Artigos

Os nossos desafios para retomar os rumos da civilização

Marcos Dantas* Publicado em 14.10.2021

O professor Marcos Dantas, membro da seção Fundação Maurício Grabois/RJ, publica ensaio no qual traça alguns desafios de ordem teórica, política e organizava para refletir as tarefas dos comunistas em seu centenário. Tarefas que exigem compreender as novas dinâmicas de acumulação capitalista, de organização da produção e de identidade da classe trabalhadora. Ele analisa como esse cenário se desenvolve no Brasil, com suas profundas desigualdades sociais e regionais e uma burguesia predatória e sem projeto de país.

Prof. Marcos Dantas Foto: Prof. Marcos Dantas

O ensaio, publicado dias antes da realização do 15º Congresso do PCdoB, dialoga com os documentos colocados para o debate, mas vai além numa reflexão profunda sobre desafios e dilemas atuais que exigem "estudar e compreender as profundas transformações em curso na sociedade, sobretudo assumindo que nos defrontamos com realidades que exigem até mesmo repensar fundamentos teóricos e políticos ou elaborar fundamentos teóricos e políticos de modo a poder atualizar e renovar suas linhas de ação e construção partidárias para que estejam de acordo com as exigências atuais das lutas de classe".

O autor divide o texto em duas partes. A primeira traça um cenário geral do capitalismo contemporâneo e da política internacional, com base em copiosa literatura econômica, sociológica ou política, relacionada nas notas ao final do texto. A segunda parte discute o Brasil e as condições de um novo projeto de desenvolvimento, na qual prevalecem hipóteses e propostas elaboradas com base nas suas próprias observações e análises.

Uma contribuição crítica ao debate que se estabelece atualmente na sociedade, particularmente nos campos populares e democráticos, sobre que rumos trilhar para superar o fundamentalismo de direita, a perspectiva puramente liberal da sociedade burguesa na perspectiva de reconstruir o país com base num projeto nacional de desenvolvimento.

Para acessar o artigo, na íntegra, clique aqui.