Notícias

Um milhão de negras e negros nas ruas do Brasil!

Divulgação Publicado em 18.11.2016

No dia 20 de novembro de 2016, dia em que o povo brasileiro relembra os feitos do mais popular Herói Nacional: Zumbi dos Palmares, comemora se o Dia Nacional da Consciência Negra.

Neste contexto, a Convergências da Luta de Combate ao Racismo no Brasil, a Convergência Negra, articulação nacional de entidades do movimento negro brasileiro, sairão às ruas em todo o país pelo Fora Temer e por nenhum direito a menos.Em São Paulo, será realizada a XIII Marcha da Consciência Negra em unidade com todo o movimento negro, movimentos populares do campo e da cidade, as mulheres, as juventudes, sindicatos e centrais sindicais, cumprindo o objetivo de mobilizar um milhão de negras e negros em todo o País para uma grande celebração e profunda reflexão. 

 
Fora Temer!
Vemos com preocupação a crescente onda conservadora no Brasil de  conteúdo racista, misógino, classista e fascista, com forte impacto em São Paulo,  ameaçando direitos conquistados, violando a Constituição, aumentando a violência, o desemprego e a precarização do trabalho.  O governo golpista de Temer tem como principal objetivo implementar um  programa neoliberal, contrário à democracia e às conquistas recentes da classe  trabalhadora e da população negra.

A PEC 241, que propõe o congelamento dos gastos públicos em 20 anos, que  atinge principalmente os programas sociais referentes à educação e à saúde somada  à anunciada Reforma da Previdência, são medidas que irão tornar piores as nossas  condições de vida e trabalho. Contra a PEC 241 e a Reforma da Previdência!  Nenhum direito a menos!
 
Para a XIII Marcha da Consciência Negra, convidamos a população da cidade  e do estado de São Paulo a caminhar conosco, refletir e defender:

1.  Manutenção e fortalecimento das políticas públicas de promoção da igualdade   racial com a criação de órgãos de políticas de igualdade racial nos municípios onde  não existem. Os feriados municipais no dia 20 de novembro têm de continuar e ser ampliados!
 
2.  Manutenção e fortalecimento das políticas públicas para mulheres, dando  prioridade às mulheres negras, com a criação de órgãos de políticas para a mulher  nos municípios onde não existem.
 
3.  Defesa de políticas de ação afirmativa com corte racial e  de gênero.  Implantação de medidas para ampliar a presença de mulheres negras nos espaços de  poder. Implementação das bandeiras de lutas e reivindicações da Marcha Nacional  das Mulheres Negras contra o racismo, a violência e pelo bem viver.
 
4.  Combate ao genocídio da juventude negra, contra a redução da maioridade penal, contra a violência policial, e pela implantação de políticas públicas para jovens   negras e negros, em especial dos bairros periféricos.
 
5.  Programas para a plena impla ntação das Leis 10639/03 e 11645/08, que tratam  da história dos povos indígenas e da população negra nas redes pública e privada de  ensino. Fiscalização e monitoramento do processo de implementação das cotas nas  universidades e nos concursos públicos.
 
6.  Cumprimento da Constituição Cidadã que trata da titulação e regularização de  terras das comunidades quilombolas e demarcação das terras indígenas, com políticas  públicas para a melhoria das condições de vida.
 
7.  Estabelecer medidas para comb ater a intolerância religiosa, defender a laicidade do Estado e a liberdade de culto.

8.  Defender  a criminalização da homofobia e os crimes raciais na internet.
 
9 .  Pela democratização dos meios de comunicação.
 
10.  Defesa e apoio das m anifestações da cultura afro brasileira.
 
Carandiru: foi massacre, sim!
No mês de setembro deste ano, o Tribunal de Justiça de São Paulo acatou o  recurso de anulação do julgamento de 74 policiais envolvidos na morte de 111  pessoas presas, no Massacre do arandiru,em 2 de Outubro de 1992, sob a  justificativa de que não há prova s que permitam individualizar a conduta de cada um  na produção dessas mortes.  A XIII Marcha da Consciência Negra denuncia o absurdo dessa decisão que anula  o julgamento do Massacre do Carandiru, e que faz parte de um projeto político de  ação repress iva estatal das elites paulistas que há anos governam o Estado de São  Paulo, nos dias atuais representadas pelo governador Geraldo Alckmin e pela  bancada da bala na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.  Chega de legalizar o extermínio! Fim do  genocídio da juventude negra! 
 
Todas as pessoas que se interessam por essas causas e as apoiam estão convidadas  e são bem-vindas à XIII Marcha da Consciência Negra.
 
Serviço: 
XIII Marcha da Consciência Negra
Data: 20 de novembro de 2016 (domingo)
Local: Vão Livre do MASP, na Avenida Paulista, São Paulo
Horário da concentração: 11horas
 
Convergências da Luta de Combate ao Racismo no Brasil
ABPN (Associação Brasileira de Pesquisadores Negros, APN's) 
Agentes Pastorais Negros (CEN)
Coletivo de Entidades Negras, Círculo Palmarino (Conajira)
Comissão Nacional de Jornalistas pela Igualdade Racial (Conaq) 
Coordenação Nacional das Comunidades Quilombolas (Conen) 
Coordenação Nacional de Entidades Negras (Enegrecer)
Coletivo Nacional de Juventude Negra (FNMN) 
Fórum Nacional de Mulheres Negras (Fonajune)
Fórum Nacional de Juventude Negra (MNU) 
Movimento Negro Unificado (Quilombação) 
Rede Afro LGBT, Rede Amazônia Negra, Uneafro, Unegro (União de Negros pela Igualdade)