Vídeos

Renato Rabelo: "O Socialismo é uma exigência da história!"

Assembleia Legislativa da Bahia Publicado em 12.10.2017

Intervenção do presidente da Fundação Maurício Grabois (FMG) e membro do Comitê Central do PCdoB, Renato Rabelo, na Sessão Solene em homenagem aos 100 anos da Revolução Russa, realizada no dia 18 de setembro de 2017, no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia, por proposição da bancada comunista, composta pelos deputados estaduais Bobô, Fabrício e Zó.

A Assembleia legislativa da Bahia realizou nesta segunda-feira uma sessão concorrida e marcante sobre o Centenário da Revolução Russa. A sessão foi convocada pelos deputados do PCdoB Zó, Fabricio e Bobô.

Aberta pelo deputado Zó que compôs a mesa , a sessão foi conduzida pelo deputado Fabricio, que no discurso de abertura afirmou ser a Revolução Russa o fato mais importante da historia da humanidade. “O czarismo era uma monarquia cruel que oprima os trabalhadores e foi derrubada pela mobilização do povo

O deputado Zó salientou o aspecto de um país semifeudal ter construído a primeira revolução socialista da história quando a expectativa anterior era de que ela ocorresse nos países mais desenvolvidos.

Para o presidente da Fundação Maurício Grabois, Renato Rabelo, “o PCdoB faz parte do legado desse grande empreedimento revolucionário”. “Somos filhos-herdeiros da revolução de 1917. Ao contrário do que dizem o socialismo nasceu no século 20 e não morreu no século 20. A primeira experiência histórica surge num país relativamente atrasado, ao contrário do que previa Marx, em condições excepcionais daquele período histórico, num período entre duas guerras mundiais” destacou Rabelo.

Para o presidente da Fundação “o socialismo é uma exigência histórica, não um desejo subjetivo”.

“O sistema capitalista é crescentemente concentrador e gera extremadas desigualdades sociais e incapaz de resolver os impasses da humanidade, que impede o avanço civilizacional. Através da experiência socialista países capitalistas tiveram que adotar direitos para os trabalhadores, especialmente na Europa. Foi a experiência socialista que destruiu a máquina de guerra do nazismo. E foi fundamental para desmoronar grande parte do que existia de colonialismo” lembrou Renato.

Para Renato Rabelo, “a URSS em curto espaço de tempo acelerou a industrialização e conquistou as bases que seriam fundamentais para vencer a guerra mundial”.

Rabelo também analisou o revés da experiência russa: “não há resposta fácil para analisar o revés que ocorreu na URSS, e deve ser analisado nas circunstâncias históricas. Começou haver um declínio do ponto de vista econômico, na produtividade, na tecnologia, gerando defasagem em relação aos grandes países capitalistas. Não houve o salto necessário para enfrentar essas questões”.

Sobre as atuais experiências, Rabelo comentou que “as atuais experiências socialistas incorporam formas contemporâneas que resultam em formidável crescimento econômico, especialmente a China, que alcança avanços tecnológicos extraordinários, mesmo sob cerco capitalista”.

Ele concluiu lembrando que “o desenvolvimento das forças produtivas é essencial para a transição ao socialismo, sob controle do estado de democracia popular. A questão da soberania nacional, com um estado poderoso e soberano, é a grande questão da época atual, essencial na luta pelo socialismo”.

Marcelino Galo , do Partido dos Trabalhadores, considerou ser fundamental o evento, lembrando que o capitalismo esgotou suas possibilidades do ponto de vista econômico, e que se não disse a revolução não teríamos as experiências socialistas que viriam depois.

Estiveram presentes no ato o presidente estadual da CTB, Pascoal Carneiro, o presidente do Cebrapaz, Antonio Barreto, a vereadora Aladilce Souza, a presidenta da Unegro Angela Guimarães, o presidente da UEB Natan Ferreira e a secretaria da SETRE-BA, Olívia Santana.

 

De Salvador

Geraldo Galindo