Notícias

Leia “Há Racismo no Brasil?”, livro inédito de José Carlos Ruy

André Cintra Publicado em 22.11.2021

Dedicado à memória do pensador Clóvis Moura (1925-2003), livro conta com 11 capítulos e será publicado no Vermelho de 20 a 30 de novembro

Fotomontagem feita com as fotos de: Jess Bailey Designs/Pexels;

Quando morreu, no último dia 2 de fevereiro, o escritor e jornalista José Carlos Ruy (1950-2021) tinha dois livros prontos para publicação. Um deles é um dicionário de verbetes ligados à obra de Machado de Assis, com foco em seus personagens. O outro é o ensaio “Há racismo no Brasil?”, que será publicado em capítulos a partir deste sábado (20), Dia Nacional de Zumbi dos Palmares e da Consciência Negra.

“Só o exame concreto da questão racial no Brasil pode revelar as singularidades do racismo brasileiro, que é diferente do racismo norte-americano, por exemplo, ou do sul africano, ou o de qualquer outro lugar, cada um deles com suas singularidades”, escreve Ruy. Segundo ele, a Lei Áurea, que deu fim à escravidão no País, promoveu uma libertação incompleta para negros e negras.

“A mudança representada pelo fim do trabalho escravo não resultou de uma revolução de caráter democrático burguês ao fim da qual emergiriam todos – negros e brancos – como cidadãos, com plena igualdade civil e política. E, apesar de sancionada pela constituição republicana de 1891, a igualdade foi uma lei que não pegou”, teoriza.

O livro, dedicado à memória do pensador Clóvis Moura (1925-2003), conta com 11 capítulos. Será publicará um capítulo por dia, de 20 a 30 de novembro, nos marcos da celebração do Mês da Consciência Negra.

O autor

Considerado um dos mais importantes jornalistas e intelectuais do PCdoB, José Carlos Ruy era membro da equipe do Vermelho, do conselho curador da Fundação Maurício Grabois e da comissão editorial da revista Princípios, além de ex-editor da Classe Operária. Foi um dos primeiros membros do PCdoB a ser dirigente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo.

Sob a ditadura militar, trabalhou em jornais da imprensa alternativa, como o Movimento e a Tribuna da Luta Operária. Ex-dirigente nacional do PCdoB, participou de uma série de projetos editoriais, como os livros Contribuição à História do Partido Comunista do Brasil (co-organizador), Os Comunistas na Constituinte de 1946 e Biografia da Nação – História e Luta de Classes.

 

Capítulo 1: Há racismo no Brasil?

Capítulo 2: “A mestiçagem é sinônimo de democracia racial?”

Capítulo 3: “O colonizador português foi racialmente tolerante?”

Capítulo 4: “O negro, vadio e mau cidadão?”

Capítulo 5: O sonho racista de um povo branco

Capítulo 6: Povo único”

Capítulo 7: Não há raças humanas, assegura a biologia

Publicado originalmente no portal Vermelho