Centro de Documentação e Memória (CDM)
Revista Problemas - Revista Problemas

Discurso na Reunião Solene e Extraordinária do Comitê Nacional do PCB, em Homenagem à Memória do Camarada Stálin Nosso Mestre, Guia e Pai

Luiz Carlos Prestes Publicado em 28.02.2012

CAMARADAS!

Sentimos profundamente a morte do camarada Stálin, nosso melhor amigo, mestre e guia incomparável. Mas, comunistas, modestos discípulos do grande Stálin, cabe-nos o dever de saber transformar a nossa dor em energia criadora para prosseguirmos sem desfalecimentos pelo caminho que nos indicou Stálin, o caminho da paz e da independência dos povos, o caminho da vitória do socialismo e
do comunismo no mundo inteiro.

Com a morte do camarada Stálin aumentaram enormemente as nossas responsabilidades. Sentimo-nos como filhos privados de um pai solícito, sábio e experiente. Sentimo-nos como aprendizes privados do mestre querido e conhecedor profundo da grande arte de dirigir as massas e levá-las à vitória. Sentimo-nos como soldados que perderam em pleno combate o chefe amado e previdente, o comandante genial sob cuja direção nos habituamos a vencer com serenidade os piores obstáculos e a enfrentar com coragem a todos os inimigos.

Nosso Partido tudo deve ao camarada Stálin. Foi sob a direção de Stálin que nosso Partido viveu e cresceu. Só na medida em que fomos capazes de ouvir e assimilar as lições de Stálin conseguimos desenvolver nossas forças e chegar a ser o que hoje somos, a valer o que hoje valemos para o povo trabalhador de nossa terra.

Para avaliarmos, camaradas, a grandeza da nossa dívida ao camarada Stálin, é para o povo que nos devemos voltar. O povo brasileiro, que geme sob o jugo dos imperialistas ianques, sob a exploração crescente dos latifundiários e grandes capitalistas nativos, sabe que tinha em Stálin o seu maior amigo e jamais esquecerá que foi graças a Stálin que se libertou da terrível ameaça de escravização pelo nazi-fascismo. E, se as grandes massas do povo brasileiro confiam em nosso Partido e para ele se voltam na esperança de melhores dias isto se dá porque ninguém jamais duvidou de que à frente de nosso Partido, indicando aos comunistas brasileiros o caminho da salvação do Brasil, sempre esteve o pensamento genial do grande Stálin.

Isto significa que, agora, privados de Stálin, só continuaremos a merecer a confiança de nosso povo na medida em que formos capazes de prosseguir sem vacilações pelo caminho que o camarada Stálin nos indicou, em que soubermos honrar o legado precioso que o camarada Stálin nos deixou.

Saibamos defender, camaradas, com firmeza e consequentemente, a posição internacionalista de nosso Partido, de solidariedade e apoio ao movimento operário revolucionário mundial e à luta dos povos contra a opressão imperialista e pela independência nacional.

Seguindo as lições do camarada Stálin, os comunistas brasileiros jamais esquecerão que defender a URSS sem reservas, sem hesitação, sem quaisquer condições, é defender a base do movimento revolucionário mundial, é impulsionar para adiante este movimento, é ser internacionalista de verdade. Apoiar a política de paz do grande Partido Comunista da União Soviética é apoiar ao nosso próprio povo em sua luta pela manutenção da paz, é, antes de tudo, defender os supremos interesses da nação brasileira contra a política de guerra, de fome e reação do governo de traição nacional de Vargas. Por sermos internacionalistas, por ouvirmos as lições de Stálin, soubemos lutar consequentemente contra o nazismo e já em 1946 dirigíamos ao nosso povo o apelo histórico no sentido de jamais participar de qualquer guerra contra a União Soviética. E é por isto, por sermos internacionalistas e procurarmos honrar os ensinamentos do camarada Stálin, que o povo confia em nosso Partido e para ele se volta na esperança de melhores dias.

Nosso Partido é o Partido da independência nacional, é o único que defende de maneira conseqüente a soberania do Brasil contra a brutalidade da exploração imperialista. Saibamos erguer bem alto esta bandeira e, para dirigir com acerto a luta de nosso povo pela independência e a soberania da pátria, procuremos assimilar os ensinamentos do camarada Stálin, sobre a questão nacional e colonial, procuremos conhecer suas magistrais lições ao povo chinês e a todos os povos que lutam contra o colonizador imperialista, e levar à prática seus sábios conselhos. Sem uma revolução triunfante, sem a derrocada do governo de latifundiários e grandes capitalistas serviçais do imperialismo e sua substituição pelo novo Poder da democracia popular, é impossível libertar nosso povo do jugo imperialista. Esta a primeira grande lição do camarada Stálin que não podemos jamais olvidar. Mas, como nos ensina ainda o camarada Stálin, a revolução democrática popular nos países coloniais e dependentes tem forçosamente duas etapas. Em nosso país, na etapa atual, a revolução é agrária e anti-imperialista, não toca nas raízes do capitalismo, visa realizar as tarefas da revolução democrático-burguesa que não foram levadas a termo e criar as condições para a passagem à segunda etapa da revolução de caráter socialista. Só a justa compreensão destes sábios ensinamentos do camarada Stálin permitirá ao nosso Partido enfrentar com acerto o importantíssimo problema dos aliados do proletariado e construir em torno de um justo programa a ampla frente única democrática e anti-imperialista que é o instrumento indispensável ao triunfo da revolução. Saibamos, pois, unir e organizar as imensas forças sociais que em nosso país podem participar da luta contra o opressor estrangeiro e que se estendem desde os operários e camponeses até a burguesia nacional, incluindo todas as forças democráticas patrióticas e progressistas da nação. O povo confia em nosso Partido porque conhece e admira a posição conseqüente e firme dos comunistas na luta contra o opressor ianque e volta-se para nós na esperança de melhores dias, porque acredita em nossa fidelidade às idéias de Stálin, porque espera que seremos capazes de assimilá-las_ por completo e de realizá-las com acerto, de aplicá-las às condições específicas de nosso país.

Nosso Partido é o único que luta consequentemente pela entrega da terra aos camponeses, o único que sempre apoiou as lutas das massas trabalhadoras do campo contra a brutalidade da exploração semi-feudal e semi-escravagista a que se acham sujeitas em todo o país, o único que reclama o confisco das grandes propriedades latifundiárias e sua distribuição gratuita entre as amplas massas de camponeses e de assalariados agrícolas. O camarada Stálin nos ensina que quem luta pelo Poder e se prepara para tomá-lo tem a obrigação de cuidar atentamente do problema de seus verdadeiros aliados e que o principal aliado da classe operária, em país como o nosso, é a massa camponesa que constitui a maioria esmagadora da nação. Na aliança operário-camponesa — mostrar-nos ainda o camarada Stálin — está o alicerce da frente única democrática e anti-imperialista capaz de salvar o Brasil da crescente colonização pelos imperialistas ianques.

Construtor do socialismo na URSS, deu o camarada Stálin com o sistema kolkholziano uma solução feliz e definitiva ao problema camponês, que abre aos camponeses trabalhadores do mundo inteiro a perspectiva de uma vida próspera e feliz, livre para sempre da miséria, do atraso e da ignorância em que durante séculos vegetaram sem qualquer esperança todos aqueles que se dedicam ao trabalho da terra. Muito precisamos ainda fazer para arrancar os camponeses brasileiros da influência escravizadora de seus exploradores, para despertá-los, para organizá-los e levá-los à luta pelos seus interesses imediatos, pela liquidação das sobrevivências feudais no campo e pela livre posse da terra, para realizarmos enfim a aliança operário-camponesa em nosso país. Nossa tarefa é, no entanto, facilitada, porque os camponeses brasileiros vêem em nosso Partido o único capaz de lhes assegurar a vida feliz que já alcançaram sob a direção do grande Stálin os trabalhadores kolkhozianos da União Soviética. Saibamos, pois, seguir as lições de Stálin, reforçando a nossa atividade no campo para darmos às grandes massas camponesas a direção política que elas aguardam de nosso Partido na esperança de alcançarem melhores dias com a posse gratuita da terra que lhes abra o caminho para uma vida próspera e feliz.

Fiel aos ensinamentos do grande Stálin, nosso Partido sempre lutou e luta pela manutenção da paz, contra a política agressiva e guerreira dos incendiários de guerra imperialistas e seus agentes e lacaios em nossa terra.

"A paz será mantida e consolidada — ensina o camarada Stálin — se os povos tomarem em suas mãos a causa da manutenção da paz e a defenderem até o fim".

Seguindo os ensinamentos do camarada Stálin conseguimos despertar a milhões de brasileiros e mobilizá-los para a defesa da paz, para a luta ardente contra a política de guerra e traição nacional dos lacaios do imperialismo em nossa terra. Fizemos da luta pela paz a tarefa central e decisiva de nosso Partido e, fiéis aos conselhos do camarada Stálin, temos conseguido desmascarar as mentiras com que os incendiários de guerra procuram enganar as massas, confundi-las e arrastá-las a uma nova guerra. As mães brasileiras que defendem as vidas de seus filhos confiam em nosso Partido porque sabem que ele segue fielmente os ensinamentos do grande Stálin, admirado, querido e venerado como o porta-bandeira da paz no mundo inteiro. Pelo mesmo motivo voltam-se para nosso Partido os jovens que não querem ir morrer na Coréia e as pessoas simples de todas as classes e camadas sociais que odeiam a guerra e desejam a paz entre os povos.É certo, no entanto, que, se soubermos assimilar os ensinamentos do camarada Stálin sobre o caráter e os objetivos do atual movimento em defesa da paz para aplicá-los com acerto em nosso país, muito ainda poderemos fazer para ganhar novos e novos milhões de compatriotas para a causa da paz e para a luta ativa e organizada contra a política de guerra e traição nacional dos agentes dos incendiários de guerra em nossa terra. Milhões de partidários da paz voltam-se para o nosso Partido e procuram e aceitam suas diretivas porque confiam que seremos sempre fiéis aos ensinamentos do grande Stálin, em cujas mãos esteve por tantos anos o grande estandarte da causa da paz entre os povos.

Camaradas! O povo brasileiro sentiu profundamente a morte do camarada Stálin e, neste momento, mais do que nunca, volta-se confiante e na esperança de melhores dias para o nosso Partido, para aqueles que, como nós, têm a honra insigne de pertencer ao grande exército de Lênin e Stálin. Nosso dever é dirigi-lo, guiá-lo firmemente, elevando bem alto a bandeira que nos indicou o camarada Stálin, a bandeira da paz, da liberdade e da independência nacional.

Sabemos, camaradas, o quanto avançou o movimento operário revolucionário do mundo inteiro nos últimos trinta anos, sob o comando genial de Stálin. A gloriosa União Soviética vieram agregar-se as novas "brigadas de choque" do movimento operário revolucionário mundial, formando o invencível campo da paz, da democracia e do socialismo que se estende agora desde a China e a Coréia até a Tchecoslováquia e a Hungria. Como nos advertiu o camarada Stálin a tarefa dos comunistas no mundo inteiro tornou-se agora mais fácil e existem todas as condições para contar com maiores êxitos em nossa atividade revolucionária. Isto significa, portanto que se não avançamos com maior rapidez, se ainda sofremos revezes e derrotas, devemos procurar as origens de nossos insucessos, antes de tudo, em nós mesmos, em nossos próprios erros e debilidades, a fim de reforçar o nosso Partido e colocá-lo efetivamente à altura das tarefas históricas que deve realizar, à altura da confiança que nele depositam as grandes massas de nosso povo.

O camarada Stálin não foi apenas o comandante insigne do proletariado revolucionário do mundo inteiro, foi o teórico incomparável que enriqueceu com novas e geniais descobertas o acervo do marxismo-leninismo, deixando, ao morrer, nas mãos do proletariado revolucionário um tesouro inestimável, as armas teóricas que a todos nos armam para a luta vitoriosa com os inimigos da humanidade. Saibamos fazer de seus ensinamentos um guia para a ação, estudando profundamente sua obra genial, assimilando-a para aplicá-la com acerto às condições específicas de nosso país. Para reforçar o nosso Partido precisamos estudar particularmente a contribuição genial do camarada Stálin à teoria de Lênin sobre o Partido. E ao fazer esforços para elevar o nível teórico de nossos dirigentes e militantes tenhamos sempre presente que, como nos ensina Stálin, é o marxismo inimigo de qualquer dogmatismo:

"O marxismo — escreveu o camarada Stálin — é a ciência das leis do desenvolvimento da natureza e da sociedade, a ciência da revolução das massas oprimidas e exploradas, a ciência da vitória do socialismo em todos os países, a ciência da construção da sociedade comunista. O marxismo, como ciência, não pode estagnar: desenvolve-se e aperfeiçoa-se".

Modestos discípulos do grande Stálin, saibamos, camaradas, ser fiéis aos seus ensinamentos porque só em torno dos grandes princípios por que Stálin viveu e lutou poderemos consolidar a unidade de nosso Partido, só lutando pelas idéias de Stálin conseguiremos estreitar as ligações de nosso Partido com as massas oprimidas e exploradas e levar nosso povo à vitória.

Glória a Stálin! Seu nome está indissolüvelmente ligado a toda a atividade de nosso Partido, à história de nosso povo. Quando nosso povo puder festejar a vida livre e feliz que alcançará, o nome de Stálin estará mais vivo do que nunca nos lábios das crianças, no coração de todas as mães brasileiras, na memória de todo o nosso povo.