Prosa@Poesia

Confissão do Latifúndio

Dom Pedro Casaldáliga Publicado em 17.04.2007

*

Por onde passei,
plantei
a cerca farpada,
plantei a queimada.
Por onde passei,
plantei
a morte matada.
Por onde passei,
matei
a tribo calada,
a roça suada,
a terra esperada...
Por onde passei,
tendo tudo em lei,
eu plantei o nada.

 


Pedro Casaldáliga
Versos Adversos – Antologia
Editora Fundação Perseu Abramo – 1ª edição, 2006