Vídeos

VÍDEO: Gilse Cosenza e os 50 anos do golpe

Portal O TEMPO Publicado em 29.05.2017

Gilse conta, desde o momento em que soube do golpe militar, no primeiro ano de faculdade, sua disposição para a luta armada. Lideranças estudantis são alvo preferencial do regime militar e seu pai vê Gilse entre os presos no jornal. A ditadura recebe a colaboração do empresariado para prender militantes estudantis que trabalham nas fábricas de Contagem (MG). Com o fascismo do AI-5, avança a luta na clandestinidade. O irmão Gildásio é preso e é preciso se preparar para o pior. Da prisão, as mulheres eram estupradas depois de brutais violências físicas. Se a tortura física não era suficiente, era preciso ameaçar a bebê Juliana das formas mais bestiais. Saiba como o cigarro Hollywood ajudou na luta contra a tortura. Helfil manda recados à Gilse por meio de charges no Jornal do Brasil. Gilse conta do choque de ver Juliana engatinhando, durante seu julgamento, após tanta tortura psicológica e ameaças contra a criança. Durante as torturas, Gilse dizia que podiam matá-la, pois Juliana ia continuar sua luta. Esse momento chegara...