Notícias

Seminário discutiu, em Belém, a atualidade do marxismo

FMG PA Publicado em 13.04.2017

A Fundação Mauricio Grabois sessão Pará, em parceria com o Núcleo de Altos Estudos da Amazônia (NAEA), realizou nos dias 10 e 11 de abril o Seminário para debater se: "Há lugar para o Socialismo no Século XXI?" O debate ocorreu nas instalações da Universidade Federal do Pará.

Com o apoio do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas - ICSA/UFPA, do Grupo de Análise de Políticas Públicas e Políticas Sociais na Amazônia - GAPSA/UFPA e do Programa de Pós-Graduação em Currículo e Gestão da Escola Básica - PPEB/ICED contou com grande particição de estudantes de várias universidades.

Cerca de 200 pessoas estiveram presentes nos dois dias de seminário, em que participaram a maioria de jovens estudantes, além de professores e profissionais de diversas áreas numa demonstração de que há espaços para debater o marxismo na atualidade.

Dividido em duas mesas, a primeira contou as palestras do Prof. Dr. Ronaldo de Lima Araújo do ICED/UFPA abordando “A filosofia marxista: Transformar é preciso e necessário” compartilhada com a Profª. Msc. Joaquina Barata Teixeira UFPA explanando “O método Marxista: Um instrumento para a investigação cientifica e para a captura do movimento da história e para a transformação social”.

Ambos os temas trataram sistematicamente a realidade concreta sob a ótica da teoria marxista. Para Robson Marques, secretário de organização do PCdoB-Pará, "a sociedade precisa compreender que os escritos de Marx não devem ser tratados como programas políticos, mas sim como um caminho para entender a natureza do capitalismo?. Logo, debater o pensamento marxista através do Seminário promovido pela Fundação Maurício Grabois é de vital importância para compreender a crise do capitalismo no século XXI".

“Entende-se que [a crítica de] economicismo é uma crítica vulgar ao marxismo. Enquanto houver diferenças sociais, exploração do homem pelo homem, a teoria marxista explica a luta de classes [na sociedade capitalista]”, defendeu o professor Araújo.

No segundo dia, a mesa foi composta por dois palestrantes, cada qual abordando temas que se articulam. O tema “A Economia Política na perspectiva marxista” foi tratado pelo prof. Dr. José Raimundo Barreto Trindade”; e o prof. Dr. Durbens Martins Nascimento abordou “O socialismo como possibilidade histórica e como busca”. “Como a crise no capitalismo mesmo em expansão, foi de forma diferenciada nas camadas periféricas do mundo, sendo essas as mais atingidas”, destacou ele.

Para o participante do seminário José Maria Reis (NAEA\UFPA), “o seminário promovido pela Fundação Mauricio Grabois é uma atividade que, pelo grande público, demonstra ainda hoje a relevância da teoria marxista para explicar a realidade concreta, incluindo a realidade atual no Brasil que passa por golpe político”.

Em suas considerações finais o prof. Dr. José Raimundo Barreto Trindade elencou ainda que “acabar com a CLT é uma demonstração de ampliação do capitalismo, o capital é uma relação social centrada na exploração”.

A coordenação da FMG Pará ressalta que foi atestado o esgotamento do capitalismo no que concerne ao atendimento das necessidades e ao desenvolvimento das potencialidades humanas, portanto, para os palestrantes só tem duas alternativas: o Socialismo ou a barbárie.