Notícias

Seminário discute luta de classes pela ótica feminina, em Belém, dia 24

Divulgação Publicado em 15.05.2017

No dia 24 de maio, ocorre no auditório do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA/UFPA), o seminário A Luta de Classes no Século XXI e suas mediações: uma abordagem pela ótica feminina.

A Fundação Maurício Grabois – sessão Pará promove o seminário “A LUTA DE CLASSES NO SÉCULO XXI E SUAS MEDIAÇÕES: UMA ABORDAGEM PELA ÓTICA FEMININA” na Universidade Federal do Pará no dia 24 de junho.

Diante das investidas reacionárias contra o avanço das lutas e conquistas da classe trabalhadora que se manifestam em diferentes domínios, com destaques mais acentuados no campo social e no político, a FMG-Pará se propõe a fazer o debate teórico, que vem se tornar altamente relevante. Por entender que somente com os equipamentos teóricos, metodológicos e éticos as classes sociais produzirão os seus ideais de mundo, de vida e de ser humano.

Nas mais recentes investidas nesse campo, às elites tentam convencer a sociedade de que a luta de classes não existe mais, feneceu com a derruição do socialismo e das ideologias; por decorrência, também não existe mais a luta de classes. O denominado pensamento pós-moderno esmera-se para esvaziar a classe trabalhadora de suas utopias históricas, de novos horizontes e de expectativas de futuro. Querem, ao mesmo tempo, submetê-la às cruéis armadilhas do consumismo desenfreado e do individualismo possessivo.

A Fundação Maurício Grabois – seção Pará, pretende discutir essa temática elegendo como questão: A luta de classes existe? Nosso objetivo, ao reunir professores, estudantes, militantes e dirigentes dos movimentos sociais e dos partidos políticos é promover o debate e a reflexão sobre as formas mediadoras da luta de classes que rebatem no universo feminino e, ao mesmo tempo propiciar uma leitura sobre a percepção de mulheres situadas em diferentes espaços sobre o objeto em discussão. Nossa preocupação em priorizar a abordagem a partir da percepção feminina é realçar que no interior da luta de classes existe a luta de gênero como uma demanda inescapável para o enfrentamento de toda forma de opressão que a sociedade capitalista produz e alimenta.

PROGRAMAÇÃO

Manhã

8h – Credenciamento

9h – Abertura (FMG – PA, NAEA, ICSA, PCdoB, UBM)

9h30 – Metamorfoses contemporâneas da luta de classes na ordem social capitalista: a questão feminina

1. Msc. Eneida Canêdo Guimarães (PCdoB/FMG-PA)

2. Profª. Dra. Maria Luzia Miranda Álvares (UFPA)

Coordenação: Profª. Francy Santos (FMG/PA)

10h50 – Debate

12h – Intervalo para almoço

Tarde

14h – A mulher nos espaços da luta de classes

1. A mulher na atividade sindical

Deusarina Lisboa da Costa (CTB/PA)

2. A mulher na atividade parlamentar

Sandra Batista (UBM/PA)

3. A mulher na luta pelos direitos de cidadania

Profª. Dra. Leila Mourão (IFCH/UFPA)

4. A mulher e o mundo do trabalho

Euci Ana da Costa Gonçalves (Presidente da CUT/PA)

Coordenação: Profa. Msc. Maria Cristina Rodrigues (FMG/PA)

15h40 – Debate

17h – Encerramento

 

O opressor não seria tão forte se não tivesse cumplices entre os seus próprios oprimidos.

(Simone de Beauvoir)

Que nada nos defina, que nada nos sujeite, que a liberdade seja a nossa própria substância, já que viver é ser livre.

(Simone de Beauvoir)

 

REALIZAÇÃO:

FUNDAÇÃO MAURICIO GRABOIS – SEÇÃO PARÁ

APOIOS: 

Instituto de Ciências Sociais Aplicadas - ICSA/UFPA

Núcleo de Altos Estudos Amazônicos - NAEA/UFPA

Grupo de Análise de Políticas Públicas e Políticas Sociais na Amazônia - GAPSA/UFPA

União Brasileira de Mulheres – UBM/PA

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB

Partido Comunista do Brasil – PCdoB