Prosa@Poesia

Morte sob carbono

Cida Pedrosa Publicado em 14.03.2007

*

a floresta (dentro
da sala)
espia o homem
que se apóia na caneta
 
nomes números nódoas
 
as velhas esperam
o ventilador gira
o café esfria o bigode do funcionário
 
  - papel poeira pesares-
        - idades vãs-
 
entre
um documento e outro
um carimbo e outro
uma certidão e outra
as velhas
acertam um grampo na alma
e pactuam um prazo com a morte