Centro de Documentação e Memória (CDM)
Revista Problemas - Revista Problemas

Nossa Política: O Primeiro Aniversário do Histórico XIX Congresso do PCUS

Editorial Publicado em 14.03.2012

Os Comunistas e os homens progressistas do mundo inteiro comemoram, neste mês de outubro, o primeiro aniversário de um acontecimento de imensa importância histórica mudial: a realização do XIX Congresso do Partido Comunista da União Soviética.

Desde o momento em que foi anunciada a sua convocação e durante todo o seu transcorrer, iniciado a 5 de outubro de 1952, o XIX Congresso do P.C.U.S. concentrou a atenção de toda a humanidade, dos militantes do movimento comunista, dos lutadores pela liberação nacional, dos partidários da paz, dos milhões de pessoas simples que almejam a substituição do pesadelo capitalista por um mundo em concórdia e bem-estar. Os inimigos da humanidade, os monstros imperialistas e os seus lacaios, tremeram diante do grandioso balanço apresentado pelo XIX Congresso e diante da onda de calorosa simpatia que ele despertou em todo os continentes.

A 5 de outubro de 1952. reuniu-se em Congresso um Partido que passou pela prova de três revoluções, que se forjou nas mais duras lutas já travadas por um Partido na história da humanidade. Fundado e construído por Lênin — o mais genial chefe revolucionado de nossa época, continuador legítimo de Marx e Engels — o Partido Comunista da União Soviética se manteve sempre fiel ao espírito criador do marxismo revolucionário e pôde ser, por isso, o primeiro a derrubar inapelavelmente o capitalismo e construir o Estado da ditadura do proletariado.

Conduzido por Stálin — o grande discípulo e continuador da obra de Lênin — e pelos seus companheiros de armas, o Partido Colunista da União Soviética se apresentou ao XIX Congresso como o dirigente prestigiado e amado da sociedade soviética, que baniu de seu seio, em definitivo, os exploradores, construiu o socialismo e se encontra em marcha para o comunismo. O XIX Congresso marcará na história da humanidade a vitoriosa marcha dos povos soviético em direção ao comunismo. Afirmou, por isso, com profunda razão, o camarada Malênkov:

"Não há absolutamente força no mundo que possa entravar o movimento progressista da sociedade soviética. Nossa causa é invencível. É preciso segurar firmemente o leme e continuar o caminho sem ceder às provocações e às intimidações.".
O XIX Congresso deu ao mundo mais uma demonstrarão da inalterável política de paz da URSS.

"No que diz respeito à União Soviética — afirmou Stálin na memorável sessão de encerramento do Congresso — os seus interesses são inseparáveis em absoluto da causa da paz no mundo inteiro.".
O P.C.U.S. apresentou-se ao XIX Congresso como diligente do Estado que é o mais poderoso baluarte da causa da paz, em torno do qual se aglutinam os povos para desfazer e derrotar os intentos criminosos dos fautores de guerra norte-americanos e de seus associados.

Dirigida pelo P.C.U.S., a União Soviética luta pela paz e ao mesmo tempo reforça as suas defesas contra qualquer possível agressão. Afirmou o camarada Malênkov da tribuna do XIX Congresso;

"A União Soviética, ao aplicar sem desfalecimento sua política de cooperarão pacífica com todos os países, toma em consideração ao mesmo tempo a ameaça de uma nova agressão por parte dos furiosos incendiários de guerra. É por isso que ele reforça e continuará a reforçar sua capacidade de defesa".
O XIX Congresso do P.C.U.S. foi o último que contou com a participação do grande Stálin, que à frente do sábio Comitê Central do Partido, por tantos anos dirigiu vitoriosamente a União Soviética e o movimento comunista internacional. A obra de Stálin "Problemas Econômicos do Socialismo na URSS" forneceu as teses básicas debatidas pelo Congresso e representou um desenvolvimento criador de toda a teoria marxista-leninista. De acordo com resolução do Congresso, o novo programa do Partido — o programa da construção do comunismo — será elaborado à base das teses programáticas de "Problemas Econômicos do Socialismo na URSS".

O genial discurso de Stálin na sessão de encerramento do XIX Congresso fez, em nome do P.C.U.S., uma afirmação de internacionalismo proletário que galvanizou o movimento comunista do mundo inteiro.

"Nosso Partido e nosso país — declarou Stálin da mais alta tribuna revolucionária — sempre necessitaram e continuam a necessitar da confiança, da simpatia e do apoio dos povos irmãos do estrangeiro. A peculiaridade desse apoio consiste em que todo apoio as aspirações pacificas, de nosso Partido, por parte de qualquer outro partido irmão, significa ao mesmo tempo, para todos eles, um apoio a seu próprio povo na luta pela manutenção da paz.".
O discurso de Stálin, inspirado nos ensinamentos de Lênin é síntese da experiência acumulada do P.C.U.S., forneceu aos Partidos irmãos nos países onde ainda domina o capital um claro programa de luta pelas reivindicações democráticas de conteúdo mais revolucionário em nossa época — a luta pelas liberdades democrático-burguesas e pela independência nacional. A luta por essas reivindicações democráticas é condição para que os Partidos comunistas e democráticos dos países onde ainda domina o capital agrupem em torno de si a maioria do povo e se tornem a força dirigente da nação.

"Por conseguinte — afirmou Stálin — há todos os fundamentos para contar com os êxitos e as vitórias dos partidos irmãos nos países onde ainda domina o capital.".
Estudando as grandes lições do XIX Congresso do P.C.U.S., disse o camarada Prestes, com inteira justeza, em seu informe de abril último:

"O grande Partido de Lênin e Stálin é a força inspiradora, orientadora e dirigente do movimento operário internacional. Isto explica a repercussão histórico-mundial que teve a realização do seu XIX Congresso, acontecimento de excepcional importância não apenas para os povos soviéticos, mas para toda a humanidade. Os operários, os camponeses, os intelectuais avançados de todos os países, todos os seres humanos que desejam a paz, a liberdade e a independência, todos os que odeiam o jugo do captai e as sangrentas guerras imperialistas, acompanharam com alegria e orgulho o desenrolar do histórico XIX Congresso do Partido Comunista da União Soviética e acolheram com interesse e profundo reconhecimento suas memoráveis resoluções.".

                                                                  * * *

A participação de uma delegação brasileira nos trabalhos do XIX Congresso do P.C.U.S. constituiu um acontecimento de significação marcante na história de nosso Partido. As lições do XIX Congresso ajudaram e continuam a ajudar poderosamente o nosso Partido a cumprir a sua missão de dirigente das lutas pela emancipação nacional e social do povo brasileiro.

Os comunistas brasileiros são profundamente gratos ao P.C.U.S. pelos ensinamentos recebidos no seu XIX Congresso. Tais ensinamentos levaram o nosso Partido a se colocar com firmeza e consequência à frente das reivindicações democráticas das amplas massas do povo brasileiro — as reivindicações da paz, das liberdades democráticas e da independência nacional. O prestígio de nosso Partido se afirma à medida em que mais audaz e persistentemente levantamos essa bandeira diante de todas e de cada uma das camadas da sociedade brasileira que sentem os seus direitos espezinhados pelo arbítrio e pela violência de um regime profundamente reacionário, diante de todos os homens e mulheres que, acima de divergências de várias espécies, se opõem à criminosa colonizarão do país pelo imperialismo norte-americano, apoiado nessa empresa sinistra pelos agentes da traição nacional, os latifundiários e os grandes capitalistas, dos quais o governo de Vargas é a expressão política. O nosso Partido é o campeão da unidade das amplas massas e de todas as camadas sociais interessadas na luta pela suas aspirações de paz, de liberdade e de independência nacional. É trilhando o caminho da unidade, com alicerce na aliança operário-camponesa, que o nosso Partido se empenha em forjar a frente democrática de libertação nacional que abranja desde o proletariado à burguesia nacional e seja o efetivo instrumento das transformações revolucionárias de que depende a salvação de nossa Pátria.

Por isso afirmou Prestes, segundo a lição do XIX Congresso do P.C.U.S.:

"O dever dos comunistas está em impulsionar a atividade das massas, em apontar o justo caminho da unidade e em lutar por ela. Nisto consiste levantarmos em nossa terra a grande bandeira que nos indicou o camarada Stálin — a bandeira da luta pela paz, pelas liberdades e pela independência nacional."
O XIX Congresso do P.C.U.S. constituiu para o nosso Partido um novo impulso na luta pela sua construção. A compreensão ideológica do papel do Partido é o fundamental a fim de ganhar o Partido de alto a baixo para a tarefa decisiva de sua construção.

Como afirmou Stálin, só o partido da classe operária pode levantar, em nossa época, a bandeira das liberdades democráticas e da independência nacional. Mas o Partido tanto mais vigorosa e consequentemente o fará, conduzindo as amplas massas da nação, quanto mais preservar a sua ideologia e a sua política. Só o Partido da classe operária pode dirigir a fundo a luta pelas reivindicações democráticas e conduzi-las pelo caminho revolucionário da conquista de um novo regime social, o regime de democracia popular. Mas, para isso, é necessário que o Partido não se dissolva na Frente Única, que na Frente Única saiba ganhar o papel efetivo de dirigente, que lute sempre pelo objetivos imediatos dos trabalhadores e considere como princípio intangível, sempre reafirmado em sua propaganda, a luta pelo socialismo como objetivo final específico do proletariado.

A construção orgânica e ideológica do Partido assume assim a categoria de tarefa decisiva para a vitória da justa linha política traçada pela direção nacional. A organização das massas na frente democrática de libertação nacional exige simultaneamente, para que possa ser alcançada, o crescimento numérico impetuoso das fileiras do Partido e a elevação do nível ideológico dos seus militantes e do nível teórico dos seus quadros dirigentes.

A direção nacional de nosso Partido se vem guiando pelas preciosas lições do XIX Congresso do P.C.U.S., travando uma batalha tenaz pela formação do Partido, pelo seu enraizamento nas grandes empresas industriais e concentrações de assalariados agrícolas, pelo melhoramento de sua composição social, pela educação dos militantes na ideologia do socialismo, pela assimilação da teoria científica do marxismo-leninismo.

O primeiro aniversário da realização do XIX Congresso do Partido Comunica da União Soviética deve levar ao estudo sistemático e aprofundado dos seus documentos, que nos transmitem as mais ricas lições de marxismo criador em nossa época. Faz-se tenazmente necessário o estudo, cuidadoso e planificado, do informe de Prestes e do co-informe de Arruda ao pleno de abril último do Comitê Nacional, cuja importância consiste precisamente em que aplicam à realidade brasileira os ensinamentos do XIX Congresso do P.C.U.S..

Somente na medida em que soubermos ser fiéis ao P.C.U.S. é que poderemos levar à vitória a causa da emanciparão nacional e social do nosso povo. Este, o ensinamento supremo que recolhemos ao XIX Congresso. Dirigido pelo seu sábio Comitê Central — a cuja frente se encontra o camarada Malênkov —, o Partido Comunista da União Soviética, Partido que é a encarnação mais alta da força revolucionária do marxismo-leninismo, Partido criado e forjado pelo gênio de Lênin e pelo seu continuador — o grande Stálin —, marcha à frente da humanidade para o futuro radioso do comunismo.