Notícias

Observatório da Democracia é lançado em Brasília

Publicado em 01.02.2019

Fundações do PCdoB, PT, PSOL, PDT, PSB e Pros se uniram para construir um espaço de acompanhamento das medidas propostas pelo atual governo e também de defesa da democracia.

Luciana Santos em ato de lançamento do Observatório da Democracia

No final da tarde, depois de um dia de muito debate, o ato político de lançamento do Observatório da Democracia reuniu os presidentes das seis fundações partidárias, presidentes dos partidos, parlamentares, e lideranças do movimento social brasileiro. O presidente da Fundação Maurício Grabois, Renato Rabelo, comentou a necessidade das forças progressistas de buscarem a construção de uma frente ampla.

"Essa visão de frente ampla, nas condições atuais, tem como centro de gravidade, o seu mote, a defesa da democracia ameaçada como posição para o avanço das outras grandes bandeiras. Porquanto o pressuposto da liberdade politica, partidária, sindical, minorias, de organização e mobilização popular é que permite prosseguir na luta pelos direitos do nosso povo e a soberania nacional. As ameaças à liberdade política são explícitas – o governo tem um ímpeto saliente de autoritarismo e tendência fascistizante" destacou Renato.

Para Rabelo, "Sem a liberdade política, as lutas se tornam mais difíceis".

"Como se relaciona as forças populares ou uma frente popular, que reúna a esquerda com a frente ampla? Os comunistas do PCdoB, com sua longa experiência nesses períodos antidemocráticos e de restrição às liberdades têm pontuado que o campo popular deve se constituir como um núcleo da frente democrática ampla, procurando indicá-la para as posições oposicionistas mais consequentes. São frentes de conteúdo popular dentro de uma frente maior de perfil democrático. Desse modo, a Frente Brasil Popular e a Frente Povo sem Medo devem fazer parte dessa frente sem diluir-se nela, mas sendo uma base de unidade popular dentro da frente maior. Daí a importância da crescente unidade popular" completou o presidente da FMG.

A presidenta nacional do PCdoB e vice-governadora de Pernambuca, Luciana Santos lembrou que "é preciso mais do que nunca que a gente aprofunde esse debate e faça a resistência necessária. Resistência, amplitude e muita sagacidade".

Ela reafirmou a necessidade das forças progressistas lutarem pela democracia.  "Nós precisamos garantir um processo de acúmulo de forças pela democracia. Bandeira que por si só é ampla" afirmou Luciana.

O Observatório pode ser acessado no site www.observatoriodademocracia.org.br

Com informações do Vermelho