Notícias

"A plenos pulmões" celebra Revolução Russa no teatro

Divulgação Publicado em 01.08.2017

A peça de teatro sobre o poeta revolucionário Maiakovski vai até setembro, no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo.

Foto: Chirolli e Georgette em cena

A peça A PLENOS PULMÕES ocorre de 28 de julho a 18 de setembro, com ingressos a R$ 20 e meia por R$ 10. Até o final de julho, os autores promoveram ensaios abertos acompanhados de palestras sobre o contexto da Rússia revolucionária em que viveu o poeta. 

“A Plenos Pulmões” traz a vida, a prosa e a poesia de Vladimir Maiakóvski, um dos maiores poetas do século XX. O espetáculo busca justapor e contrapor seu pensamento e atuação político-artística ao momento turbulento de transformações pelo qual passava a Rússia no início do século passado e que ainda ecoam na contemporaneidade. Agora em 2017, ano em que se comemora o centenário da Revolução Russa, a montagem olha para esse importante acontecimento histórico através dos olhos e palavras do poeta, um de seus maiores entusiastas críticos.  Com Luciano Chirolli e Georgette Fadel. Direção Márcia Abujamra.

Ciclo de palestras – A Plenos Pulmões

Local: Teatro

21, 22, 23, 24 de julho – 19h

Na semana que antecede a estreia do espetáculo A Plenos Pulmões, o público tem a oportunidade de contato com questões políticas e artísticas da Rússia de Vladimir Maiakóvski (1893 – 1930) no ciclo de quatro encontros-palestras:

 

 
(Foto: Chirolli e Fadel a plenos pulmões)

21 de julho – As Revoluc?o?es Russas e as Vanguardas Arti?sticas com Daniel Aara?o Reis

O contexto histórico das revoluções russas. As vanguardas artísticas: propostas revolucionárias antes da revolução. As vanguardas no furacão das revoluções. As vanguardas em suas diferentes vertentes e nas diferentes formas de expressão: artes plásticas, cartazes, cinema, fotografia, escultura, literatura (poesia, teatro), música. As complexas relações entre as vanguardas e os governos revolucionários. A revolução pelo alto na virada dos anos 1920/1930 e o enquadramento das vanguardas pelo Estado soviético.

Daniel Aara?o Reis e? Professor Titular de Histo?ria Contempora?nea da Universidade Federal Fluminense e pesquisador 1A do CNPq. E? autor, entre outros livros, de: “A Revoluc?a?o Faltou ao Encontro”; “Uma Revoluc?a?o Perdida/A Histo?ria do Socialismo Sovie?tico”; “1968, a paixa?o de uma utopia”; “Ditadura e Democracia no Brasil”; “Luis Carlos Prestes, um revoluciona?rio entre dois mundos”. Suas a?reas de especializac?a?o sa?o: as revoluc?o?es socialistas no se?culo XX e a histo?ria das esquerdas brasileiras no po?s-1945.

 

22 de julho – Maiako?vski: da poesia revoluciona?ria a? revoluc?a?o na poesia com Ma?rio Ramos

Conhecido popularmente como o “poeta da revoluc?a?o”, Vladimir Maiako?vski foi um dos mais profi?cuos artistas do cubofuturismo russo. Artista no sentido mais amplo da palavra, Maiako?vski foi dramaturgo, desenhista, roteirista de cinema, ator e, principalmente, poeta. Para ale?m do conteu?do revoluciona?rio de seu discurso poe?tico, Maiako?vski foi um inovador no plano da forma: no uso de rimas arrojadas, na experimentac?a?o no plano dos sons e da linguagem, na distribuic?a?o dos versos no espac?o e em recursos entonacionais que amplificavam o sentido de seus poemas. Mais do que um “poeta da revoluc?a?o”, um poeta revoluciona?rio, um dos inventores que resignificou o papel da poesia para todo o se?culo XX.

Ma?rio Ramos e? Professor de Literatura Russa no curso de russo da Universidade de Sa?o Paulo, onde graduou-se e defendeu mestrado e doutorado sobre a poesia de vanguarda de Velimir Khlie?bnikov. Foi Professor-leitor do Brasil na Universidade Estatal de Moscou entre 2005 e 2009. Ale?m de pesquisador na a?rea de literatura russa, com especialidade em poesia, e? tambe?m tradutor, tendo publicado traduc?o?es em portugue?s de contos, ensaios, textos drama?ticos e poemas de diversos autores russos.

 

23 de julho – Uma poe?tica, dois artistas: V.Maiakovski e V. Meierhold com Maria Thais

Os nomes do poeta Vladimir Maiakovski e do encenador Vsvolod Meierhold emergem como i?cones de um tempo. As obras, a ativa participac?a?o nos rumos da Revoluc?a?o e, posteriormente, o enfrentamento com o novo sistema poli?tico, suas mortes, apontam ora para um protagonismo na cena cultural russa, ora para o esquecimento. Sem desconsiderar as tenso?es e e as circunsta?ncias histo?ricas e poli?ticas, nos interessa po?r em evide?ncia os elementos que enrai?zam as suas poe?ticas, as aspirac?o?es arti?sti?cas comuns, construindo uma colaborac?a?o na qual, como afirmava Meierhold, “ambos, mutuamente, (devem) apreender uns com os outros”.

Maria Thais e? diretora teatral, professora do Departamento de Artes Ce?nicas da ECA/USP e pesquisadora.E? uma das fundadoras da Cia Teatro Balagan, atuando como encenadora dos espeta?culos “Cabras – cabec?as que voam, cabec?as que rolam, “Recusa”, “Prometheus”, “Za?pad, a Trage?dia do Poder”, “Tauromaquia”, “A Besta na Lua” e Sacromaquia. Entre 1999 e 2006 realizou Reside?ncias Arti?sticas na Moscow Theatre School of Dramatic Art, dirigida por Anatoli Vassiliev. Entre 1993-2003 foi Professora do Departamento de Artes Ce?ncias da UNICAMP e, no peri?odo de 1990 a 1992, coordenou a implantac?a?o da Escola Livre de Teatro, projeto da Prefeitura de Santo Andre?.

 

24 de julho – Teatro Russo de Vanguarda: o cubo-futurismo no texto e na cena com Arlete Cavalieri

A Revoluc?a?o Russa de 1917 gerou um dos movimentos culturais e arti?sticos mais surpreendentes e multifacetados da histo?ria da arte moderna, denominado vanguardas russas. A arte teatral produziu tanto no plano da dramaturgia, como tambe?m em sua expressa?o ce?nica, a mais audaciosa simbiose de variadas tende?ncias este?ticas e arti?sticas e fomentou uma profusa?o de experie?ncias ce?nicas inusitadas, a criar uma nova concepc?a?o do feno?meno do teatro. A proposta desta palestra e? apresentar uma visa?o plural do teatro russo de vanguarda e avaliar as experie?ncias arti?sticas da cena sovie?tica sob o influxo do grande furaca?ode Outubro de 1917. Refletir sobre os possi?veis desdobramentos daquelas experie?ncias, por meio da ana?lise, em particular, de alguns dos textos teatrais de Vladi?mir Maiako?vski, nos encaminha, certamente, a uma reflexa?o cri?tica sobre esse instigante momento histo?rico e o seu rico legado para o teatro e a arte no se?culo XXI.

Arlete Cavaliere e? ensai?sta, tradutora e Professora Titular de Teatro, Arte e Cultura Russa da Faculdade de Filosofia, Letras e Cie?ncias Humanas/USP, onde se graduou em li?ngua e literatura russa e defendeu seu mestrado, doutorado e livre- doce?ncia. E? autora e organizadora de va?rios livros, como O inspetor geral de Go?gol-Meyerhold: um espeta?culo si?ntese; Teatro russo: percurso para um estudo da paro?dia e do grotesco; Teatro russo: literatura e espeta?culo; Tipologia do simbolismo nas culturas russa e ocidental, dentre outros.

 

Ensaio-aberto – A Plenos Pulmões

Local: Teatro

22, 23, 24 de julho – 18h

Antecedendo três das palestras, ocorrem ensaios-abertos em que atores e diretora mostram ao público partes do processo final de montagem do espetáculo.