizar a produção de novos tipos de tratores de lagarta, de tratores de roda e de carros automotores mais econômicos e que requeiram menor quantidade de metal.

Assegurar a produção de tratores dotados de mecanismos hidráulicos e organizar a fabricação de tratores de 140 e 250 HP para as necessidades da indústria, da construção e da agricultura.

Desenvolver a produção de máquinas agrícolas para a mecanização múltipla dos trabalhos no cultivo de plantas, na pecuária e em outros ramos da agricultura, adaptadas às condições das diversas zonas agrícolas do país; assegurar a execução e a introdução na produção de uma grande variedade de máquinas e instrumentos agrícolas portáteis e semiportáteis para os tratores, a fim de passar, no fundamental, durante o quinquênio, à produção de máquinas e instrumentos portáteis e semiportáteis e introduzir, na construção das máquinas com reboques, mecanismos que permitam ao próprio tratorista manejá-las.

Ampliar consideravelmente a produção de máquinas para a colheita diversificada dos cereais: segadoras de fileiras (windrowers), assim como de recolhedores de palha para as segadoras-debulhadoras.

Aumentar a produção de máquinas e instrumentos para mecanizar nas granjas pecuárias os trabalhos que exigem muita mão-de-obra, aumentar a produção de recolhedoras-prensadoras e recolhedoras-empilhadoras e de outras máquinas para a preparação do feno, de máquinas distribuidoras de adubo, máquinas para o vasto emprego de meios de luta contra as ervas daninhas e os parasitas da agricultura, assim como mecanismos de carga e descarga.

Introduzir na produção novos tipos de segadoras-debulhadoras de tração, automotrizes e de secção direta, sobretudo para a colheita das culturas de palha larga e de alto rendimento, para o trabalho nas regiões de elevado grau de umidade, assim como máquinas para recolher o milho, algodão, batata, e outras máquinas agrícolas.

Nos ramos da indústria de construção de maquinaria geral: ampliar consideravelmente a fabricação de equipamento de alto rendimento para a indústria química. Organizar a produção de instalações de oxigênio para a siderurgia, com uma potência de 10.000 a 30.000 metros cúbicos por hora.

Organizar a fabricação de novo equipamento tecnológico de alto rendimento para as indústrias produtoras de aparelhos elétricos de vácuo, de cabos, eletrotécnica e de papel; organizar para as indústrias têxtil e leve a fabricação de novos teares automáticos, de máquinas combinadas para o beneficiamento contínuo dos tecidos, de grupos de máquinas combinadas para a produção de fibra e couros artificiais e de outras máquinas que funcionem a maiores velocidades. Aumentar a produção de novos tipos de máquinas automáticas para a indústria da alimentação, de refrigeradores e equipamentos para mecanizar a limpeza do pescado nos barcos e nas fábricas de conservas.

Desenvolver consideravelmente a indústria de maquinaria para a construção, pontes e estradas. Triplicar, aproximadamente, a fabricação de escavadoras, aumentar em 4 vezes a de niveladoras automotrizes, em 5 vezes a de equipamento completo para a preparação de peças de cimento armado e em 10 vezes a de equipamento destinado à produção de grandes blocos de parede e de grandes blocos de concreto armado. Ampliar a produção de equipamento completo de grande rendimento para a indústria do cimento e para fábricas automáticas de cimento, assim como a de instrumentos mecânicos para a construção.

Na indústria de construções navais: elevar em mais de 30% durante o quinquênio a construção de navios mercantes e de navios-tanques e aproximadamente em 3,9 vezes a de barcos para pesca e para recepção e transporte do pescado. Aumentar consideravelmente a velocidade e a capacidade de carga dos navios mercantes. Assegurar a construção de navios mercantes modernos, com uma capacidade de carga de 5.000 a 10.000 toneladas, de navios-tanques com uma capacidade de carga de 20.000 a 25.000 toneladas, de rebocadores com uma potência de 1.200 a 2.200 HP para rios e lagos, de paquetes de 600 a 1.200 HP, de navios baleeiros rápidos, assim como de grandes barcos servindo de base para a caça à baleia, de barcos de rede com porões refrigerados, de barcos que sirvam de bases para a pesca do arenque, de navios de passageiros e para o transporte de madeira. Organizar a construção em grandes séries de navios com instalações para o congelamento do pescado e com sistema de refrigeração nos porões, e ampliar a construção de barcos em concreto armado.

17. Na indústria de materiais de construção: considerar como principal tarefa o amplo desenvolvimento da produção de materiais e artigos pré-fabricados que facilitem um alto índice de montagem, assim como o melhoramento da qualidade e a redução dos custos da construção, e, para isso, estipular um elevado desenvolvimento da produção de cimento, peças pré-fabricadas de concreto armado e blocos de parede pré-fabricados, tabiques, instalações técnico-sanitárias e materiais para revestimento. Aumentar em 1960, em relação a 1955, a fabricação de armações e peças pré-fabricadas de concreto armado em cerca de 5,8 vezes; a de cal em 2,1 vezes; a de coberturas leves em 1,9 vezes; a de materiais para paredes em 2,4 vezes, e a de materiais de construção não provenientes de pedreiras em 1,8 vezes.

Ampliar a produção de cimento de secamento rápido de alta qualidade. Assegurar o aumento da produtividade das fábricas de peças de concreto armado, mediante a especialização de empresas e o aperfeiçoamento dos processos de produção. Organizar a fabricação maciça de blocos e peças pré-fabricadas em concreto delgado, oco e armação resistente de tubos de concreto armado. Organizar a produção de materiais de construção à base de matérias-primas trituradas nas betoneiras de vibração. Elevar consideravelmente a qualidade dos materiais para paredes e para revestimento, das ardósias, das coberturas leves de vidro plano e das instalações técnico-sanitárias.

Liquidar o atraso na extração e transformação de pedra, cascalho, saibro e areia. Construir grandes fábricas distritais de trituração e classificação do cascalho, introduzir o beneficiamento e o fracionamento dos materiais de construção não provenientes das pedreiras e reduzir seu custo.

Com o fim de satisfazer de modo mais completo as necessidades dos colcoses em materiais de construção locais, recomendar-lhes que desenvolvam eles próprios, nas proporções necessárias, a produção de materiais para paredes, telhas, cal, chapas de junco prensado e outros materiais de construção locais.

18. Assegurar o constante desenvolvimento da indústria florestal. Aumentar em cerca de 42%, durante o quinquênio, a extração de madeira de aproveitamento industrial nas empresas dependentes do Ministério da Indústria Florestal da URSS e, para isso, pôr em funcionamento equipamento permitindo extrair 82 milhões de metros cúbicos e reforçar o ritmo de desenvolvimento das empresas de corte de madeiras e da construção de serrarias nas zonas florestais. Pôr em funcionamento, em 1956-1960, um potencial de produção representando 16,5 milhões de metros cúbicos de madeira serrada. Reorganizar as fazendas florestais de estação como empresas permanentes com quadro fixo de operários. Melhorar consideravelmente a utilização do equipamento na indústria florestal e equipá-la com máquinas e mecanismos mais produtivos.

19. Prever um considerável aumento da indústria do papel e da indústria de madeira. Aumentar em cerca de 60% a produção de papel de impressão e em 51% a de papel jornal, em 2,8 vezes a de papelão e em 2,3 vezes a de álcool metílico e sulfítico. Ampliar a produção de papel fino para impressão e de papel para embalagem, desenvolver a fabricação de novas espécies de papel e de papelão para embalagem. Introduzir métodos modernos de produção da celulose e da semicelulose e de hidrólise da madeira.

Construir novas fábricas de celulose e de papelão à base da utilização do junco como matéria-prima.

Aumentar a utilização de madeira de espécies foliáceas e dos resíduos de madeira das serrarias, da indústria madeireira e das empresas florestais para fabricar produtos das indústrias de celulose e de papel, da indústria químico-madeireira e hidrolítica, chapas de madeira e fibra, peças para a construção e chapas de madeira prensada.

20. Na indústria leve garantir o contínuo aumento da produção de artigos industriais de amplo consumo e assegurar uma considerável melhoria de sua qualidade, variedade e apresentação.

Aumentar a produção de tecidos felpudos, de tecidos mesclados, de tecidos tardados de lã pura, tecidos jacquard, tecidos de fibras sintéticas para trajes e vestidos, meias de alta qualidade, roupa interior de malha de seda, roupa de malha de pura lã e semilã, artigos de confecção e sapatos de diversos modelos.

Organizar em grande escala a produção de fibras artificiais e aumentar sua fabricação em 1960 para 330.000 toneladas (incluídas 44.000 toneladas de fibras sintéticas de tipo caprou, clorine, anide, lavsan e nitron), ou seja, 5 vezes mais do que em 1955. Assegurar em 1960 a fabricação de 5.0Ó0 toneladas de fibra de vidro e de 51 milhões de metros quadrados de couro artificial.

Ampliar os trabalhos de pesquisa científica no domínio da produção e elaboração de fibras artificiais, em particular de fibras sintéticas, assim como na elaboração de processos tecnológicos econômicos que reduzam o processo de produção e o gasto de matérias-primas. Diminuir consideravelmente as perdas de matérias-primas nas empresas da indústria têxtil e leve.

Pôr em funcionamento em 1956-1960, pela realização de obras básicas, cerca de 3.166.000 fusos, 95.000 teares e potencial para produzir 255.000 toneladas de fibra artificial e 85 milhões de pares de calçados.

21. Na indústria de alimentação: prever o constante crescimento da produção de comestíveis, correspondendo aos crescentes recursos de matérias-primas agrícolas, assim como a melhoria da qualidade da produção, a ampliação da variedade e o emprego de melhores métodos de embalagem e empacotamento que assegurem a conservação da qualidade dos artigos alimentícios.

Aumentar em 56% a produção de manteiga, e em 2,7 vezes a de produtos lácteos.

Com o fim de obter maior quantidade de açúcar e azeite, assegurar em 1956-1960 a aplicação em grande escala dos métodos de extração de açúcar do melaço da beterraba por separadores centrífugos, assim como o método de extração de óleo das sementes oleaginosas com a ajuda de dissolventes.

Para assegurar um desenvolvimento mais amplo da pesca ativa em alto mar, continuar dotando de grandes barcos modernos a indústria pesqueira. Equipar os barcos de pesca e os barcos vigias de aparelhos de radionavegação e hidroacústicos, assim como de equipamentos mais modernos para mecanizar a pesca e o acondicionamento do pescado. Dotar a indústria pesqueira de barcos com redes, munidos de frigoríficos e instalações para a limpeza do pescado, que permitam acondicioná-lo a' bordo e descarregá-lo nos portos pronto para o consumo.

Com o objetivo de conservar e aumentar as reservas do pescado nas águas do país, levar a cabo um considerável trabalho visando melhorar as condições naturais de reprodução das reservas do pescado e continuar desenvolvendo em grande escala a criação e aclimatação das variedades mais preciosas da piscicultura industrial.

Assegurar uma redução considerável das perdas de matérias-primas e de produtos, fabricados em todos os ramos da indústria de alimentação.

Pôr em funcionamento durante o quinquênio, através de obras básicas, novo potencial com a seguinte capacidade aproximada de produção: para a transformação de 708.000 quintais de beterraba açucareira e 2.335 toneladas de sementes oleaginosas por dia; para a elaboração de 957.000.000 de latas de conservas vegetais e de frutas e 300.000.000 de latas de conservas do pescado por ano; para a produção de 2.279 toneladas de carne, 313.000 latas de carne em conserva e 379.000 latas de conservas lácteas por dia e para a transformação de 2.350 toneladas de leite em queijo e manteiga por dia.

                             II. Na mecanização e automatização dos processos de produção

1. A fim de assegurar o constante progresso técnico, a elevação da produtividade e facilitar as condições de trabalho, acelerar consideravelmente o ritmo de mecanização dos trabalhos e automatizar em larga escala os processos de produção na indústria:

Realizar em grandes proporções e em todos os ramos da indústria a mecanização múltipla dos trabalhos básicos e auxiliares. Dedicar especial atenção à mecanização múltipla dos trabalhos de carga e descarga.

Passar da automatização de máquinas combinadas e de operações simples à de fábricas e processos tecnológicos e à criação de empresas totalmente automatizadas. Assegurar que continue difundindo-se o telecomando dos equipamentos e a telemecanização do controle e da direção nos sistemas energéticos, explorações petrolíferas e outros ramos da produção.

2. Em ligação com as medidas projetadas para o amplo desenvolvimento da mecanização e da automatização múltiplas dos processos de produção, realizar simultaneamente os trabalhos necessários para aperfeiçoar os processos tecnológicos e melhorar a organização da produção. Com isso, aumentar consideravelmente o coeficiente dos métodos contínuos e em cadeia de produção, visando facilitar as operações até alcançar nesse aspecto o nível das melhores realizações da técnica nacional e estrangeira. Assegurar à indústria os meios de mecanização e automatização e os aparelhos necessários; melhorar seriamente a utilização do equipamento e dos mecanismos existentes.

3. Prever as seguintes tarefas fundamentais, no que concerne à mecanização e automatização dos processos de produção, segundo os ramos industriais:

Na siderurgia: realizar em consideráveis proporções a automatização do manejo dos fornos Martin, a mecanização e automatização múltipla dos processos tecnológicos na produção de laminados, coque, materiais refratários e artigos metálicos e iniciar a automatização múltipla do manejo dos altos fornos. Automatizar, no mínimo, 40 trens de laminação e de laminação de tubos existentes. Passar à direção centralizada do transporte subterrâneo e à teledireção das máquinas e mecanismos fundamentais nos trabalhos do subsolo e de superfície das grandes minas de ferro e de manganês; introduzir a automatização múltipla dos processos de produção nas empresas de beneficiamento da indústria siderúrgica.

Na metalurgia não ferrosa: terminar a automatização dos fornos de reflexão e refinamento da indústria do cobre; automatizar os fornos de poço de mina e de chaminé nas indústrias do chumbo e do zinco, do níquel e de metais raros; introduzir nas grandes empresas de beneficiamento a automatização múltipla dos processos de trituração, pulverização e flutuação e realizar também nas principais minas da metalurgia não ferrosa a automatização do controle dos processos de produção e a teledireção dos processos de coleta e transporte do mineral e do funcionamento dos elevadores de carga e cubas e instalações auxiliares.

Na indústria carbonífera: a fim de realizar a mecanização múltipla da extração do carvão, mecanizar amplamente o deslocamento dos sistemas de sustentação nas galerias e de deslocamento dos comboios nas galerias de evacuação, assegurar o constante desenvolvimento da mecanização do transporte do carvão obtido nas camadas leves e fortemente inclinadas, terminando-a primeiramente nas bacias do Donetz, Kuznetsk e de Karagandá. Terminar a mecanização do transporte de carvão e de rochas durante os trabalhos de abertura de galerias. Assegurar a ampliação máxima da automatização e teledireção de máquinas e mecanismos nos trabalhos subterrâneos, na superfície das minas e nas empresas de beneficiamento. Realizar a mecanização múltipla dos trabalhos nas minas de carvão a céu aberto com a utilização de potente equipamento. Elevar consideravelmente o coeficiente das armações metálicas e de concreto armado na sustentação das minas e reduzir o gasto de madeira na sustentação.

Finalizar os trabalhos de mecanização múltipla da extração de turfa com frezadoras e os de mecanização de sua extração, secamento, coleta e transporte em blocos, dos trabalhos de transporte e dos trabalhos preparatórios e auxiliares nos pântanos.

Na indústria do petróleo: mecanizar e automatizar em grande escala as operações de descenso e elevação na perfuração dos poços de petróleo: terminar a automatização da extração e do transporte do petróleo; introduzir amplamente o controle e direção automáticos dos processos nas refinarias de petróleo existentes e a automatização múltipla nas que estão em construção. Realizar parcialmente o telecontrôle e a direção centralizada dos poços de petróleo, dos poços auxiliares de. água e dos oleogasodutos. Mecanizar a montagem de torres de extração e empregar instalações desmontáveis e móveis nos trabalhos de prospecção.

Nas centrais elétricas: terminar os trabalhos para introduzir a direção telemecânica nas centrais hidrelétricas; passar no curso de dois ou três anos ao método de teledireção nos principais sistemas energéticos e nas grandes subestações. Prever a automatização múltipla da direção em todas as centrais termo-elétricas cuja construção tenha início no curso do sexto quinquênio.

Na indústria de maquinaria: ampliar consideravelmente a mecanização e automatização dos processos de produção, sobretudo na fundição e nos trabalhos de forja e prensa. Automatizar inteiramente os regimes de temperatura dos fornos térmicos na produção maciça em série; criar oficinas amplamente mecanizadas de fundição à base de moldes fundíveis. Pôr em funcionamento no sexto quinquênio não menos de 220 linhas de máquinas e oficinas automáticas e semi-automáticas.

Na indústria eletrotécnica: introduzir a automatização da montagem dos motores elétricos e a mecanização dos trabalhos de produção de cabos.

Na indústria radiotécnica: assegurar a ampla mecanização e automatização da produção de peças correntes para aparelhos de rádio e aparelhos de vácuo.

Na indústria química: iniciar a automatização múltipla de oficinas e fábricas, em primeiro lugar das fábricas de ácido sulfúrico e ácido nítrico e de soda calcinada; construir e pôr em funcionamento uma oficina automatizada para a produção de ácido sulfúrico.

Na construção: terminar no fundamental a mecanização múltipla dos trabalhos de terraplanagem, carga e descarga e os de montagem de construções: desenvolver ao máximo a mecanização múltipla dos trabalhos de revestimentos e outros.

Na indústria de materiais de construção: realizar a mecanização múltipla dos trabalhos de extração dos materiais de construção não-provenientes de pedreiras. Introduzir em grande escala a automatização dos processos tecnológicos de produção na indústria do cimento, a mecanização em cadeia,'dos processos de produção da ardósia, de artigos de cerâmica, de radiadores, instalações técnico-sanitárias e outros artigos.

Na indústria florestal: terminar a mecanização múltipla dos trabalhos florestais básicos e mecanizar amplamente os auxiliares; transferir a maior parte dos trabalhos de desbaste e corte de troncos, trabalhos pesados e que requerem muita mão-de-obra, dos lugares de corte para os depósitos terminais dos caminhos e para as bases de transporte da madeira; realizar em grande escala-a mecanização múltipla dos trabalhos nos depósitos terminais. Empregar no transporte de madeira tratores e caminhões de grande tonelagem e para qualquer terreno. Criar em todas as empresas madeireiras uma base energética estável, mediante a construção de centrais elétricas que funcionem à base das sobras de madeira.

Na indústria do papel e na indústria da madeira: automatizar os processos tecnológicos fundamentais da produção de celulose e papel e da produção hidrolítica; realizar a automatização múltipla das seções e oficinas desse setor; criar e introduzir linhas automáticas e semi-automáticas na produção de móveis.

Na indústria têxtil: elevar durante o quinquênio o parque de teares automáticos em 60%, aproximadamente, em relação à cifra global de teares; introduzir métodos de acabamento dos tecidos mediante linhas em cadeia e direção automática dos processos de produção, assim como a mecanização múltipla dos trabalhos que absorvem muita mão-de-obra nas empresas têxteis; terminar a mecanização dos trabalhos pesados e que exigem muita mão-de-obra nas empresas de debulha do algodão e em seus centros de estocagem.

Na indústria do couro e dos calçados: assegurar a constante diminuição das operações manuais e introduzir linhas automáticas e semi-automáticas para o beneficiamento da matéria-prima e a fabricação de calçados.

Na indústria de alimentação: ampliar a mecanização múltipla da pesca e acondicionamento do pescado e assegurar a passagem de todas as fábricas de conservas à mecanização da recepção e limpeza do pescado, introduzir não menos de 600 linhas automáticas para a transformação do pescado.

Instalar não menos de 400 linhas automáticas e semi-automáticas em cadeia, para a produção de artigos de confeitaria e padaria.

Terminar a passagem dos frigoríficos grandes e médios ao método mecânico de cadeia de transformação das reses, para o qual serão instaladas durante o quinquênio 400 linhas contínuas. Instalar 1.500 linhas automáticas em cadeia para a produção de manteiga.

4. Considerar necessária a elaboração de um plano de perspectiva de automatização dos processos de produção em todos os ramos da indústria, com o objetivo de coordenar os trabalhos nesse sentido e assegurar às empresas industriais os aparelhos e instalações indispensáveis à automatização.

                               III. Na especialização e na cooperação da indústria

1. A fim de acelerar o ritmo de aumento da produtividade do trabalho social, reduzir os gastos de produção e melhorar a qualidade desta, assegurar no sexto quinquênio a ampliação da especialização e da cooperação industrial, organizando nas empresas especializadas a produção maciça em cadeia. Assegurar nas empresas especializadas a produção, segundo a tecnologia mais moderna, de peças, de grupos de peças e artigos estandardizados e unificados. Efetuar uma distribuição racional dos ramos, das empresas e da produção de peças, grupos de peças e artigos entre os ministérios e as diversas empresas.

Criar empresas especializadas nas diferentes regiões econômicas do país, prevendo a cooperação das empresas nos limites das regiões econômicas e dos grandes centros industriais.

2. Com o objetivo de abastecer de ferro fundido e aço as empresas industriais, estipular que durante o sexto quinquênio sejam construídas 23 fundições especializadas, dotadas de maquinaria mais moderna, com uma capacidade total de 1.500.000 toneladas anuais, e várias oficinas de fundição especializadas, das quais:

  • nas zonas do Centro, não menos de três empresas de fundição com uma capacidade total de 110.000 toneladas por ano e uma oficina especializada com uma capacidade de 40.000 toneladas anuais, na fábrica de peças de substituição para tratores de Cheboksari;
  • nos Urais, quatro empresas de fundição, com uma capacidade total de 200.000 toneladas de lingotes anuais;
  • nas regiões da Sibéria Ocidental e Oriental, seis empresas de fundição especializadas, com uma capacidade total de 400.000 toneladas anuais;
  • nas regiões do Kazaquistão, três empresas, das quais duas podendo produzir anualmente 45.000 toneladas de aço e ferro fundido, na fábrica de equipamentos para laminação de Petropávlovsk, atualmente em construção, a outra com capacidade de 150.000 toneladas andais, na fábrica de segadoras-debulha-doras de Pavlodar, também em construção;
  • nas regiões do Sul, uma empresa especializada de fundição de aço, com uma capacidade de 70.000 toneladas anuais, em Krementchug.

Além disso, organizar de 1956 a 1958 emprêsas-bases regionais de fundição de aço, ferro e alumínio, assim como seções para a produção de modelos de forja empregando a estampagem e a cunhagem, assim como a estampagem semi-líquida, e criar em 13 fábricas oficinas especializadas de fundição, à pressão e de fundição de aço termo-resistente e de precisão.

Construir grandes empresas especializadas de fundição e de prensa e forja, de maneira que o desenvolvimento do potencial de produção de fundição e de modelos forjados e estancados seja superior ao crescimento do potencial das oficinas-mecânicas das fábricas de maquinaria.

3. A fim de abastecer a economia nacional de grandes modelos forjados e de tipo único para a fabricação de potentes turbinas, geradores, trens de laminação, máquinas de triturar e moer e outros equipamentos, construir durante o quinquênio uma empresa de prensa e forja, com uma capacidade de 120.000 toneladas de bilhetes forjados por ano, nos Urais, e duas oficinas de prensa e forja, com uma capacidade total de 95.000 toneladas de bilhetes forjados por ano, na fábrica de segadoras-debulhadoras de Pavlodar e na fábrica de equipamentos para laminação de Petropávlovsk, ambas em construção.

4. Proibir a construção de pequenas empresas de fundição e de prensa e forja nas fábricas de maquinaria encravadas nas regiões onde existem ou se constroem fábricas e empresas especializadas de fundição e de prensa e forja.

Com o objetivo de dotar de equipamentos mais modernos as fábricas e empresas de fundição e de prensa e forja, construir em diferentes regiões do país novas fábricas de equipamentos para fundição e fábricas de meios de mecanização destinados às oficinas de fundição e de prensa e forja.

5. Satisfazer plenamente as necessidades de ferramentas standard das empresas industriais, criando durante o quinquênio o potencial necessário para produzir essas ferramentas em fábricas e oficinas especializadas.

6. Elevar a 90%, aproximadamente, em 1960, a produção de peças de substituição para tratores e máquinas agrícolas em empresas e fábricas especializadas. Introduzir amplamente o método de reparação de automóveis à base de blocos e peças produzidas em fábricas especializadas.

Aumentar em não menos de 4 vezes, nas empresas especializadas, a produção de peças de substituição destinadas às máquinas da indústria de construções.

7. Construir novas fábricas especializadas de tornos para o corte de metais e de máquinas para trabalhar madeira, entre elas fábricas produtoras de linhas automáticas e máquinas especiais e combinadas em Minsk, Tomsk, Kostroma e Vologdá. Aumentar em cerca de 10 vezes durante o quinquênio a produção de dispositivos e acessórios diversos nas fábricas especializadas.

Prever a construção na Sibéria Ocidental e Oriental de seis fábricas especializadas de pinhões, eixos esfriados, eixos cardan, motores, rodas e radiadores de automóvel. Construir e pôr em funcionamento na indústria metalúrgica oficinas especializadas na fabricação de artigos metálicos e de junções de diversos tipos para tubos de alta qualidade.

8. Organizar, nas diversas regiões econômicas do país, empresas e oficinas especializadas na produção de eletrodos, dos artigos mais comuns de borracha, plásticos e madeira, de materiais de junção, a fim de cobrir as necessidades das empresas industriais da respectiva região, independentemente de sua subordinação ministerial.

9. Construir não menos de 15 serrarias e marcenarias especializadas, com uma capacidade total de 4.500.000 metros cúbicos de madeira serrada, que abasteçam de peças pré-fabricadas as indústrias automobilísticas, de máquinas agrícolas e de vagões, assim como as fábricas de móveis.

10. Considerar necessária a elaboração de um plano a longo prazo para a especialização e a cooperação da indústria nas regiões econômicas e nos grandes centros industriais do país.

                                                              IV. Na agricultura

1 Assegurar um ascenso vertical da agricultura e da pecuária. Elevar em 1960 a colheita total de cereais a 180 milhões de toneladas (11 bilhões de puds). Aumentar no quinquênio a produção global de culturas industriais, batata, hortaliças e produtos pecuários nas seguintes proporções.

                            

2. Elevar sistematicamente a qualidade dos métodos de produção agropecuária à base de uma ampla utilização das conquistas da ciência agronômica e da experiência de vanguarda, introduzir as culturas e variedades de plantas e a criação das espécies e raças de gado mais produtivos nas condições de cada lugar; harmonizar racionalmente em colcoses e sovcoses os diversos ramos da agricultura.

Assegurar a adequada distribuição econômica dos diferentes ramos agrícolas e a especialização da agricultura e da pecuária por regiões, tendo em conta as condições naturais e econômicas de cada uma, e, nos limites de cada região, as de cada colcós e sovcós, para obter uma elevação vertical da produção por cada 100 hectares de terra, com um gasto mínimo de trabalho e de recursos.

3. Melhorar ao máximo a agrotécnica, empregar em vasta escala os processos de semeadura e plantação quadrangular e quadrangular em fileiras do algodão, do girassol, do milho e outras culturas que requerem monda; introduzir a mecanização múltipla dos trabalhos de cultivo e de colheita dessas plantações.

Liquidar o atraso no cultivo de sementes, organizar a acelerada obtenção e cultivo de novas variedades de plantas de mais elevada produtividade, de espécies de algodão de grande rendimento, de espécies de beterraba açucareira de alto índice sacarífero e de espécies de girassol precoces e ricas em substâncias oleaginosas.

Melhorar a utilização de adubos minerais e de adubos locais: estéreo, turfa, fertilizantes orgânicos compostos, cinza. Ampliar a extração industrial de turfa para a agricultura. Aumentar consideravelmente a produção de adubos bacteriológicos, assegurar a fabricação de fertilizantes nitrogenados iíquiaos. Organizar a produção industrial de cal em proporções que cubram as necessidades da agricultura.

4. A fim de continuar aumentando as culturas cerealíferas, elevar em 1956 a superfície semeada nas terras virgens e baldias a não menos de 30 milhões de hectares e continuar trabalhando estas terras, que não exigem grandes inversões básicas e nas quais se podem obter colheitas abundantes e estáveis, nas regiões aa bibena, dos Urais, do Extremo Oriente, do Volga, do Kazaquistao, a região de terras não negras e outras regiões do pais. Elevar consideravelmente o rendimento dos cereais e passar em toda parte, durante os próximos anos, ao emprego de sementes selecionadas por regiões das culturas cereameras de maior rendimento e mais valiosa qualidade. Introduzir o milho como cultura de maior rendimento e elevar para 1960 a sua área de semeadura nos colcoses e sovcoses a não menos de 28 milhões de hectares. Organizar em larga escala a produção de sementes híbridas de milho, sobretudo nos sovcoses, como também nas estações de seleção e nos colcoses.

Reduzir consideravelmente as perdas de grão durante a colheita e o armazenamento; efetuar a colheita das culturas cereauíeras em não mais de 10 jornadas de trabalho na parte européia do país e em 7 ou 8 jornadas nas regiões da Sibéria e do Extremo Oriente.

Na luta contra as perdas durante a colheita, prestar atenção especial à larga introdução da colheita precoce dos cereais.

5. Assegurar a sucessiva elevação do rendimento do algodão, dedicando particular atenção a isso nos colcoses algodoeiros atrasados e à extensão da semeadura dessa cultura nas terras irrigadas, mediante o trabalho de terras não utilizadas que têm rede de irrigação e de novas terras que serão irrigadas.

Elevar consideravelmente o rendimento e ampliar a área de semeadura do linho, aumentar o coeficiente mercantil e melhorar consideravelmente a qualidade da produção de linho e cânhamo, liquidar as perdas e passar em proporções mais amplas ao beneficiamento industrial do caule do linho e do cânhamo.

Aumentar o rendimento e ampliar a superfície de semeadura da beterraba açucareira nas regiões fundamentais de sua cultura, e, sobretudo, na RSS da Ucrânia e nas regiões da RSFSR, da RSS da Bielorússia, da RSS da Lituânia e da RSS da Letônia, que reúnem condições favoráveis para a cultura de beterraba açucareira.

6. Com o objetivo de satisfazer as crescentes necessidades de produtos lácteos e hortaliças por parte da população urbana, ampliar as regiões produtoras de leite e hortaliças existentes em torno das grandes cidades e centros industriais e criar outras novas. Organizar nessas regiões novos sovcoses e, nos casos necessários, especializar na produção de leite, batatas e hortaliças, os sovcoses suburbanos existentes. Ampliar a construção de invernadeiros e estufas, empregando para isso, em grande escala, os resíduos térmicos das empresas industriais e das centrais elétricas. Aumentar nos colcoses e sovcoses das zonas suburbanas a produção de espécies precoces de batatas e hortaliças.

7. Aumentar a colheita de frutas, bagas e uva durante o sexto quinquênio em não menos de 1,5—2 vezes, em relação ao quinto quinquênio. Aumentar a rede de viveiros de árvores frutíferas e videira e assegurar que se obtenham em proporções consideráveis as melhores variedades de culturas de árvores frutíferas e videira. Desenvolver ao máximo a fruticultura coletiva entre os operários e empregados e a cultura de árvores frutíferas pelos colcosianos em suas parcelas individuais.

8. Aumentar consideravelmente a sericicultura, sobretudo na RSS do Uzbequistão, na RSS da Turkmênia, na RSS, da Tadjikia, na RSS da Ucrânia, na RSS da Moldávia e na RSS do Azerbaidjão. Elevar em 1960 a produção de casulos de bicho da seda a 38.000 toneladas.

9. Desenvolver ao máximo a criação de gado coletiva dos colcosianos e a criação nos sovcoses. Aumentar a produção de carne, sobretudo através do aumento da criação de porcos, por ser a mais rápida; elevar em 50% o peso específico da carne de porco no volume global da produção de carne do país, aproveitando para esse fim as vantagens da engorda dos porcos para carne e toucinho.

Desenvolver a criação para obtenção de carne nos colcoses e sovcoses das regiões das estepes inferiores do Kazaquistão, Sibéria, Baixo Volga e do Cáucaso do Norte e nas regiões do Extremo Oriente que possuem uma base forrageira natural. Organizar a criação e a engorda de gado bovino em fazendas criadas especialmente com esse objetivo.

Incrementar a produção de leite, sobretudo mediante uma elevação considerável da quantidade de leite obtida por cada vaca, assim como aumentando o número de vacas nos rebanhos de gado vacum.

Recomendar aos colcoses de economia cerealífera desenvolvida, que ampliem as granjas avícolas existentes ou criem outras maiores e, nas regiões com numerosos cursos d'água, aumentem o número de aves aquáticas.

Assegurar o constante desenvolvimento da criação de ovelhas merinas e semimerinas nas regiões tradicionais de criação de gado lanígero da RSFSR. e da RSS da Ucrânia e desenvolver ao máximo a criação de ovelhas merinas e semimerinas nas regiões da Sibéria Oriental, da RSS do Kazaquistão, da RSS da Kirguizia, da RSS do Azerbaidjão, da RSS da Geórgia e da RSS da Armênia. Utilizar mais amplamente as possibilidades de desenvolvimento da criação de ovelhas merinas e semimerinas na RSS do Uzbequistão, na RSS da Tadjikia e na RSS da Turkmênia. Aumentar a criação de ovelhas fornecedoras de carne e lã nas regiões do Noroeste e do Centro do país e a criação de ovelhas para a obtenção de pele de caracul, de outras peles, carne e óleo nas zonas onde se acha estendida. Elevar em não menos de 27% a produção média de lã por ovelha nos colcoses e sovcoses.

10. Aumentar verticalmente a produção de forragem nos colcoses e sovcoses, com o objetivo de assegurar as rações necessárias para todas as espécies de gado e aves, assim como o fornecimento de forragem pelos colcoses para o gado de propriedade pessoal dos colcosianos e a criação de estoques forrageiros, para casos de emergência, nos colcoses e sovcoses.

Desenvolver a semeadura de ervas forrageiras nas regiões onde as ervas perenes e anuais dão abundantes colheitas, prestando especial atenção à extensão das superfícies consagradas ao trevo e ao aumento de seu rendimento nas regiões de terras não negras, da mesma forma que a de alfaia nas regiões da Ásia Central, do Sul do Kasaquistão e na Transcaucásia.

Criar na RSS da Letônia, na RSS da Lituânia, na RSS da Estônia e nas regiões do Noroeste da RSFSR pastagens permanentes à base da cultura de ervas perenes. Realizar em grandes proporções trabalhos de melhoramento dos prados e pastagens naturais. Assegurar o desenvolvimento da indústria de rações combinadas, multiplicando sua produção por três ou quatro vezes.

11. Aumentar durante o quinquênio a superfície de terras irrigadas em 2,1 milhões de hectares, aproximadamente, 800.000 dos quais mediante a reconstrução dos sistemas de irrigação e o abastecimento de água às terras não utilizadas que têm rede de irrigação, e 1,3 milhões graças às terras que serão irrigadas.

Pôr em cultivo, durante o quinquênio, 3,1 milhões de hectares de terras secas, das quais dois milhões mediante a reorganização e restauração da rede de drenagem e 1,1 milhão graças às terras que serão drenadas.

Nas regiões áridas, realizar trabalhos visando prover as pastagens de água, sobre uma superfície de cerca de 80 milhões de hectares e desenvolver para esse fim a construção de redes e instalações de irrigação, assim como a edificação de locais para o gado e casas de moradia.

A fim de continuar aumentando a produção de algodão, é necessário criar em breve prazo uma grande zona algodoeira, realizando, para isso, os trabalhos de irrigação e aproveitamento das férteis terras virgens da estepe de Golódnaia.

12. Elevar consideravelmente o nível de mecanização da agricultura. Fornecer à agricultura, em 1956-1960, cerca de 1.650.000 tratores (em unidades convencionais de 15 HP), dos quais 680.000 para a monda, 560.000 segadoras-debulhadoras, 180.000 segadoras para a colheita precoce dos cereais, 400.000 recolhedores de palha agregados às segadoras-debulhadoras e 250.000 máquinas combinadas para colher o milho e forragens para ensilar.

Introduzir amplamente na produção agrícola os modelos mais econômicos de tratores e de segadoras-debulhadoras Diesel, tratores de rodas com pneumáticos, máquinas agrícolas portáteis e semiportáteis com sistema de comando hidráulico, a fim de assegurar na agricultura a mecanização dos trabalhos de cultivo dos cereais e plantas industriais que exigem monda e dos trabalhos de fruticultura e horticultura.

Assegurar uma larga aplicação da energia elétrica na produção agropecuária, para o que, além de incluir os colcoses e sovcoses nas redes das centrais elétricas do Estado, será organizada a construção das centrais termo e "hidrelétricas interdistritais e distritais, com participação dos colcoses e sovcoses. Duplicar no quinquênio o número de colcoses eletrificados que recebem energia de reservas permanentes e terminar a eletrificação dos sovcoses e das EMT.

Melhorar o emprego da maquinaria das EMT e dos sovcoses e elevar em não menos de 30-35%, durante o quinquênio, a produção diária por trator e por segadora-debulhadora.

Elevar o papel das EMT no desenvolvimento de todos os ramos da produção agrícola nos colcoses e no sucessivo fortalecimento orgânico e econômico destes. Elevar a responsabilidade das EMT no cumprimento dos planos de produção e de armazenamento de produtos agrícolas e na mecanização dos processos que absorvem muita mão-de-obra nos trabalhos de cultivo e pecuária. Assegurar a plena utilização dos operários permanentes das EMT, durante todo o ano, combinando amplamente as profissões dos motocultores e ampliando a ajuda aos colcoses na produção.

Observar nas EMT o mais rigoroso regime de economia, conseguir uma redução do custo do serviço dos tratoristas em cerca de 16%, e diminuir em proporção considerável os gastos do Estado por quintal de produtos agrícolas recebidos a título de pagamento em espécie pelos trabalhos das EMT Iniciar em 1956 a passagem das EMT ao autofinanciamento econômico.

13. Assegurar o contínuo fortalecimento orgânico e econômico dos colcoses e a elevação da produtividade do trabalho, à base da introdução de maquinaria agrícola de vanguarda, da utilização mais* completa e racional da mão-de-obra e de melhor e regular organização da remuneração do trabalho nos colcoses. Aplicar em larga escala o sistema de adiantamentos mensais aos colcosianos, como importante estímulo para aumentar o rendimento do trabalho nos colcoses. Continuar reforçando os colcoses com quadros dirigentes e melhorar a preparação dos quadros colcosianos.

14. Assegurar durante o sexto quinquênio um considerável desenvolvimento da produção agrícola nos sovcoses e elevar cm 1960 a contribuição dos sovcoses e fazendas auxiliares ao Estado, nas seguintes quantidades: cereais, 915 milhões de puds; carne, 1,5 milhões de toneladas; leite, 6,8 milhões de toneladas; lã, 79.200 toneladas e ovos, 2 bilhões de unidades.

Considerar como a tarefa mais importante dos sovcoses o aumento da produção agropecuária por cada 100 hectares de terra, mediante a elevação do rendimento das culturas agrícolas e da produtividade do gado e o aproveitamento mais racional das terras adstritas aos sovcoses.

Assegurar um trabalho de alto rendimento de cada sovcós à base do incremento da produção agropecuária, do aproveitamento racional da terra e de todos os meios de produção, do reforçamento do sistema de autofinanciamento e da redução dos custos da produção.

15. No domínio da silvicultura, realizar durante o quinquênio trabalhos de melhoramento florestal em uma superfície de 190 milhões de hectares, plantar três milhões de hectares com espécies economicamente valiosas e de rápido crescimento; efetuar trabalhos para contribuir para o reflorestamento natural numa superfície até 3,8 milhões de hectares; plantar não menos de 370.000 hectares de franjas protetoras em barrancos e areais, assim como 560.000 hectares de franjas florestais protetoras das culturas dos colcoses e sovcoses.

16. Considerar como a tarefa mais importante da ciência agrícola a elaboração de processos relativos à elevação do rendimento das culturas agrícolas e ao aumento da produtividade do gado. Dedicar especial atenção à elaboração dos processos relativos à direção acertada da agricultura, à introdução de rodízios racionais de culturas apropriadas para cada zona agro-climatológica, à justa distribuição da produção agrícola, ao melhoramento do sistema de trabalho da terra, ao melhoramento da seleção e da cultura de sementes de plantas agrícolas, ao emprego dos processos mais eficazes para utilizar os adubos, ao melhoramento dos trabalhos de criação de gado de raça, assim como a elaboração dos processos relacionados à economia dos colcoses, EMT e sovcoses.

                                            V. Nos transportes e comunicações

Considerar como tarefas muito importantes do VI Plano quinquenal, na esfera dos transportes, o constante ascenso do nível técnico do transporte ferroviário, fluvial, marítimo, rodoviário e aéreo, a vasta eletrificação das estradas de ferro e o equipamento de todos os tipos de transportes com locomotivas, navios, automóveis, aviões e material rodante dos sistemas mais modernos.

Fixar para 1956-1960 as seguintes tarefas fundamentais nos transportes e comunicações.

1. No transporte ferroviário: aumentar a circulação de cargas aproximadamente até um bilhão, 374 milhões de toneladas-quilômetros, ou seja, 42% em relação a 1955. Assegurar a máxima redução da distância dos percursos e redução do custo do transporte de cargas por via térrea.

Levar a cabo medidas para reforçar e reconstruir as estradas. Estender a atual rede ferroviária em cerca de 65.000 quilômetros de novos trilhos, dos quais 58.000 quilômetros de trilhos pesados. Elevar em fins do quinquênio a extensão das estradas britadas a 61.000 quilômetros. Pôr em prática as medidas necessárias para prolongar a duração dos dormentes e assegurar o emprego em grande escala de dormentes de concreto armado.

Com o fim de elevar a capacidade de transporte dos trens, realizar trabalhos de reconstrução técnica dos meios de tração no transporte ferroviário, mediante a larga aplicação de locomotivas elétricas e locomotivas Diesel, com o objetivo de que já em 1960 realizem elas cerca de 40 a 45% de todo o transporte de cargas. Facilitar durante o quinquênio ao transporte ferroviário não menos de 2.000 locomotivas elétricas, incluídas 400 de oito eixos com uma potência de 5.700 HP, assim como 2.250 locomotivas Diesel de duas seções para grandes linhas.

Assegurar a criação de novas locomotivas potentes, projetar e preparar em 1956-1957 modelos experimentais de locomotivas Diesel de carga com uma potência de 2.500 a 3.000 HP por seção, de locomotivas Diesel e elétricas de passageiros, assim como locomotivas movidas por turbinas a gás.

Elaborar e aplicar medidas para pôr em funcionamento locomotivas Diesel de combustível com elevado índice de enxofre. Criar a base para a reparação de locomotivas elétricas e Diesel.

Destinar ao transporte ferroviário durante o quinquênio não menos de 255.000 vagões de mercadorias, assim como 18.600 de passageiros. Completar o parque com vagões cobertos de maior volume, vagões isotérmicos de refrigeração mecânica e calefação elétrica, carros-pipas de maior volume, assim como vagões metálicos de passageiros com instalações de ar condicionado.

Terminar em 1957 a instalação de engates automáticos nos vagões de mercadorias. Terminar até 1959 a instalação de freios automáticos nos vagões desprovidos destes e começar a equipar o parque de vagões em serviço com freios automáticos mais aperfeiçoados.

Realizar os trabalhos necessários para desenvolver consideravelmente a capacidade de tráfico dos trens nos trajetos mais importantes, particularmente dos Urais e Sibéria, nas linhas que vão dos Urais às regiões do Volga, do Centro e do Leste, nas linhas férreas que unem o Centro com as zonas do Donbáss, do Cáucaso e da Ásia Central, assim como ás estradas de ferro do Donbáss.

Estender aproximadamente 6.500 quilômetros de novas estradas de ferro, ou seja, 2,1 vezes mais que no quinto quinquênio.

Além disso, estender 935 quilômetros de estradas de ferro de bitola estreita nas zonas de cultivo das terras virgens e incultas. Construir a linha Alma-Atá-fronteira do Estado, que assegure a comunicação entre a União Soviética e a República Popular da China numa nova direção.

Realizar durante os próximos 10-15 anos a passagem à tração elétrica das linhas de maior tráfico de cargas e das linhas de montanha, assim como das linhas férreas de primeira ordem com intenso movimento de passageiros e os setores suburbanos dos grandes centros industriais. Pôr em funcionamento no sexto quinquênio 8.100 quilômetros de linhas eletrificadas, ou seja, 3,6 vezes mais do que no quinto quinquênio.

Estender aproximadamente 6.600 quilômetros de estradas duplas, ou seja, 40% mais do que no quinto quinquênio.

Aumentar a extensão total das estradas auxiliares nas estações, elevando-as em 1960 a 49% da extensão das linhas em funcionamento. Efetuar obras para ampliar as estações e ligações ferroviárias, para construir e mecanizar as rampas de triagem.

A fim de continuar a automatização contínua dos processos de trabalho, dotar as linhas de sinalização automática, de regulação centralizada dos movimentos e de dispositivos de parada automática numa extensão de 15.000 quilômetros, aproximadamente; prover de centralização elétrica 18.000 desvios. Assegurar o contínuo desenvolvimento da comunicação radiotelegráfica e iniciar o emprego da televisão nas estradas de ferro.

Mecanizar ao máximo os processos que exigem muita mão-de-obra e, em primeiro lugar, os trabalhos de reparação e reconstrução de estrada e os de carga e descarga, assegurando que até 1960 se eleve a 75% o nível de mecanização dos trabalhos de carga e descarga nos depósitos das estações. Reduzir o tempo de circulação de um vagão de mercadorias para 5,3 dias, ou seja uma redução de 15%; aumentar o percurso médio diário de uma locomotiva elétrica para 550 quilômetros, ou seja, um aumento de 44%; o de uma locomotiva Diesel para 450 quilômetros, ou seja, um aumento de 24%, e o de uma locomotiva a vapor para 315 quilômetros, ou seja, um aumento de 14%. Elevar a tonelagem média de um trem de mercadorias a 2.200 toneladas brutas, ou seja, um aumento de 25% em relação a 1955. Assegurar o constante desenvolvimento dos ramais de acesso às empresas industriais e aos portos fluviais e marítimos, incluído o Porto de Ust-Donetz. Reduzir o custo de transporte de cargas em cerca de 17%.

2. No transporte fluvial: aumentar a circulação de cargas em aproximadamente 80%. Assegurar o sucessivo desenvolvimento do transporte de cargas por via mista ferroviário-fluvial. Pôr em funcionamento novas e maiores rotas de navegação no Volga, no Kama, no Dniéper e em outros rios e construir uma frota mais potente adaptada às condições de navegação nos rios.

Liquidar o atraso do equipamento dos portos e desembarcadouros no transporte fluvial. Assegurar seu desenvolvimento em primeiro lugar no Volga, no Kama e nos rios siberianos. Construir o Porto de Ust-Donetz; aplicar nos trabalhos de carga e descarga mecanismos de alto rendimento; realizar a mecanização múltipla da carga e descarga nos portos principais. Pôr em funcionamento, nos portos fluviais, durante o quinquênio, 15.000 metros de desembarcadouros mecanizados.

Assegurar a modernização dos desembarcadouros mecanizados e das bases de descarga mecanizadas já existentes e a construção de outras novas nas empresas situadas nas margens das vias fluviais.

Melhorar o aproveitamento para fins de transporte dos canais navegáveis. Aumentar durante o quinquênio o transporte de cargas pelo canal «Moscou» (Volga-Moskva) e pelo canal «Stálin», (Mar Branco-Mar Báltico) em não menos de vez e meia, e pelo canal «Lênin» (Volga-Don) no triplo. Continuar efetuando trabalhos de melhoramento das condições de navegação nos rios Biélaia, Dvina Setentrional e Vichegda e de reconstrução do sistema de balizas no Volga, no Kama, no Dniéper e nos grandes rios da Sibéria, aplicando amplamente sinais automáticos e eletrificados.

Completar a frota com barcos mais rápidos e assegurar durante o quinquênio a entrega ao Ministério da Frota Fluvial de rebocadores e navios de carga de uma potência aproximada de 720.000 HP, alvarengas com uma tonelagem total de 2.245.000 toneladas e navios de passageiros com uma potência total de 180.000 HP.

Modernizar as empresas de reparação de navios e construir outras novas, organizar bases de reparação e aproveitamento para assegurar o funcionamento da frota segundo um sistema racional.

Aumentar a rapidez do transporte de cargas e reduzir a permanência dos navios nos transportes e desembarcadouros, assegurar para 1960, em relação a 1955, o aumento de 30% na produtividade dos rebocadores fluviais no transporte de mercadorias secas; dos navios de carga em 36%, e das alvarengas em 33%. Melhorar o movimento de cargas e a atividade comercial no transporte fluvial e pôr em prática medidas para elevar o interesse material dos ministérios e departamentos no transporte de mercadorias por via fluvial. Reduzir os custos dos transportes em aproximadamente 21%.

Prosseguir as obras para tornar navegáveis os rios pequenos e desenvolver o transporte neles.

3. No transporte marítimo: aumentar a circulação de cargas em cerca de 2,1 vezes. Assegurar o desenvolvimento dos transportes de cargas nas bacias do Extremo Oriente, Mar de Azov-Mar Negro, Mar do Norte e outras e elevar o peso específico da tonelagem nacional nos transportes de exportação e importação, assim como o sucessivo desenvolvimento da rota marítima do Norte.

Aumentar o nível técnico de desenvolvimento dos portos marítimos. Pôr em funcionamento nos portos cerca de 10.000 metros de desembarcadouros mecanizados e 200.000 metros quadrados de depósitos. Aplicar na baldeação de cargas novos mecanismos de alto rendimento. Elevar a 65%, até 1960, o índice de mecanização múltipla dos trabalhos da carga e descarga nos portos marítimos.

Assegurar a reconstrução e o desenvolvimento dos portos em função de seu tráfico.

Completar a frota com navios mais econômicos e mais rápidos: Fornecer durante o quinquênio ao Ministério da Frota Marítima navios mercantes com uma capacidade total de carga de 1.140.000 toneladas aproximadamente; navios petroleiros, 460.000 toneladas; navios de passageiros, com uma potência total de 198.000 HP, e rebocadores, 230.000 HP. Construir navios com motores e mecanismos mais perfeitos, que assegurem um aumento considerável de sua velocidade.

Elevar durante o quinquênio a produtividade diária dos navios petroleiros em não menos de 25% e a dos navios mercantes em 34%, diminuindo em primeiro lugar o tempo de permanência dos navios nos portos e reduzindo seu percurso quando vazios.

Melhorar o estado técnico da frota, diminuir os prazos de reparação dos navios, utilizar melhor a capacidade das empresas de reparação, particularmente na bacia do Extremo Oriente e assegurar que sejam concluídas a construção e a reconstrução das de Najodka, Tuapsê, Jdánov, Leningrado e Murmansk. Iniciar a construção de grandes estaleiros de reparação de navios em Slávianka.

Assegurar a necessária profundidade de navegação nos canais e nas entradas dos portos, melhorar os meios de comunicação e as instalações de radionavegação, dotar os navios de aparelhos e mecanismos de navegação mais perfeitos, garantindo a segurança da navegação.

Reduzir o custo do transporte marítimo em 26%, aproximadamente.

4. No transporte rodoviário: aumentar a circulação de cargas em 1960 em aproximadamente o dobro em relação a 1955. Elevar consideravelmente nos transportes de cargas o peso específico do transporte rodoviário de uso geral, aumentando o tráfico de mercadorias em 40 bilhões de toneladas-quilômetro, ou seja, 4,3 vezes mais do que em 1955. Assegurar o desenvolvimento dos transportes centralizados e um emprego consideravelmente melhor dos reboques, aumentar o transporte de passageiros em táxis no triplo e em ônibus em 3,5 vezes.

A fim de melhorar radicalmente a utilização do parque automobilístico e diminuir consideravelmente os custos dos transportes, concentrar no sexto quinquênio o grosso dos caminhões dedicados ao transporte de cargas maciças e as empresas de reparação de automóveis afetas atualmente aos ministérios e departamentos num sistema de transporte rodoviário de uso geral.

Elevar durante o quinquênio a produtividade dos caminhões de uso geral em cerca de 36% e reduzir o custo do transporte de cargas em não menos de 20%. Desenvolver a base para o serviço técnico e para a reparação de automóveis.

Ampliar a construção e reconstrução de estradas sòlidamente pavimentadas.

5. No transporte por oleodutos: aumentar para 83 bilhões de toneladas-quilômetros o volume transportado, ou seja, o sêxtuplo em relação a 1955.

6. No transporte aéreo: aumentar no dobro durante o quinquênio o transporte de cargas, e o transporte de passageiros em cerca de 3,8 vezes. Pôr em funcionamento nas grandes linhas aviões rápidos e possuindo grande número de lugares, reconstruir os aeroportos fundamentais dessas linhas.

7. No domínio das comunicações: continuar desenvolvendo e renovando os meios de comunicação à base da técnica moderna de vanguarda e do máximo aproveitamento das reservas existentes nesse ramo.

Conseguir o aumento das linhas de cabos de comunicações, aproximadamente no dobro em relação ao quinto quinquênio e empregar em larga escala cabos coaxiais. Criar uma vasta rede de linhas de teletipo e pôr em funcionamento durante o quinquênio não menos de 10.000 quilômetros dessas linhas.

Assegurar o aumento da capacidade das centrais telefônicas automáticas, aproximadamente no dobro em relação ao quinto quinquênio.

Ampliar a rede dos Correios. Assegurar o desenvolvimento do telefone e do rádio nas localidades rurais.

                                     VI. Nas obras básicas e na indústria da construção

1. A fim de cumprir as tarefas fixadas para o desenvolvimento da produção industrial, dos transportes, da agricultura, da construção de moradias, escolas, hospitais, jardins de infância, creches e outros edifícios destinados a serviços de caráter social e cultural, determinar para 1956-1960 o volume total dos investimentos do Estado na economia nacional da URSS em 990 bilhões de rublos (aos preços de l9 de julho de 1955), ou seja, em 67% mais que no quinto quinquênio.

2. Para assegurar uma utilização mais eficaz dos recursos materiais e financeiros destinados às obras básicas, não permitir a disseminação das inversões básicas em numerosas obras e empresas, melhorar o trabalho de preparação dos projetos e eliminar tudo quanto supérfluo e que origine a dilapidação de fundos do Estado.

Ao elaborar os projetos de construção de novas empresas e de ampliação das existentes ter em conta as últimas conquistas da ciência e da técnica, assim como os índices técnicos e econômicos mais elevados conseguidos nas empresas de vanguarda nacionais e estrangeiras.

Reduzir os prazos de elaboração dos projetos; concluir em 1956-1957, a passagem à construção de moradias e edifícios de caráter cultural e social de acordo com projetos-padrão; passar nos dois ou três anos próximos à construção das empresas industriais, de transporte, de comunicações e da agricultura à base de projetos-padrão.

3. Assegurar o constante desenvolvimento da indústria da construção. Diminuir consideravelmente os prazos de construção, melhorar a qualidade desta, especialmente no que toca às moradias e aos edifícios de caráter cultural e social, reduzir durante o quinquênio o custo dos trabalhos de construção e montagem em não menos de 7%.

Continuar industrializando a construção mediante o amplo emprego de armações e peças pré-fabricadas de concreto armado, armações de concreto leves, grandes blocos e elementos pré-fabricados, assim como pela introdução, em ampla escala, da mecanização múltipla daconstrução.

Elevar, em 1960, a utilização das armações pré-fabricadas de concreto armado a 28 milhões de metros cúbicos, dos quais sete milhões com armação reforçada. Criar e aplicar na construção tipos mais perfeitos de armações pré-fabricadas de concreto armado. Ampliar consideravelmente o emprego na construção de aços especiais de baixa liga, e de ferros de grande resistência para as construções em concreto armado, assim como de perfis econômicos de laminado. Assegurar a máxima economia de metal e madeira na construção.

Dotar as obras das máquinas e mecanismos mais perfeitos. Triplicar durante o quinquênio o número de escavadoras na construção, incluindo o aumento substancial do parque de escavadoras de colher de 0,15 e 0,25 metros cúbicos. Melhorar a utilização das máquinas e mecanismos na construção. Ampliar o potencial de produção das fábricas e oficinas para a reparação das máquinas de construção e os meios de transporte; construir empresas de reparação, em primeiro lugar nas zonas das grandes obras.

Continuar a unificação das pequenas organizações de construção dependentes de ministérios e departamentos que funcionam paralelamente. Com o fim de continuar melhorando a construção de moradias e edifícios de caráter cultural e social nas grandes cidades, criar, segundo o exemplo de Moscou, Leningrado e Kiev, organizações territoriais de construção, agrupando nelas as pequenas organizações de diferentes departamentos. Aumentar consideravelmente nas regiões orientais do país o potencial das organizações de construção existentes e criar novas organizações de construção e empresas regionais produtoras de materiais, armações e peças para edificação. Unificar e fortalecer as organizações especializadas em trabalhos de montagem e especiais e criar organizações especializadas em trabalhos da construção geral. Ampliar a edificação de moradias e estabelecimentos de caráter cultural e social para os trabalhadores da indústria da construção.

                                             VII Na elevação da produtividade do trabalho

1. Assegurar um novo e considerável ascenso da produtividade do trabalho, como condição decisiva para o cumprimento das tarefas concernentes ao aumento da produção e à elevação contínua do bem-estar do povo.

O grande Lênin assinalava que a elevação da produtividade do trabalho é o que há de mais importante para o triunfo do novo regime social e que:

«O comunismo representa uma produtividade de trabalho mais alta (em relação ao capitalismo), obtida voluntariamente por operários conscientes e unidos, que têm a seu serviço uma técnica moderna.»
A existência de uma potente base industrial no país e a realização no sexto quinquênio de amplas medidas que asseguram a passagem de todos os ramos da economia nacional a uma nova fase, mais elevada por seu nível técnico, assim como a existência e a preparação em proporções crescentes de quadros de operários qualificados e de especialistas que dominam eficazmente a técnica moderna, criam grandes possibilidades para acelerar o ritmo de crescimento da produtividade do trabalho.

2. Estabelecer as seguintes tarefas para o aumento da produtividade do trabalho em 1956-1960:

  • na indústria, em não menos de 50%, o que deve ser conseguido sobretudo mediante um melhor equipamento técnico do trabalho e a aplicação da técnica e da tecnologia de vanguarda, a extensão máxima da mecanização e da automatização múltiplas dos processos de produção, pela modernização do equipamento, pelo amplo desenvolvimento da especialização das empresas e, nessa base, alcançar a aplicação dos métodos de produção em cadeia, o melhoramento radical da organização do trabalho, a liquidação das perdas de tempo e a redução do gasto de trabalho nas atividades auxiliares;
  • na construção: de 52% no mínimo, à base de sua industrialização contínua de uma ampla utilização de elementos pré-fabricados, do término no fundamental da mecanização múltipla dos trabalhos de construção, do melhoramento considerável da organização do trabalho e da diminuição do gasto de trabalho nas atividades auxiliares;
  • no transporte ferroviário, de cerca de 34%, graças ao crescimento contínuo do equipamento técnico das ferrovias, ao aumento dos transportes de mercadorias por locomotivas elétricas e Diesel, ao aumento do número de vagões de grande tonelagem, a reconstrução das estradas, ao aumento da velocidade comercial do tráfico de trens e à elevação de sua tonelagem média, assim como pelo melhoramento da organização do trabalho;
  • no transporte marítimo, em 40%, e no transporte fluvial, em 35%, à base do fornecimento, à frota, de navios de tipos modernos mais potentes, com instalações e aparelhos mecanizados e à base de sua melhor utilização.
  • nos sovcoses e empresas agrícolas auxiliares do Estado, aproximadamente em 70%, mediante o término da mecanização múltipla das tarefas de cultivo e colheita, um aumento considerável do nível de mecanização dos processos que exigem muita mão-de-obra na pecuária, pela liquidação das perdas de produção agrícola e um considerável melhoramento da organização do trabalho.

Considerar tarefa muito importante conseguir um aumento apreciável da produção agrícola por cada 100 hectares de terra, reduzindo ao mesmo tempo o gasto de trabalho por cada quintal de produção.

3. Reveste-se de particular importância a elevação da produtividade do trabalho nos colcoses, para assegurar o cumprimento das tarefas concernentes ao desenvolvimento da produção agropecuária no sexto quinquênio.

O fortalecimento da base material e técnica das estações de máquinas e tratores (EMT) e a elevação substancial do nível de mecanização e eletrificação dos trabalhos agrícolas, a ampla aplicação das conquistas da ciência e da técnica, a distribuição racional e a especialização da agricultura e da pecuária por distritos e colcoses do país, assim como o reforçamento dos colcoses e EMT com quadros dirigentes e com especialistas, permitem aumentar consideravelmente a produção agrícola por cada 100 hectares e aumentar aproximadamente no dobro a produtividade do trabalho nos colcoses.

O Ministério da Agricultura, assim como os organismos locais do Partido e dos Soviets, os dirigentes das EMT e dos colcoses, devem assegurar a utilização eficaz da maquinaria agrícola, a difusão em massa da experiência dos colcoses e EMT de vanguarda que conseguiram elevados índices de aumento da produção agrícola e da produtividade do trabalho, o melhoramento da organização do trabalho e o reforçamento da disciplina no trabalho, e, nessa base, uma notável elevação das rendas dos colcosianos.

4. Com o objetivo de liquidar com maior rapidez os defeitos na organização do trabalho e do salário e para estimular o interesse material pessoal dos trabalhadores no resultado de seu trabalho:

  • assegurar a vasta aplicação na produção de normas de rendimento tecnicamente fundamentadas, que correspondam ao nível atual da técnica e da organização da produção;
  • elevar a percentagem do salário-base na renda dos operários e estabelecer acertada correlação no nível das tarifas de salários segundo os ramos e profissões, tendo em conta a qualificação dos operários e concedendo vantagens no pagamento aos operários ocupados em trabalhos pesados e em oficinas de altas temperaturas;
  • regular a remuneração das diversas categorias de engenheiros, técnicos e empregados; liquidar a pluralidade de sistemas e as diferenças nas condições de remuneração do trabalho dos engenheiros, técnicos e empregados;
  • elevar o papel dos prêmios a fim de estimular a introdução de nova técnica, de aumentar a produtividade do trabalho e de reduzir os custos da produção;

5. Continuar o trabalho visando aperfeiçoar, reduzir e diminuir o custo do aparelho de administração, liquidar suas escalas supérfluas ou que funcionam paralelamente e pôr fim aos excedentes de pessoal.

6. Desenvolver ao máximo o movimento de massas dos racionalizadores, inventores e inovadores da produção, assim como assegurar uma ampla propaganda e difusão da experiência de vanguarda.

7. Melhorar a qualidade da formação profissional da juventude nas escolas e demais centros do sistema de reservas de trabalho do Estado, assim como diretamente na produção; desenvolver por todos os meios a preparação de operários qualificados nas escolas e centros do sistema de reservas de trabalho do Estado nas zonas orientais do país, e ampliar a rede de escolas e centros dessas zonas.

8. Assegurar a distribuição mais racional da mão-de-obra entre os ramos da economia nacional e as diversas zonas do país e sua utilização acertada. Além disso, dedicar especial atenção ao envio de mão-de-obra às empresas e obras situadas nas zonas orientais e setentrionais do país, mediante o recrutamento organizado de operários e a transferência para essas zonas, à base do voluntariado, de trabalhadores de outras regiões do país. Melhorar suas condições de instalação e assegurar que se construam a tempo moradias para eles.

9. Garantir o contínuo melhoramento das medidas de proteção do trabalho e da técnica de segurança nas empresas, sobretudo nas oficinas de altas temperaturas e nas indústrias insalubres, aplicando para isso as últimas conquistas da ciência e da técnica.

                              VIII. Na elevação do nível de vida material e cultural do povo

1. Conforme as tarefas fixadas para o desenvolvimento da produção socialista e a elevação da produtividade do trabalho social, estabelecer em 60%, aproximadamente, o aumento da renda nacional (em preços comparativos), durante o quinquênio. Nessa base, assegurar o sucessivo aumento das rendas dos operários, empregados e camponeses; elevar consideravelmente o consumo de artigos alimentícios e industriais per capita.

2. Fixar em 55 milhões, aproximadamente, o número de operários e empregados ocupados na economia nacional da URSS em 1960.

Elevar o salário real dos operários e empregados em uma média de 30%, aproximadamente.

Aumentar os salários dos operários e a remuneração dos empregados menos remunerados.

3. Considerar necessário reduzir durante o sexto quinquênio a jornada de trabalho dos operários e empregados.

Recomendar ao Conselho de Ministros da URSS que estude as medidas para estabelecer gradualmente, durante o sexto quinquênio, a jornada de sete horas para todos os operários e empregados e a de seis horas para as principais categorias de mineiros ocupados em trabalhos do subsolo. Em primeiro lugar, a partir de 1957, deverá ser reduzida a jornada dos operários que trabalham no subsolo e nas oficinas de altas temperaturas. Naqueles ramos onde as condições da produção aconselhem, será instituída a semana de cinco dias de trabalho com dois dias de descanso e jornada de oito horas.

Em 1956, será reduzida em duas horas a jornada de trabalho dos operários em vésperas de festas e dos dias de descanso.

Restabelecer, a partir de 1956, a jornada de seis horas para os jovens de 16 a 18 anos.

A redução da jornada de trabalho deverá efetuar-se sem diminuir o salário dos operários e empregados.

4. Melhorar ao máximo as condições de trabalho e vida das operárias. Prever vantagens suplementares para as mães, e, em particular, aumentar o período de licença por gravidez e parto.

5. À base de um considerável aumento da produção agropecuária e de elevação da produtividade do trabalho dos colcosianos, aumentar no mínimo em 40% as rendas em espécie e em bens dos colcosianos, sobretudo mediante o aumento das rendas procedentes da economia coletiva; aumentar consideravelmente o fundo social dos colcoses.

6. Aumentar de 154 bilhões de rublos em 1955 para 210 bilhões em 1960 os gastos do Estado para melhoria dos abonos e pensões a título de seguros sociais dos operários e empregados, de assistência social, dos abonos às mães de prole numerosa e às mães solteiras, ajuda aos estudantes, assistência médica gratuita, estadias gratuitas ou a preços reduzidos em sanatórios e casas de repouso, ensino e cursos gratuitos de capacitação profissional, férias remuneradas e outros auxílios e benefícios para os trabalhadores. Regular o sistema de pensões, aumentando consideravelmente as mais baixas e diminuindo as injustificadamente altas; melhorar a segurança da velhice e as condições de trabalho dos inválidos que, sem prejuízo para a sua saúde, podem realizar um trabalho socialmente útil.

7. Elevar durante o quinquênio a venda de mercadorias a varejo no comércio estatal e cooperativo em 50%, aproximadamente, assegurando um aumento do comércio varejista no campo.

Aumentar em 1960, em comparação com 1955, a venda dos artigos mais importantes, nas seguintes proporções (aproximadamente): carne e derivados, 85%; pescado e derivados, 59%; manteiga, 577o; gorduras vegetais, 60%; leite e derivados, 170%; queijo, 140%; ovos, 160%; açúcar, 70%; tecidos de algodão, 30%; de lã e de seda, 100%; de linho, 260%; artigos de confecção, 67%; calçado de couro, 65%; móveis, 100%; relógios, 70%; bicicletas, 46%; aparelhos de rádio, 120%; televisores, 400%; refrigeradores de uso doméstico, 370%; aspiradores de pó, 290%; máquinas de lavar, 500%. Aumentar a venda de madeira e materiais de construção à população e aos colcoses, em particular a venda de cimento em 2,5 vezes; de ardósia, em 2,1 vezes; de coberturas leves, em 70%.

Prever um aumento considerável dos artigos alimentícios e industriais de origem local no comércio a varejo das Repúblicas, territórios e regiões.

A fim de estimular a iniciativa dos organismos locais elevar sua responsabilidade no aumento da produção e a melhoria do fornecimento de produtos pecuários à população, modificar o atual sistema de distribuição, com o objetivo de que nele se combinem devidamente os princípios de centralização com o desenvolvimento da iniciativa local na utilização das possibilidades de que se dispõe para abastecer a população.

Ampliar a rede de estabelecimentos comerciais e lojas a fim de aumentar durante o quinquênio em não menos de 40% o número de estabelecimentos na rede comercial. Assegurar o equipamento desta com instalações modernas e a ampla utilização de métodos avançados de comércio, que correspondam às exigências da crescente circulação de mercadorias e melhorem o serviço.

Aumentar consideravelmente a venda de artigos empacotados, ampliar a rede de lojas sem vendedores, assim como a venda através de máquinas automáticas, o que permitirá melhorar em grau considerável o serviço, reduzir o gasto de trabalho e os fretes no comércio. Organizar a produção em grande escala de máquinas automáticas para o comércio e as empresas de alimentação pública.

Acelerar a passagem das mercadorias das empresas produtoras à rede comercial, eliminando os escalões intermediários supérfluos; organizar em toda parte o fornecimento centralizado de mercadorias à rede comercial e difundir mais amplamente o sistema de fornecimento de mercadorias em circuito, sobretudo nas zonas rurais, assim como o comércio ambulante.

Aumentar a construção de armazéns, frigoríficos e depósitos de hortaliças, para assegurar a conservação das mercadorias e organizar a classificação dos artigos antes de levá-los para as lojas, o que deve melhorar o fornecimento da variedade necessária de mercadorias.

Elevar durante o quinquênio a rede de restaurantes em 50%, pelo menos, e a produção das empresas de alimentação pública em 75%, aproximadamente.

Ampliar a rede de restaurantes nas fábricas, minas, estações de máquinas e tratores, sovcoses e nos estabelecimentos de ensino e sobretudo a rede de restaurantes a preços módicos para proporcionar os serviços de alimentação pública não somente àqueles que trabalham nos estabelecimentos respectivos, como também a seus familiares, o que deve facilitar o trabalho da mulher.

Elevar consideravelmente o número de restaurantes e cantinas escolares.

Assegurar em toda parte a passagem dos restaurantes, cafés, cantinas, bares e bufês ao sistema de auto-serviço, como forma mais avançada de comércio, que permite acelerar e melhorar sua atividade.

Desenvolver ao máximo a distribuição de refeições a domicílio e a aceitação de novas encomendas dessa natureza.

Mecanizar os processos de preparação de refeições que exigem muita mão-de-obra, instalando nas empresas de alimentação pública as máquinas e aparelhos modernos mais perfeitos (descascadoras de batatas, cortadoras de hortaliças e de pão, lavadoras de louça, mecanismos combinados de cozinha de grande rendimento, etc.).

O equipamento dos restaurantes e bares com instalações modernas e a aplicação neles dos métodos avançados de trabalho devem assegurar a redução dos preços das refeições e permitir que aumente o número de pessoas que utilizam os serviços das empresas de alimentação pública.

Reduzir em 17% aproximadamente, os fretes no comércio do Estado e das cooperativas.

Contribuir por todos os meios para a sucessiva ampliação do comércio colcosiano, desenvolvendo a venda em comissão, pelas cooperativas de consumo, dos excedentes dos produtos agrícolas dos colcoses e dos colcosianos. Acondicionar melhor os mercados colcosianos nas cidades e povoados operários.

Para melhorar radicalmente o comércio soviético é necessário assegurar que os trabalhadores participem mais amplamente do controle diário do trabalho das empresas comerciais e da alimentação pública.

Aperfeiçoar o funcionamento das organizações de controle social nas fábricas, nas administrações e nos estabelecimentos de ensino, e, no campo, o das comissões de restaurantes e comissões revisoras das organizações das cooperativas de consumo, fazendo com que participem amplamente de seu trabalho os operários, empregados, colcosianos e donas de casa.

8. Considerar necessário que melhore seriamente e se amplie de forma considerável a construção de moradias. Edificar durante o quinquênio nas cidades, povoados operários e localidades rurais, com os recursos do Estado, casas de moradia com uma superfície total de 205 milhões de metros quadrados, ou seja, quase o dobro, em comparação ao quinto quinquênio.

Concentrar a atenção dos dirigentes dos organismos do Partido, dos Soviets e econômicos, na necessidade de cumprir estritamente as tarefas assinaladas para a construção de moradias.

Favorecer amplamente aos operários, empregados e colcosianos a construção de moradias com seus próprios recursos e com a ajuda dos créditos do Estado e dos colcoses. Com esse fim, aumentar a venda à população de equipamentos completos de peças para casas-padrão, de materiais de construção e instalações.

Reduzir o custo da construção de moradias durante o quinquênio em não menos de 20%, utilizando em ampla escala os projetos-padrão e os métodos industriais de trabalho, reduzindo o custo das peças pré-fabricadas, não permitindo adornos supérfluos na arquitetura e diminuindo os prazos de construção.

Considerar uma tarefa importantíssima a restauração e a proteção do fundo imobiliário e a constante melhoria das moradias.

Assegurar o melhoramento dos serviços públicos urbanos. Prever um maior desenvolvimento das redes condutoras de água, dos esgotos, da calefação central urbana e da rede elétrica. Aumentar no sexto quinquênio o número de apartamentos com serviços de gás em 2,5 vezes, em comparação com o quinto quinquênio. Melhorar os serviços de transporte urbano, banhos e lavanderias e aplicar outras medidas de urbanização das cidades.

9. Implantar no fundamental o ensino médio geral nas cidades e localidades rurais, mediante a instrução das crianças e dos jovens em escolas de ensino secundário geral (de 10 classes) e nos centros de ensino médio especializado. Desenvolver a instrução politécnica nas escolas de ensino geral, assegurando aos alunos o conhecimento dos ramos mais importantes da produção industrial e agrícola moderna. Assegurar uma estreita ligação entre o estudo e o trabalho social útil, inculcar na jovem geração a atitude comunista diante do trabalho.

Elevar o nível do trabalho de educação e ensino nas escolas, ampliar a rede de estabelecimentos infantis extra-escolares nas cidades e no campo. Assegurar que os clubes, os Palácios e as Casas da Cultura, as Casas da Técnica e outras instituições culturais e educativas participem mais amplamente do trabalho de educação dos alunos.

Ampliar os recursos materiais à disposição das escolas de instrução geral. Duplicar aproximadamente no sexto quinquênio o volume da construção de escolas urbanas e rurais em relação ao quinto quinquênio. Ampliar a rede de internatos escolares. Considerar conveniente uma maior participação dos colcoses na construção e equipamento de escolas rurais.

A fim de elevar o nível de cultura geral dos trabalhadores que carecem de instrução secundária, continuar desenvolvendo durante o sexto quinquênio a rede de escolas de instrução geral noturnas e por correspondência, nas quais os trabalhadores possam estudar sem abandonar o trabalho.

Suprimir as taxas para estudo nas classes superiores das escolas secundárias, nas escolas médias profissionais e nos centros de ensino superior.

10. Prever a preparação de especialistas nos centros de ensino profissional superior e médio, em proporções que satisfaçam as necessidades da economia nacional e do desenvolvimento cultural. Aumentar durante o quinquênio o número de especialistas com instrução superior e média em 1,5 vezes, aproximadamente, e para os ramos da indústria pesada, da construção, do transporte e da agricultura, em cerca de duas vezes em comparação com o quinto quinquênio.

Realizar uma considerável difusão da instrução profissional superior e média noturna e por correspondência, com o objetivo de abrir amplas possibilidades aos trabalhadores que ocupam postos de engenheiros e técnicos, assim como tendo em vista permitir aos operários e colcosianos adquirir uma instrução profissional superior e média sem abandonar o trabalho.

Distribuir judiciosamente os centros de ensino superior do país. Ampliar a preparação de especialistas nos centros de ensino dos Urais, da Sibéria, do Extremo Oriente e do Kazaquistão, para satisfazer as crescentes necessidades de especialistas dessas regiões.

Melhorar consideravelmente a qualidade da preparação de especialistas com instrução profissional superior e média. Assegurar que os alunos das escolas profissionais superiores e médias conheçam a fundo as últimas conquistas da ciência e da técnica nacionais e estrangeiras e os métodos avançados da produção.

Reforçar a base material dos centros de ensino profissional superior e médio, dotando-os de material de laboratório e didático moderno.

11. Desenvolver ao máximo a ciência. Desenvolver as pesquisas teóricas em todos os domínios do saber e elevar o papel das instituições científicas no progresso técnico e na organização da produção. Reorganizar os trabalhos dos institutos de pesquisa científica, a fim de que sua atividade esteja mais em consonância com as necessidades concretas da economia. Assegurar que as organizações de estudos e projetos utilizem ao máximo as realizações da ciência e da técnica nacionais e estrangeiras.

Concentrar os esforços dos homens de ciência e os recursos materiais dos centros de pesquisa no estudo primordial dos problemas científicos de grande importância para a economia nacional, esforçando-se por terminar com maior rapidez as pesquisas científicas e aplicar quanto antes seus resultados na economia nacional.

Aproximar os estabelecimentos de pesquisa cientifica dos centros de produção. Melhorar o equipamento dos centros de pesquisa com instalações e material científico modernos.

Fazer com que os estabelecimentos de ensino superior participem mais amplamente dos trabalhos de pesquisa científica em função das necessidades da economia nacional.

12. Considerando a importância do cinema como verdadeira arte de massas, tomar medidas para aumentar a produção de películas, elevar seu nível ideológico e artístico e ampliar o número de casas de espetáculos. Assegurar em fins do quinquênio a produção anual não inferior a 120 películas de longa metragem.

Aumentar durante o quinquênio a rede de instalações dos estúdios cinematográficos em 30% aproximadamente. Construir cinemas dependentes do Ministério da Cultura da URSS, com uma capacidade total de 500.000 lugares, ou seja, quatro vezes mais do que no quinto quinquênio. Elevar a qualidade das películas científicas e técnicas, que são um dos meios mais importantes para propagar as realizações da ciência e da técnica e difundir a experiência de vanguarda da produção.

Dedicar especial atenção ao equipamento dos estúdios e cinemas com os aparelhos mais modernos, aumentar a produção de película em material não inflamável, para passar em fins do quinquênio à produção exclusiva de filmes dessa espécie; assegurar que os filmes em cores sejam de elevada qualidade e incrementar a produção de filmes para tela panorâmica.

Tomar medidas para continuar ampliando e melhorando a radiodifusão e a televisão. Aumentar durante o quinquênio em não menos de 90% a potência das emissoras existentes e assegurar uma larga utilização das ondas de frequência modulada na radiodifusão na parte européia da URSS Criar canais especiais de ligação para intercâmbio de programas entre as estações de televisão de Moscou, Leningrado, das capitais das Repúblicas federadas e outras grandes cidades do país e começar a utilizar a televisão em cores. Aumentar para 75, no mínimo, o número de estações de televisão em 1960.

Melhorar o trabalho das bibliotecas públicas e dos clubes e reforçar sua base material.

Tomar medidas para melhorar e desenvolver a edição de livros. Aumentar a publicação de livros, revistas e jornais, prestando atenção especial ao aumento das edições e tiragens. Melhorar a apresentação artística e poligráfica dos livros, ampliar e fortalecer a base poligráfica, elevar a capacidade de produção das empresas poligráficas do Ministério da Cultura da URSS em aproximadamente 50%, dotar as gráficas de maquinaria moderna, melhorar a variedade de tipos e a qualidade das tintas. Ampliar o comércio livreiro, sobretudo nas localidades rurais.

13. Assegurar o sucessivo desenvolvimento da proteção à saúde, elevar o nível da atividade profilática dos organismos sanitários e da assistência médica à população.

Aumentar o número de leitos nos hospitais em 1960, em 28%, aproximadamente, em relação a 1955; o número de lugares nas creches, em 44%; nos jardins de infância, em 45%; nos sanatórios, em 10%, e nas casas de repouso, em 13%. Assegurar o desenvolvimento da rede de sanatórios e casas de repouso principalmente nas zonas do Centro e do Norte da parte européia da URSS, nos Urais, na Sibéria Ocidental e Oriental, no Extremo Oriente, na Ásia Central e no Kazaquistão. Melhorar o equipamento dos centros terapêuticos e profiláticos com material médico moderno.

Construir durante o sexto quinquênio hospitais com um número total de leitos 2,8 vezes maior que o dos construídos no quinto quinquênio; abrir 2,4 vezes mais creches e jardins de infância que no quinto quinquênio, requerendo a ampla participação dos ministérios e dos departamentos ministeriais da URSS e das Repúblicas federadas na construção de centros terapêuticos, profiláticos e infantis. Ampliar a construção de asilos para inválidos e velhos.

Assegurar um constante desenvolvimento da medicina, concentrando os esforços dos homens de ciência soviéticos na pesquisa de novos métodos e medicamentos para a profilaxia e a cura.

Duplicar, no mínimo, em 1960, em relação a 1955, a produção de artigos da indústria médica, preocupando-se sobretudo em ampliar a produção de novos e mais eficazes meios de cura e profilaxia, assim como material cirúrgico moderno, de diagnóstico e de tratamento.

Melhorar a atividade de proteção ao trabalho e de prevenção de doenças nos operários e empregados das empresas industriais e a luta contra a contaminação das águas, do ar e do solo pelos detritos industriais.

Assegurar o desenvolvimento constante da educação física e do esporte, sobretudo entre os estudantes e os jovens.

IX. No desenvolvimento da economia nacional das Repúblicas Federadas e a distribuição das forças produtivas

Assegurar a melhor distribuição das forças produtivas, o acesso da indústria às fontes de matérias-primas, aos recursos de combustíveis e de energia e às regiões de consumo. Efetuar uma adequada especialização e o desenvolvimento complexo das diversas regiões econômicas, tendo em conta a mais eficaz utilização de seus recursos naturais e de mão-de-obra para elevar a produtividade do trabalho social.

Acelerar o aproveitamento dos ricos recursos naturais das regiões orientais do país. Assegurar nas regiões do Oeste e do Leste da Sibéria e na RSS do Kazaquistão um ritmo de construção de obras básicas mais elevado do que no conjunto da URSS Criar nessas regiões um conjunto de empresas da indústria pesada, sobretudo dos ramos que requerem grande consumo de eletricidade e de combustível; prever uma ampla construção de fábricas siderúrgicas e da metalurgia não ferrosa, de grandes centrais hidro e termoelétricas, de refinaria de petróleo, de fábricas de maquinaria e de produtos químicos, de empresas de materiais de construção e o aproveitamento de importantes fontes de matérias-primas para a produção de metais ferrosos e não ferrosos, produtos químicos e materiais de construção.

Limitar a continuação da construção de empresas industriais que consomem muito combustível e eletricidade na parte européia da URSS e nos Urais. Para liquidar o atraso da indústria de combustível nas regiões da parte européia da URSS, em relação às suas crescentes necessidades de combustível e a fim de reduzir o transporte de carvão por grandes distâncias, prever o aumento nessas regiões da extração de carvão e petróleo, nas proporções necessárias, à construção de centrais hidrelétricas e o desenvolvimento da indústria do gás.

Aumentar durante o quinquênio a produção global da indústria local e das cooperativas industriais, aproximadamente em 1,6 vezes. Assegurar o aproveitamento máximo das reservas, das matérias-primas e dos combustíveis locais e o desenvolvimento das bases locais de matérias-primas. Aplicar medidas para o reequipamento técnico das empresas e a introdução em massa das normas-standard do Estado e de condições técnicas que assegurem uma produção à altura dos melhores modelos. Ampliar a variedade e melhorar a qualidade dos artigos de grande consumo. Organizar a fabricação de novos artigos de amplo consumo e de artigos de interesse cultural, público e comercial. Desenvolver ao máximo o artesanato de arte popular. Ampliar consideravelmente a rede de empresas de serviços públicos e melhorar seu funcionamento.

Prever as seguintes tarefas fundamentais para o desenvolvimento da economia nacional nas Repúblicas federadas durante o sexto quinquênio.

                                    República Socialista Federativa Soviética da Rússia

Aumentar durante o quinquênio a produção global de toda a indústria em 1,7 vezes, aproximadamente, e da indústria da república em 1,6 vezes.

Aumentar durante o quinquênio a produção de ferro fundido em 1,6 vezes, aproximadamente; a de laminados, em 1,5 vezes; a extração de minério de ferro, em 1,4 vezes; a produção de alumínio, em 2,4 vezes; a extração de carvão, em 1,5 vezes; a de petróleo, em 2,2 vezes; a de gás obtido durante a extração do petróleo e de gás natural, em 5,5 vezes; a produção de energia elétrica, em 1,9 vezes, incluída a de energia hidrelétrica, em 3,9 vezes; a produção de adubos minerais, em 1,9 vezes; a de cimento, em 2,5 vezes; a extração de madeira de aproveitamento industrial, em 1,4 vezes; a produção de tecidos de algodão, em 16%; a de tecidos de lã, em 1,3 vezes; a de tecidos de linho, em 1,8 vezes; a de tecidos de seda, no dobro; a de calçado de couro, em 1,5 vezes; a de açúcar, em 2,6 vezes e a pesca, em 1,5 vezes.

Terminar a construção da usina metalúrgica de Cherepoviets e do combinado metalúrgico de Orsk-Jahlovo, iniciar a construção da usina metalúrgica do Oeste da Sibéria, pondo em funcionamento o primeiro alto forno e começar a construção de duas outras usinas metalúrgicas na Sibéria. Assegurar a exploração de novas jazidas de minério de ferro, pôr em funcionamento o combinado metalúrgico de beneficiamento de minérios de Kachkanar, nos Urais, as minas de Korshúnovo, na Sibéria Oriental, e novas minas nas jazidas da região de Kursk-Belgorod. Construir duas novas fábricas de artigos de serralheria. Prever a construção na Sibéria de três fábricas de alumínio, reforçar a base de minérios da indústria de cobre dos Urais. Prosseguir a construção da central hidrelétrica de Bratsk e iniciar a da central hidrelétrica de Krasnoiarsk. Concluir as obras da refinaria de petróleo de Omsk e Irkutsk e iniciar a construção de novas refinarias de petróleo no território de Krasnoiarsk e na região do Amur.

Prever a construção nas regiões da Sibéria e dos Urais de cinco fábricas de máquinas-ferramentas, seis fábricas de equipamentos para prensa e forja, dez fundições especializadas, duas fábricas de ferramentas, três fábricas de abrasivos, oito fábricas de maquinaria para a construção de edifícios e estradas, fábricas de aparelhos, uma fábrica de locomotivas elétricas, uma de aparelhos elétricos para locomotivas Diesel, transformadores de distribuição e aparelhos de alta voltagem e diversas outras fábricas de construções mecânicas.

A fim de reforçar a base de combustível e energia e melhorar o fornecimento de energia a Moscou, às regiões do Centro, do Volga e dos Urais, concluir a construção das centrais hidrelétricas de Kuibishev e Gorki, pôr em funcionamento as de Stalingrado e Votkinsk e construir, além disso, diversas grandes centrais termoelétricas acionadas por combustível local; assegurar o aumento da extração de carvão nas bacias minerais da região de Moscou e do Pechora e nas jazidas dos Urais e realizar em grande escala a instalação de gás numa série de regiões industriais.

Iniciar a exploração de novas jazidas de petróleo e de gás na RSSA da Tartária na RSSA da Bashquiria, nas regiões de Kuibishev, Sarátov e Stalingrado e no território de Stavropol. Preparar para aproveitamento industrial a jazida de gás metano de Beriózovo, no curso inferior do Obi. Pôr em funcionamento os grandes gasodutos de Tuimasi-Omsk (segundo), Omsk-Ir-kutsk, Almetievsk-Gorki, Almetievsk-Molótov, Gorki-Riazan, Ria-zan-Moscou, Gorki-Yaroslav, Ishmimbai-Orsk, Omsk-Novossibirk, Ufá-Omsk (segundo), Novossibirsk-Irkutsk e Kuibishev-Briansk.

Intensificar a exploração florestal nas zonas do Norte, dos Urais, da Sibéria e desenvolver com mais rapidez a produção de madeira serrada nestas regiões. Construir estradas de ferro nas regiões densamente povoadas de bosques: Achinsk-Abalákovo e Mikún-Kosián. Prever a construção de cinco empresas de celulose e papel e sete fábricas de fibra artificial nas regiões orientais.

Impulsionar o desenvolvimento das indústrias leve e de alimentação nos Urais, na Sibéria e no Extremo Oriente.

Intensificar os trabalhos de prospecção geológica e de pesquisa na parte meridional da RSSA de Yakutia e no Transbaikál, em busca de carvões coquificáveis e do conjunto de minérios e matérias-primas auxiliares para a siderurgia, assim como de matérias-primas para a indústria química e de metais não ferrosos e raros. Efetuar os trabalhos preparatórios para criar na RSSA de Yakutia a indústria de extração de diamantes.

Na agricultura, considerar a tarefa mais importante o máximo desenvolvimento da produção de cereais e de produtos de pecuária. Aumentar em 1960, em relação a 1955, em 1,8 vezes, aproximadamente, a produção de cereais, elevando consideravelmente a produção de trigo e de milho; a de fibra de linho, em 1,4 vezes; a de beterraba açucareira, em 2,5 vezes; a de batatas, no dobro; a de hortaliça, em 2,6 vezes; a de carne, no dobro; a de leite, em 1,9 vezes; a de ovos, em 2,5 vezes, e a de lã, em 1,6 vezes.

Construir um sistema de irrigação à base de canais em uma superfície de 258.000 hectares e outro de 225.000 hectares à base de drenagem dos terrenos. Dessacar pântanos e terras pantanosas em uma superfície de 365.000 hectares. Irrigar cerca de 16 milhões de hectares de pastagens nas zonas áridas do Norte do Cáucaso, do Volga e da Sibéria. Concluir a construção e pôr em funcionamento os canais principais da margem direita do Egorlik, do Terek-Kuma, do Kuma-Manich e do Don, da represa de Chograisk, dos sistemas de irrigação de Petrovsko-Anastasievka e Mariano-Cheburgolski. Iniciar a construção do sistema de irrigação. Kubán-Kalaus, da represa de Krasnodar no Rio Kuban, e a drenagem das terras da depressão de Meschera.

                                                República Socialista Soviética da Ucrânia

Aumentar durante o quinquênio a produção global de toda a indústria em 1,7 vezes, aproximadamente, e a da indústria dependente dos organismos da república em 1,6 vezes.

Assegurar um considerável incremento da extração de carvão na bacia do Donetz, na região do Dniéper e nas regiões ocidentais da Ucrânia. Ampliar o potencial de extração e beneficiamento de minérios na bacia de minério de ferro de Krivoi-Rog e na jazida de Kerch.

Elevar durante o quinquênio a extração de carvão em 1,6 vezes; a produção de ferro fundido e laminados e a extração de minério de ferro em 1,5 vezes; a de petróleo, em 2,8 vezes; a de gás obtido durante a extração do petróleo e de gás metano, em 2,6 vezes; a produção de energia elétrica, em 1,7 vezes; a produção de adubos minerais e de tratores, no dobro; a de cimento, em 1,7 vezes; a de calçado de couro, em 1,6 vezes; e a de açúcar, em 1,6 vezes. Aumentar consideravelmente a produção de tecidos de algodão.

Concluir a construção do sistema hidráulico de Kakovka, construir as centrais hidrelétricas de Krementchug e Dnieprodjerjinskí, de grandes centrais termoelétricas e iniciar a construção da central hidrelétrica de Kánev, no Dniéper.

Iniciar a construção de uma refinaria de petróleo, construir e pôr em funcionamento uma nova usina de ligas de ferro, assim como o potencial suplementar para a produção de materiais locais de construção, sobretudo de blocos de parede de pedra natural. Pôr em funcionamento o combinado de tecidos de lã cardada de Chernígov, o combinado de tecidos de algodão de Kersón, construir um novo combinado de tecidos de algodão, fábricas de fibra artificial em Chernígov e Cherkassi, refinarias de açúcar com capacidade para elaborar um total diário de 400.000 quintais métricos de beterraba açucareira e um combinado industrial para produzir melaço e amido de milho.

Concluir a construção e inaugurar o canal Donetz do Norte-Bacia do Donetz, que fornecerá água às cidades e às empresas do Donbáss.

Na agricultura, assegurar a constante elevação do rendimento das culturas cerealíferas, ampliar consideravelmente a produção de milho e, nessa base, elevar em 1960 a colheita total de cereais a 2.100 milhões de puds, no mínimo. Aumentar em 1960, em comparação com 1955, a produção de beterraba açucareira em 1,2 vezes, aproximadamente; a de hortaliças, em 1,4 vezes; a de batatas, em 1,5 vezes; a de carne, em 2,3 vezes; a de leite, no dobro; a de lã, em 2,1 vezes e a de ovos, em 2,8 vezes. Criar novos pomares e plantações de frutos em bagas nos colcoses e sovcoses em uma superfície de 250.000 hectares, e vinhedos numa extensão de 75.000 hectares.

Construir uma rede de irrigação em uma superfície de 146.000 hectares, uma rede de drenagem de 141.000 hectares e irrigar uma superfície de 1.240.000 hectares. Concluir e pôr em funcionamento o sistema de irrigação de Ingulets, a represa de Sinferopol e o sistema de drenagem de Trubez. Construir a primeira fase do sistema de irrigação de Krasnodarmeisk e iniciar a construção do canal do norte da Criméia.

                                     República Socialista Soviética da Bielorussia

Aumentar no quinquênio a produção global tanto de toda a indústria como a da indústria dependente dos organismos da República em 1,7 vezes, aproximadamente.

Elevar durante o quinquênio a produção de energia elétrica em cerca de 2,1 vezes; a extração de turfa, em 1,8 vezes; a produção de tratores, em 2,7 vezes; a de automóveis em 1,6 vezes; a de motocicletas, em 1,7 vezes; a de tornos para o corte de metal, no dobro; a de cimento, em 1,8 vezes; a de calçado de couro, em 1,4 vezes, e a de açúcar, em 3,1 vezes.

Concluir a construção da central elétrica distrital de Vassilevitch e construir a central hidrelétrica de Vitebsk e criar novas empresas de extração de turfa. Empreender a construção de duas refinarias de petróleo, de uma fábrica de máquinas agrícolas e ampliar as fábricas de cimento existentes. Pôr em funcionamento com pleno rendimento uma fábrica de relógios, fábricas de peças de substituição para tratores, de linhas automáticas e de tornos especiais combinados e um combinado de tecidos de lã cardada em Minsk. Construir novas fábricas e oficinas para transformação primária do linho e do cânhamo, assim como duas refinarias de açúcar.

Nas regiões ocidentais da RSS da Bielorússia estipular o desenvolvimento da indústria de extração da turfa, da energética e das indústrias leve e de alimentação.

Na agricultura, aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção de cereais em 2,9 vezes, aproximadamente; a de fibra de linho, em 1,4 vezes; a de batatas, em 1,7 vezes; a de beterraba açucareira, em 6 vezes; a de carne, em 1,8 vezes, e a de leite, no dobro. Aumentar a superfície cultivada de 238.000 hectares, mediante, a construção de sistemas de drenagem, e de 170.000 hectares mediante a reconstrução dos sistemas existentes. Prosseguir os trabalhos de drenagem e aproveitamento das terras pantanosas da depressão de Polesie.

                                   República Socialista Soviética do Uzbequistão

Aumentar durante o quinquênio a produção global tanto de toda a indústria, como da indústria dependente dos organismos da República, em 1,6 vezes, aproximadamente.

Continuar desenvolvendo os ramos da indústria relacionados com a cultura do algodão, em primeiro lugar os de fabricação de máquinas agrícolas e têxteis, a produção de adubos minerais e as indústrias de cardagem do algodão e de obtenção de azeite.

Elevar durante o quinquênio a produção de energia elétrica em 1,6 vezes, aproximadamente; a extração de carvão, em 2,4 vezes; a de petróleo, em 1,5 vezes; a produção de adubos minerais, em 1,9 vezes, e a de cimento, no triplo. Prever a construção de novas centrais elétricas.

Iniciar a construção de uma fábrica de adubos nitrogenados em Angren, pôr em funcionamento a refinaria de petróleo de Ferganá e concluir a construção da fábrica de cimento de Kuvassai.

Na agricultura, considerar a tarefa mais importante continuar impulsionando ao máximo o desenvolvimento da cultura do algodão. Aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção do algodão bruto em 1,5 vezes, aproximadamente; a de carne, em 2,4 vezes; a de leite, em 2,3 vezes; a de lã, em 1,9 vezes; a de peles de caracul, em 1,5 vezes; a de casulos de bicho da sede, em 1,6 vezes. Assegurar o desenvolvimento do gado lanígero merino e semimerino nas zonas irrigadas e nas proximidades das regiões montanhosas, e da criação de ovelhas caracul na zona desértica.

Assegurar um maior desenvolvimento da fruticultura e da viticultura.

Construir uma rede de irrigação em uma superfície de 325.000 hectares e drenar 6,8 milhões de hectares de terras desérticas e semidesérticas. Concluir a construção das represas de Tiuia-Buguzsk, Chim-Kurgán e Surkan-Dariá.

                                República Socialista Soviética do Kazaquistão

Aumentar no quinquênio a produção global de toda a indústria em 2,2 vezes, aproximadamente, como a da indústria dependente dos organismos da República em 1,7 vezes.

Assegurar o contínuo desenvolvimento da base energética da metalurgia não ferrosa, das indústrias carbonífera, petrolífera, química, de construção de maquinaria leve e de alimentarão.

Elevar durante o quinquênio a produção de energia elétrica em 2,3 vezes, aproximadamente: a produção de laminados, em 2,1 vezes; a de cobre não refinado, em 1.9 vezes; a de chumbo, em 1.4 vezes: a extração de carvão, em 1,6 vezes; a de petróleo, em 1.4 vezes; a produção de adubos minerais, no dobro; a de cimento, em 8.8 vezes, e a de calcado de couro, em 1,7 vezes. Aumentar consideravelmente a produção de tecidos de algodão.

Pôr em funcionamento na usina metalúrgica de Karangadá dois altos fornos com uma potência de 1.350.000 toneladas de ferro fundido por ano e um trem de laminação contínua de cha^a: construir em Pavlodar uma fábrica de alumínio, outra de ligas de ferro e outra de secadoras; uma fábrica de equipamentos de laminação em Petropávlovsk. uma fábrica de produtos químicos em Dzhambul, fábricas de cimento em Semipalátinsk e Chimkent e um combinado de tecidos de algodão; iniciar a construção de duas refinarias de petróleo. Pôr em funcionamento a central hidrelétrica de Buktarma, novas centrais termoelétricas e imViar a construção das centrais hidrelétricas de Shulbinskaya e Kapchagai.

Assegurar o desenvolvimento contínuo da bacia carbonífera de Karangadá e da jazida.de hulha de Ekibastuz e realizar amplos trabalhos para aproveitar as jazidas de minérios descobertas na região de Kustanái. Construir e pôr em funcionamento a mina de bauxita de Trugái e o combinado de beneficiamento de minérios de Sokolovsko-Sarbai, com uma capacidade de 10 milhões de toneladas de minério de ferro em bruto, assegurando para 1960 a obtenção de 5.600.000 toneladas de minério beneficiado.

Na agricultura, prever um considerável aumento da produção de cereais, e sobretudo de trigo duro mediante a cultura contínua das terras virgens e incultas e a elevação do rendimento das culturas. Assegurar o desenvolvimento constante da pecuária e a elevação de seu rendimento. Aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção de cereais em 5 vezes, aproximadamente; a de beterraba açucareira, em 2,2 vezes; a de algodão em bruto, em 2,3 vezes; a de carne, em 1,5 vezes; a de leite, em 2,2 vezes, e a de lã em 2,6 vezes.

Assegurar a construção de uma rede de irrigação em uma superfície de 214.000 hectares e a drenagem de terras numa extensão de cerca de 43 milhões de hectares. Concluir a construção do canal de Aris-Turquestão com as represas de Bugún e de Kzil-Ordá.

                               República Socialista Soviética da Geórgia

Aumentar no quinquênio a produção global tanto de toda a indústria como a da indústria dependente dos organismos da república em 1,6 vezes, aproximadamente.

Aumentar durante o quinquênio a produção de energia elétrica em 1,8 vezes, aproximadamente; a produção de ferro fundido, em 1,6 vezes; a de laminados e a extração de minério de manganês, em 1,5 vezes; a extração de carvão, em 1,4 vezes; a produção de adubos nitrogenados, em 8 vezes; a de cimento, em 3,1 vezes; a de tecidos de algodão, em 2,8 vezes; a de calçado de couro, em 1,4 vezes; a de vinho em 1,8 vezes, e a de chá, em 1,3 vezes.

Prever o início do funcionamento das centrais hidrelétricas de Ladjanuri, Kramskaya nº 2, Tkibuli e as de Gumati e empreender a construção da central hidrelétrica de Darial, no Rio Terek, e uma nova central hidrelétrica no Rioni. Pôr em funcionamento a segunda fase do combinado de tecidos de algodão de Gori e iniciar a construção do gasoduto Grozni-Tbilissi.

Na agricultura, assegurar o desenvolvimento constante da horticultura, da viticultura, da sericicultura, da produção de chá, tabaco e frutas cítricas. Elevar a produção de folha de chá em 1960 para 165.000 toneladas; cultivar nos colcoses e sovcoses 17.000 hectares de árvores frutíferas, 15.000 hectares de vinhedos, 6.000 hectares de frutas cítricas. Aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção de cereais em 1,3 vezes aproximadamente; a de carne, em 1,7 vezes; a de leite, no dobro; a de lã, em 1,4 vezes; a de casulos de bicho da seda, em 1,3 vezes. Construir uma rede de irrigação em uma superfície de 40.000 hectares e uma rede de drenagem em uma extensão de 10.000 hectares. Concluir a construção do sistema de irrigação do Alto Samgori.

                                      República Socialista Soviética do Azerbaidjão

Aumentar durante o quinquênio a produção global de toda a indústria em 1,4 vezes, aproximadamente, como a da indústria dependente dos organismos da república em 1,6-vezes,

Fixar para 1960 em 15.700.000 toneladas a extração de petróleo e em 3.500 milhões de metros cúbicos a de gás. Aumentar durante o quinquênio a produção de energia elétrica em 1,6 vezes, aproximadamente; a fabricação de tecidos de algodão, no dobro; a de tecidos de lã, no triplo; a de calçado de couro, em 1,4 vezes, e a de vinho e de chá, em 1,8 vezes.

Prever o desenvolvimento da indústria de minério de ferro de Dachkessan, aumentar a produção de laminados, pôr em funcionamento a fábrica de alumínio de Kirovabad, a fábrica de superfosfatos de Sumgait e o combinado de tecidos de algodão de Minchegaur. Ampliar a potência das centrais termoelétricas e empreender a construção de uma nova central hidrelétrica no Kurá.

Na agricultura, aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção de algodão em bruto em 1,4 vezes, aproximadamente; a de casulos de bicho da seda em 1,5 vezes; a de cereais, em 1,8 vezes; a de leite, em 2,4 vezes; a de carne, em 2,1 vezes; a de lã, em 1,6 vezes. Cultivar árvores frutíferas e vinhedos nos colcoses e sovcoses em uma extensão de 38.000 hectares. Assegurar a construção de um sistema de irrigação em uma superfície de 125.000 hectares e a drenagem de 1.250.000 hectares de terras.

                                            República Socialista Soviética da Lituânia

Aumentar durante o quinquênio a produção global de toda a indústria em 1,8 vezes, aproximadamente, e a da indústria dependente dos organismos da república, em 1,6 vezes.

Prever o reforçamento da base de combustível e energética e o constante desenvolvimento das indústrias de construções mecânicas, de matérias de construção, leve e de alimentação. Elevar no curso do quinquênio a produção de energia elétrica em 1,8 vezes, aproximadamente; extração de turfa, em 1,6 vezes; a produção de cimento, no triplo; a de calçado de couro, em 1,8 vezes; a de manteiga, em 1,6 vezes; a de carne, em 1,5 vezes e a pesca, em 2,5 vezes.

Pôr em funcionamento a central hidrelétrica de Kaunas, no Rio Neman. Construir fábricas de aparelhos de televisão, de perfuratrizes, de dispositivos e acessórios para máquinas-ferramentas e de caixas registradoras; concluir a construção de uma fábrica especializada na produção de utensílios elétricos de amplo consumo em Vilna e assegurar o desenvolvimento do porto pesqueiro de Klaipeda.

Na agricultura, aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção de carne em 1,9 vezes, aproximadamente, a de leite, em 2,2 vezes; a de cereais, em 4,2 vezes; a de fibra de linho. em 1,7 vezes; a de beterraba açucareira, em 3,9 vezes; a de batatas, em 2,3 vezes. Assegurar o amplo desenvolvimento da engorda de porcos para carne e toucinho. Ampliar a semeadura de trevo e elevar seu rendimento. Realizar grandes trabalhos para melhorar os prados e criar pastos cultivados permanentes.

Drenar 298.000 hectares de terras mediante a construção de novos sistemas de fertilização de terras e 332.000 hectares mediante a reorganização dos sistemas existentes.

                                     República Socialista Soviética da Moldávia

Aumentar durante o quinquênio a produção global tanto de toda a indústria como da indústria dependente dos organismos da república em 1,7 vezes, aproximadamente.

Desenvolver a indústria de alimentação, sobretudo a vinícola, a de conservas de frutas e a açucareira, assim como as indústrias energéticas e de materiais de construção.

Elevar durante o quinquênio a produção de energia elétrica em 1,8 vezes, aproximadamente; a produção de vinho, em 1,8 vezes; a de azeite, em 2.5 vezes; a de açúcar, em 7 vezes, e a de calçado de couro, em 1,5 vezes.

Empreender a construção da central hidrelétrica de Kamenka no Dniéster e ampliar a central termoelétrica de Kichiniov, construir uma fábrica de champanha, duas de vinho, duas de conhaque, três grandes fábricas de conservas, quatro refinarias de açúcar, um combinado de tecidos de seda em Benderi e uma fábrica de cimento em Ribnitsa.

Na agricultura, assegurar o constante desenvolvimento da viticultura e da horticultura. Criar em 1956-1960 nos colcoses e sovcoses da República 83.000 hectares de vinhedos, 54.000 hectares de árvores frutíferas e plantações de frutos em baga e 27.000 hectares de amoreiras e nogueiras. Aumentar a colheita de frutas em 1,5 vezes, aproximadamente; a de uva, no dobro; a de hortaliças, em 1,9 vezes; a produção de carne, em 2,3 vezes; a de leite, em 2,4 vezes; a de lã, em 1,6 vezes. Elevar o rendimento das culturas cerealíferas e da beterraba açucareira e assegurar uma colheita global de cereais em 1960 de 127 milhões de puds, no mínimo.

                                       República Socialista Soviética da Letônia

Aumentar durante o quinquênio a produção global de toda a indústria em 1,6 vezes, aproximadamente, e a da indústria dependente dos organismos da república em 1,7 vezes.

Aumentar durante o quinquênio a produção de energia elétrica em 1,6 vezes, aproximadamente; a extração de turfa, em 2,2 vezes; a produção de adubos fosfatados, em 1,4 vezes; a de cimento, em 1,6 vezes; a de calçado de couro, em 1,6 vezes; a de açúcar, em 2,8 vezes; a de manteiga, em 1,3 vezes e a pesca, em 2.7 vezes.

Empreender a construção da central hidrelétrica de Plavinas com uma potência de 120.000 kW; pôr em funcionamento a segunda fase da central termoelétrica de Riga e aumentar a potência da central elétrica de Liepaja. Iniciar as obras do porto pesqueiro de Ventspils.

Na agricultura, elevar em 1960, em relação a 1955, a produção agropecuária nas seguintes proporções: a de carne, em cerca de l.b vezes; a de Iene, 2,2 vezes; a de cereais, 3,6 vezes; a de fibra de linho, 2,4 vezes e a de batatas, 2,3 vezes. Assegurar o amplo desenvolvimento da engorda dos porcos para carne e toucinho. Ampliar as culturas de trevo e elevar seu rendimento; efetuar em grandes proporções os trabalhos de melhoramento dos prados e a criação de pastos cultivados permanentes. Renovar os sistemas de drenagem nos colcoses e sovcoses, sobre uma superfície de 830.000 hectares.

                                            República Socialista Soviética da Kirguizia

Aumentar durante o quinquênio a produção global de toda a indústria em 1,7 vezes, aproximadamente, e a da indústria dependente dos organismos da república em 1,8 vezes.

Aumentar a produção de energia elétrica em 1,8 vezes, aproximadamente; a extração de carvão, em 1,5 vezes; a de petróleo, em 7,8 vezes; a produção de calçado de couro, em 2,8 vezes.

Construir a central hidrelétrica de Uch-Kurgán, no Rio Narin, com uma potência de 112.000 kW; a nova central hidrelétrica de Shaankan; duas centrais hidrelétricas no canal de Chui e uma central termoelétrica em Frunze. Construir e pôr em funcionamento o combinado de tecidos de lã cardada, iniciar as obras de uma fábrica de medicamentos em Frunze e terminar as da estrada Frunze-Osh.

Na agricultura, assegurar o contínuo crescimento do número de ovelhas merinas e semimerinas e o aumento da produtividade do gado bovino. Aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção de carne, em 1,6 vezes, aproximadamente; a de leite, em 1,9 vezes; a de lã, em 2,1 vezes; a de cereais, em 2,1 vezes; a de algodão em bruto, em 1,2 vezes; a de beterraba açucareira, em 1,7 vezes.

Assegurar a construção de uma rede de irrigação em uma superfície de 115.000 hectares. Irrigar no quinquênio cerca de um milhão de hectares de pastagens. Concluir as obras da represa de Orto-Tokoi e do grande canal de Chui.

                                  República Socialista Soviética do Tadjiquistão

Aumentar durante o quinquênio a produção global de toda a indústria em 1,4 vezes, aproximadamente, e a da indústria dependente dos organismos da república em 1,7 vezes.

Aumentar durante o quinquênio a produção de energia elétrica em cerca de 4 vezes; a de cimento, em 13 vezes; a de tecidos de algodão, em 2,1 vezes; a de calçados de couro, no dobro.

Concluir as obras da central hidrelétrica de Kairak-Kum, no Sir-Dariá, e de Perepodineia no canal de Vaksh. Empreender em 1956 a construção da central hidrelétrica Golovnaia no Rio Vaksh. Pôr em funcionamento uma fábrica de cimento, assim como a segunda fase do combinado de tecidos de algodão de Stalinabad. Construir e pôr em funcionamento um combinado de preparação de manteiga e óleos em Stalinabad.

Na agricultura, considerar que a tarefa mais importante é o desenvolvimento ao máximo da cultura do algodão e, sobretudo, o incremento da produção de variedade de fibra fina. Aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção de algodão em bruto em 1,7 vezes, aproximadamente; a de carne em 2,2 vezes; a de leite, em 2,6 vezes; a de lã, em 1,7 vezes; e a de casulos de bicho da seda, em 1,6 vezes. Assegurar a criação de ovelhas merinas e semimerinas, o constante desenvolvimento da criação de ovelhas caracul e o aumento do número de ovelhas de Hissar.

Assegurar a construção de uma rede de irrigação em uma superfície de 89.000 hectares e irrigar não menos de dois milhões de hectares de pastagens durante o quinquênio.

                                     República Socialista Soviética da Armênia

Aumentar durante o quinquênio a produção global de toda a indústria em 1,7 vezes, aproximadamente, e a da indústria dependente dos organismos da república em 1,6 vezes.

Aumentar durante o quinquênio a produção de energia elétrica em 1,3 vezes, aproximadamente; a de adubos minerais, em 1,6 vezes; a de cimento, em 2 vezes; a de vinho, em 1,4 vezes; a de calçado de couro, em 1,5 vezes.

Concluir a construção das centrais hidrelétricas da queda de Seván-Razdán e começar as obras da central hidrelétrica de Tatev, com uma potência de 100.000 kW. Construir uma fábrica de seda artificial, uma de ferramentas e outra de conservas.

Na agricultura, aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção de cereais em cerca de 1,5 vezes; a de carne, 2,1 vezes; a de leite, 2,2 vezes; a de lã, 1,8 vezes, e a de casulos de bicho da seda, 1,8 vezes. Assegurar o desenvolvimento constante da fruticultura, da viticultura e do cultivo do algodão. Construir uma rede de irrigação em uma superfície de 39.000 hectares e irrigar 150.000 hectares de pastagens. Concluir as obras do canal de irrigação de Talin e a primeira fase do sistema de irrigação de Arzni-Shamiram.

                                      República Socialista Soviética do Turquimenistão

Aumentar durante o quinquênio a produção global de toda a indústria em 1,6 vezes, aproximadamente, e a da indústria dependente dos organismos da república em 1,8 vezes.

Aumentar durante o quinquênio a extração de petróleo em cerca de 1,3 vezes; a produção de cimento, em 7,9 vezes; a de energia elétrica, em 1,8 vezes; a de calçado de couro, no dobro.

Pôr em funcionamento duas centrais elétricas acionadas por turbinas a vapor, uma usina de superfosfatos em Chradjou e a nova mina de enxofre de Gaurdak; prever a ampliação da fábrica de cimento de Bezmein e a construção do gaseoduto Kizil-Kum-Krasnovodsk.

Na agricultura, considerar como tarefa importante o desenvolvimento ao máximo da cultura do algodão e da pecuária, em particular da criação de ovelhas caracul. Aumentar em 1960, em relação a 1955 a produção de algodão em bruto em 2,1 vezes, aproximadamente; a de carne, em 1,8 vezes; a de leite, em 2,2 vezes; a de lã, em 1,3 vezes; a de peles de caracul, em 1,4 vezes, e a de casulos de bicho da seda, em 1,5 vezes.

Pôr em cultivo 205.000 hectares de terras com rede de irrigação e assegurar a irrigação de 10 milhões de hectares de terras desérticas. Concluir as obras da primeira fase do canal de Kara-Kum, da represa de Sari-Yazi e da segunda represa de Tedjen.

                                            República Socialista Soviética da Estônia

Aumentar durante o quinquênio a produção global tanto de toda a indústria como da indústria dependente dos organismos da república em 1,6 vezes aproximadamente.

Aumentar durante o quinquênio a extração de xisto, em 1,7 vezes aproximadamente; a produção de gás de xisto em 1,7 vezes; a de energia elétrica, em 2,8 vezes; a extração de turfa, em 1,7 vezes; a fabricação de adubos minerais, em 4 vezes; a de cimento, em 2 vezes; a de tecidos de algodão, em 1,4 vezes; a de calcado de couro, em 1,5 vezes; a de manteiga, em 1,2 vezes, e a pesca, em 1,6 vezes.

Construir em Aktma uma fábrica de gás de xisto e outra de elaboração de óleo de xisto. Edificar a central elétrica do' Báltico, que utilizará xisto como combustível, e pôr em funcionamento a primeira fase da mesma, com uma potência de 300.000 kW. Modernizar a fábrica de cimento «Punane Kunda» e instalar uma potência adicional de 225.000 toneladas de cimento anuais. Ampliar a base costeira da indústria de pesca.

Na agricultura, aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção agropecuária nas seguintes proporções: carne, 1,8 vezes aproximadamente; leite, 2,3 vezes; cereais, 2,5 vezes e batatas, 1,9 vezes. Garantir o amplo desenvolvimento da engorda de porcos para carne e toucinho. Ampliar as semeaduras de trevo e elevar seu rendimento, realizar em vasta escala os trabalhos de melhoramento de prados e a criação de pastos cultivados permanentes. Pôr em exploração 38.000 hectares de terra, à base da construção de novos sistemas de drenagem e 194.000 hectares à base da reorganização dos já existentes.

                                    República Socialista Soviética Carelo-Finlandesa

Aumentar durante o quinquênio a produção global tanto de toda a indústria como da indústria dependente dos organismos da república em 1,6 vezes aproximadamente.

Garantir o desenvolvimento sucessivo das indústrias florestal, do papel e da madeira. Incrementar durante o quinquênio a exploração da madeira para fins industriais em 1,5, aproximadamente; a produção de madeira serrada em 1,8 vezes; a de papel, em 1,8 vezes. Ampliar os combinados de celulose e papel de Kondopoga e de Segej a, construir em Novo Kiem um combinado madeireiro e uma fábrica de móveis; empreender a construção de um combinado para a fabricação de papelão. Continuar as obras da estrada de ferro do Oeste da Carélia.

Aumentar durante o quinquênio a produção de energia elétrica em 2 vezes aproximadamente e a produção de alumínio em 1,6 vezes. Pôr em funcionamento a central hidrelétrica de Ondo, com uma potência de 80.000 kW, bem como as de Kuma Vig e Paliessandal e empreender a construção da central hidrelétrica de Jov, com uma potência de 80.000 kW. Terminar a construção da represa de Valazmin.

Na agricultura, aumentar em 1960, em relação a 1955, a produção agropecuária nas seguintes proporções: leite, 2,3 vezes aproximadamente; carne, 1,6 vezes; batata, 3,2 vezes e hortaliças, 5 vezes. Cultivar 55.000 hectares de novas terras à base da construção e renovação dos sistemas de drenagem.

                                                                         ★ ★ ★

O VI Plano Quinquenal prevê um novo e poderoso ascenso da economia nacional da União Soviética e, principalmente, da indústria pesada, base da economia socialista. A realização deste plano significará o contínuo fortalecimento da potência econômica da URSS e de sua inquebrantável capacidade de defesa, a elevação considerável do bem-estar do povo e o ascenso da cultura.

O vitorioso cumprimento do VI Plano Quinquenal será decidido pelos homens — operários, colcosianos e intelectuais. — pelo seu abnegado e heróico trabalho; será decidido pelo trabalho de organização de nossas organizações do Partido, dos Soviets, sindicais e econômicas, pelo acerto com que dirijam as empresas industriais, as obras em construção, os colcoses, as estações de máquinas e tratores e os sovcoses.

O sexto quinquênio será o quinquênio da introdução em grande escala da nova técnica em todos os ramos da economia nacional. O Congresso impõe por isso a todas as organizações do Partido e econômicas a obrigação de melhorar decididamente o trabalho dirigido a garantir o progresso técnico, a rápida introdução na produção das últimas conquistas da ciência e da técnica soviética e estrangeira, a experiência das melhores empresas e colcoses, dos homens avançados da indústria e da agricultura. Tem enorme importância a elevação da qualificação dos operários, dos colcosianos e especialistas de todos os ramos da produção, pois somente assim pode ser garantido o emprego mais eficaz da técnica moderna com que será equipada a economia nacional no sexto quinquênio.

Todos os ramos da indústria e da agricultura socialistas dispõem de enormes possibilidades internas. Descobrir essas possibilidades e utilizá-las decididamente significa garantir o cumprimento das tarefas do VI Plano Quinquenal e também a sua superação. O Congresso chama especialmente a atenção das organizações do Partido e dos dirigentes da economia para a necessidade de que cada empresa e cada colcós cumpra sem falta todos os índices das tarefas fixadas pelo Estado, que se eleve constantemente a produtividade do trabalho, se reduza o custo da produção e se melhore a qualidade da mesma, se observe rigorosamente um regime de economia e se reduza com empenho o gasto de trabalho por unidade produzida.

Nas condições da economia socialista planificada tem grande significação a existência de reservas materiais, alimentícias e financeiras à disposição do Estado. O Congresso considera que o aumento constante destas reservas constitui uma das tarefas importantes do sexto quinquênio.

O cumprimento das tarefas do VI Plano Quinquenal será uma grande contribuição para o fortalecimento contínuo de todo o campo socialista. A União Soviética ampliará por todos os meios a colaboração com os países de democracia popular para o emprego mais racional, no interesse de cada pais do campo socialista e deste em seu conjunto, dos recursos econômicos è do potencial instalado, mediante a coordenação do desenvolvimento de diferentes ramos da economia nacional, a especialização e cooperação da produção e pelo intercâmbio dos progressos científicos e técnicos e de experiências avançadas da produção. Defendendo consequente e firmemente a possibilidade e a necessidade da coexistência pacífica dos países de diferentes sistemas políticos e sociais, o Estado soviético procurará igualmente ampliar o comércio com outros países, à base do proveito mútuo.

Ao elaborar o projeto de Diretivas do XX Congresso do Partido para o VI Plano Quinquenal, o Comitê Central do PCUS tomou em consideração as propostas do pessoal de muitos milhares de empresas e colcoses. Da preparação e estudo destas propostas participaram grandes massas de operários, colcosianos, especialistas da indústria e da agricultura e homens de ciência. Sua iniciativa patriótica e rica experiência na produção ajudaram o Comitê Central a determinar mais exatamente as tarefas de desenvolvimento dos diferentes ramos da economia nacional no sexto quinquênio, a descobrir as enormes possibilidades internas da indústria, da agricultura e do transporte socialistas.

O Congresso considera necessário que, à base das presentes Diretivas, se elabore e aprove no prazo mais breve o VI Plano Quinquenal para 1956-1960 por ministérios, departamentos, repúblicas federadas e regiões econômicas, a fim de que em 1956 sejam levadas ao conhecimento das empresas, colcoses, EMT, sovcoses e obras em construção as tarefas do Plano Quinquenal. Isso ajudará a mobilizar a atividade criadora das massas para o cumprimento do Plano, para descobrir novas reservas internas em todos os ramos da economia nacional, para estabelecer um controle rigoroso do cumprimento das tarefas nele fixadas.

O XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética exorta a todos os operários, colcosianos e intelectuais soviéticos a desenvolver a emulação socialista de todo o povo para cumprir e superar as tarefas do VI Plano Quinquenal de desenvolvimento da economia nacional da URSS O cumprimento do VI Plano Quinquenal constituirá um novo grande passo no desenvolvimento da economia socialista, na realização da tarefa de criar a abundância de bens de consumo popular, na construção da sociedade comunista em nosso país.