Escola do PCdoB
Notícias

Uma nota à nação brasileira em defesa de Lula e da democracia

Altair Freitas Publicado em 01.02.2018

No encerramento da décima turma do Curso Nacional Nível III, organizado pela Escola Nacional João Amazonas em parceria com a Fundação Maurício Grabois, a turma Lúcio Monteiro -  homenagem à memória do comunista pernambucano recém-falecido -  produziu uma "vibrante e emocionante" carta aberta à Nação Brasileira.

Com Luciana Santos e Nereide Saviani, diretora da Escola Nacional, ao centro

Com a participação de setenta e sete quadros partidários de vinte e dois estados, representando os comitês estaduais do PCdoB e as principais frentes de atuação do partido nos movimentos sociais, o Curso Nível III, realizado de 20 a 31 de janeiro em São Paulo, foi mais uma etapa de grande relevância no desenvolvimento teórico e ideológico da militância comunista, possibilitando a cada camarada ricos momentos com aulas, debates, leituras individuais e trabalho em grupo. Nos depoimentos e avaliações dos (as) participantes, é marcante o sentimento de alegria pela possibilidade de terem participado do curso. A Carta à Nação Brasileira por eles produzida, sob condução do grêmio estudantil organizado durante o curso, revela com clareza a justeza do trabalho de formação promovido pela Escola Nacional.

 
Luciana Santos, presidente do PCdoB, saúda a turma do curso de formação política

CARTA DA TURMA LÚCIO MONTEIRO À NAÇÃO BRASILEIRA

A Turma Lúcio Monteiro, décima turma do Curso Nacional de Nível III, da Escola Nacional do PCdoB João Amazonas, em parceria com a Fundação Maurício Grabois, reunida entre os dias 20 e 31 de janeiro de 2018, em São Paulo, em esforço coletivo para a formação partidária, debateu com afinco e entusiasmo os conteúdos do curso intitulado “Aprofundamentos dos Conceitos do Marxismo-Leninismo”. Em um momento oportuno, para fazer uma análise prática do momento histórico, acompanhamos de perto o discurso de Lula na Praça da República, em mais um episódio que abala a nossa jovem democracia, golpeada e enfraquecida. Nosso Partido reafirma que nosso país encontra-se em uma encruzilhada. Uma forte onda neoliberal, antinacional, antipopular e neocolonialista avança sobre nossos direitos conquistados pela luta popular há décadas. Esse conluio impõe uma série de retrocessos, sob a sombra do golpe jurídico-político-midiático, que não deve a nós – trabalhadoras e trabalhadores – qualquer satisfação e tenta de todas as maneiras manipular a democracia, através da judicialização da política. O Brasil precisa retomar o caminho do crescimento econômico, com pilares sólidos, baseados num projeto nacional de desenvolvimento, que possa contrapor a austeridade cínica de Temer e de seus aliados. Para derrotarmos esse conluio, é necessária a formação de uma frente ampla, capaz de construir um novo projeto popular e defender a Democracia.

 
A leitura da carta

Defendemos todo o direito de Lula ser candidato à presidência da república, dando continuidade aos seus compromissos com a população brasileira. Nossa luta é priorizar a democracia e lutaremos bravamente para a resistência política da Esquerda brasileira, e assim, não desistiremos de expor o golpe que o Brasil sofre desde o impedimento da Presidenta Dilma Rousseff.

Atualmente, enfrentamos a fúria fascista que se instala diariamente no nosso país, com julgamentos injustos, palavras e incitação ao ódio, e as formas violentas, desacreditando e atacando as trabalhadoras e os trabalhadoras do país.

O PCdoB apoia e sai em defesa da liberdade de Lula, criticando principalmente os "senhores da lei" que o condenaram, e assim, deixando nítido o Estado de Exceção que paira sobre o país, nos âmbitos do governo, e especialmente no Judiciário. A Lei, hoje, já não vale para todas e todos. Nós estamos sendo perseguidas e perseguidos, nesta nova Ditadura, na qual prevalece o capitalismo que se instalou no país, vendendo diariamente nossas as riquezas para o capital estrangeiro e enfraquecendo nossa economia, e dizimando as conquistas do povo brasileiro.

Lula tem o apoio do PCdoB para ser candidato. Contudo, nós, comunistas, também apresentamos uma opção viável à população, fortalecendo a Esquerda política: a deputada estadual gaúcha Manuela D'Ávila. Para nós, Manu.

Manu aparece, nesse cenário político, priorizando o povo, construindo pontes e acumulando forças, com o apoio absoluto do PCdoB, para uma renovação política necessária, em um país corrompido em todos os âmbitos governamentais. Manu pode trazer novamente a esperança aos nossos corações, por meio de um projeto nacional de desenvolvimento para o Brasil, e um futuro seguro e concreto para a população, proporcionando e valorizando as brasileiras e brasileiros.

O PCdoB, através da Manu, abraça a militância, principalmente sindical, das trabalhadoras e dos trabalhadores que fazem do nosso país um dos mais ricos do mundo, sem deixar de lado os sonhos e as conquistas que esta população almeja. Também convida a militância e as pessoas que admiram este projeto nacional a conhecerem os planos de futuro que traçamos para o país, com desenvolvimento para todas e todos, garantindo a democracia e os direitos do povo, que em um ano, no governo ilegítimo de Temer, já passa por retrocessos que afetarão a população brasileira por décadas.

Manu tem o apoio de Lula. Ela vem a ser um caminho para as forças progressistas, de renovação e continuidade da defesa da nação, da democracia, do desenvolvimento, da soberania e dos direitos sociais. Ela propõe um projeto de nação, um projeto popular e nacional, sempre valorizando o trabalho e as pessoas que trabalham. Com ela, podemos obter novamente os direitos da população brasileira, em toda a sua pluralidade, independente de classe, gênero, orientação sexual, raça e etnia, trazendo mais direitos e restabelecendo o orgulho de sermos brasileiros.

Diante desta quadra histórica tão difícil e dos imensos desafios que se colocam diante do povo brasileiro, a Turma Lúcio Monteiro destaca a necessidade da atuação política consciente e organizada. Apontamos também a relevância da formação política e do debate teórico, em especial no enfrentamento desta complexa conjuntura onde a mentira, a fraude e a trapaça operam de forma despudorada em prol de um projeto político de desmonte do estado nacional e dos nossos direitos.

Saímos desses onze dias, de intensos estudos e formulações, com a certeza de que o nosso Partido está no caminho certo, pois defende a democracia, a soberania e o povo. Também, confiando ainda mais na escolha do Partido Comunista do Brasil de lançar Manuela D'Ávila à pré-candidata à presidenta. Só um partido com a maior bancada feminina de um congresso parlamentar pode ousar em apresentar uma mulher comunista, com referência nas lutas progressistas da nação. E ainda, defendemos a unidade popular, por meio da Esquerda, como único caminho possível para o avanço social e para a transição ao Socialismo.


“Um, dois, três, quatro, cinco, mil!

E viva o Partido Comunista do Brasil!”

São Paulo, 31 de janeiro de 2018.