Especiais - EXPOSIÇÃO 95 anos - Democracia é indispensável ao Brasil, O PCdoB é indispensável à democracia

A REORGANIZAÇÃO DO PARTIDO EM 1962

Cezar Xavier Publicado em 02.03.2017

Em 1956 realiza-se o 20o. Congresso do Partido Comunista da União Soviética. Capitaneados por Nikita Kruschev, os dirigentes soviéticos passam a apregoar concepções antirrevolucionárias, baseadas em leitura unilateral e negativa sobre a construção do socialismo. As divergências em torno dessas ideias, associadas à forte influência do nacional-reformismo na sociedade brasileira, desencadearam uma aguda luta interna no Partido Comunista. Ela teria seu desfecho na reorganização de 1962.

Foto: Painel original da exposição

CRIA-SE OUTRO PARTIDO

Em 1958, o PC do Brasil aprova a Declaração de Março, fortemente influenciada pela maré reformista. Em 1960, o 5o. Congresso ratifica essa linha política e exclui do Comitê Central vários dirigentes que a ela se opunham, entre eles João Amazonas, Maurício Grabois, Lincoln Oest e Ângelo Arroyo. Em agosto de 1961, o Comitê Central apresenta ao Tribunal Superior Eleitoral novos estatutos e programa. As referências ao marxismo-leninismo e ao internacionalismo proletário são apagadas. Cria-se na prática outra legenda com o nome Partido Comunista Brasileiro. 

A CONFERÊNCIA EXTRAORDINÁRIA DE 1962 E A REORGANIZAÇÃO DO PC DO BRASIL

Em 18 de fevereiro de 1962, uma conferência extraordinária reorganiza o Partido Comunista do Brasil, com a sigla PCdoB. À frente do processo, lideranças histórias como João Amazonas, Maurício Grabois, Pedro Pomar, Carlos Danielli, Ângelo Arroyo, Lincoln Oest, José Duarte e Elza Monerat. O desempenho atual do PCdoB - presente nas várias dimensões da vida política do país, enraizado nas lutas do povo, empunhando a bandeira do socialismo e empenhado no fortalecimento da nação - demonstra por si só o acerto e o valor daquela tomada de posição em defesa do Partido. 

Foto abaixo: Nos últimos 40 anos do século XX, João Amazonas foi o principal construtor e ideólogo do Partido Comunista que floresceu e se projetou para o século XXI. Na foto, o dirigente comunista aparece ministrando conferência sobre Cuba em 1962.