Vídeos

China, direita peruana, greve negra, Tinhorão e Afeganistão

Cezar Xavier Publicado em 23.08.2021

A semana na TV Grabois, de 16 a 20 de agosto, teve conteúdo sobre a ideologização da pademia de covid-19 contra a China, a decadência da direita latino-americana surgida no Peru contra o regime venezuelano, a greve negra de 1857 na Bahia, a importância da crítica cultural de José Ramos Tinhorão e os significados da desocupação americana no Afeganistão

A geopolítica internacional é o grande tema da TV Grabois, nesta semana. Compreender por que grandes conflitos ocorrem em outros países explica muito do que acontece no Brasil. Mas a história silenciada da resistência negra no Brasil, assim como o nacionalismo cultural do crítico musical José Ramos Tinhorão também se destacam pela abordagem incomum e reveladora sobre o Brasil que vivemos hoje.

Youtubers como Manuela D’Ávila, Olívia Santana, Ana Prestes, Dani Balbi, Fábio Palácio e Elias Jabbour garantem a grade de programas explicando e contextualizando temas relevantes da atualidade conturbada que vive o mundo, com seu ponto de vista marxista-leninista.

Na segunda-feira (16), estreou o vídeo novo do “Meia Noite em Pequim”, do professor da Faculdade de Ciências Econômicas da UERJ, Elias Jabbour, que fala sobre o modo como os americanos aproveitam a pandemia para um ataque ideológico de grandes proporções à China. Embora qualquer país seja vulnerável à pandemias provocadas pela degradação humana à natureza, à solidariedade é trocada pelo ódio ideológico.

 

A socióloga Ana Prestes analisa os rumos que deve tomar o Grupo de Lima, a direita latino-americana organizada para enfrentar o Foro de São Paulo, quando a direita peruana é derrotada pela esquerda. O agrupamento ideológico criado para sufocar a Venezuela de Chávez e Maduro se encontra numa encruzilhada de desconfiança dos eleitores com o neoliberalismo. Compreender os rumos da direita do continente faz valer muito a pena assistir o programa Mira Mundo para entender o futuro da política no Brasil.

Desta vez, foi Olívia Santana que relatou um episódio pouco lembrado pela historiografia oficial: a greve dos ganhadores baianos em 1857. No programa Cabeça Feita desta semana, Olívia foge ao senso comum de que a escravidão no Brasil durou séculos sob a apatia e submissão de negros e negras. Esta é apenas uma das inúmeras rebeliões negras que causaram enorme impacto na relação entre os brasileiros e seus poderes constituídos, impedindo atrocidades ainda maiores contra estas populações subjugadas pelo sistema escravista brasileiro.

O professor de comunicação maranhense Fábio Palácio volta com o programa Cultura em Movimento para homenagear a influência cultural de José Ramos Tinhorão, falecido em 3 de agosto, aos 93 anos. O pesquisador mostra como Tinhorão esteve no olho do furacão dos movimentos culturais que revolucionaram a estética nacional, ao aderir a seu olhar ou resistir e questioná-lo.


No Contragolpe desta semana, Manuela d’Ávila recebe a socióloga Ana Prestes e o diplomata e ex-ministro das Relações Exteriores Celso Amorim para falar sobre a crise política mundial e a situação do Afeganistão. O Contragolpe desta semana é uma boa oportunidade para entender as complexidades da ascensão do Talibã no Afeganistão. Amorim questiona as polarizações de celebração e demonização dos radicais islâmicos naquele país, como se fossem as únicas perspectivas possíveis a partir de um olhar exótico e ocidental.