Especiais - EXPOSIÇÃO 95 anos - Democracia é indispensável ao Brasil, O PCdoB é indispensável à democracia

ANTECEDENTES

Cezar Xavier Publicado em 02.03.2017

O Partido Comunista do Brasil nasce de um cruzamento de fatores internos e externos, entre eles as transformações na sociedade brasileira, a formação e expansão do proletariado e o impacto internacional da Revolução Russa de 1917.

Foto: Painel original da exposição

ELO ENTRE AS LUTAS DO PASSADO E DO PRESENTE

Desde a década de 1880, com a crise do escravismo e da monarquia, o Brasil vivia um processo de intensa transformação social. A Abolição da Escravatura mobilizou segmentos avançados da sociedade brasileira; no mesmo contexto, setores democráticos mais radicais envolveram-se na campanha pela República. Essas e outras jornadas que forjaram a nação iriam inspirar e tornar possível o surgimento do Partido Comunista. 

 

AS PRIMEIRAS ORGANIZAÇÕES OPERÁRIAS

Nos anos anteriores à fundação do Partido era crescente a presença do proletariado nos meios urbanos. Essa classe, embora ainda minoritária no conjunto dos trabalhadores, começava a se organizar politicamente. Em 1906, ocorre o 1o. Congresso Operário Brasileiro. Ele lança as bases para a Confederação Operária Brasileira (COB), primeira central de trabalhadores do país.

Foto acima: À época do predomínio anarcossindicalista, houve no país intensa agitação operária. Memoráveis greves gerais foram realizadas. Um dos movimentos mais importantes foi a Greve Geral de São Paulo, ocorrida em 1917.

Foto acima: Realizado no Rio de Janeiro em 1906, o 1o. Congresso Operário do Brasil cria a Confederação Operária Brasileira (COB) que seria hegemônica entre os trabalhadores até a década de 1920.

Liderada por Vladimir Ilitch Ulianov, o Lênin, a Revolução Russa de 1917 inaugurou o primeiro Estado operário da história. Na imagem, o líder revolucionário na capa do jornal carioca O Rebelde, da União dos Operários da Construção Civil (1919).

Foto abaixo: Líderes anarquistas que fundaram o Partido Comunista do Brasil (a exceção de Leuenroth, de bigode na foto). Da esq para a dir: Octávio Brandão, Astrojildo Pereira e Afonso Schmidt (em cima); Edgar Leuenroth e Antonio Canellas (embaixo). 

O PAPEL DOS ANARQUISTAS

A partir de 1914, a expansão industrial provocada pela substituição de importações decorrente de Primeira Guerra Mundial fez crescer o contingente de trabalhadores. O movimento operário era dirigido, então, pelos anarcossindicalistas. Lideranças dessa corrente iriam figurar como os mais destacados fundadores do Partido Comunista.

 

Foto acima: Ocorrida no Rio de Janeiro, Greve de 1919 fracassa e acentua crise do anarquismo.